Benfica x V. Guimarães: Fim-de-semana prolongado e à minhota

O Vitória de Guimarães comandado por Sérgio Conceição será o próximo desafio para o Benfica num fim-de-semana no qual jogará por duas vezes e perante rivais que viajam desde o Minho.

Benfica x V. Guimarães: Fim-de-semana prolongado e à minhota
Benfica x V. Guimarães : Fim-de-semana prolongado e à minhota (Foto: Site Oficial Sport Lisboa e Benfica)

Dificilmente o Benfica esperaria ter pela frente numa fase tão importante da temporada um verdadeiro fim-de-semana prolongado de futebol com dois jogos em quatro dias apenas divididos por dois pelo meio e logo frente a dois adversários provenientes do Minho e indubitavelmente exigentes como o Vitória de Guimarães e o Sporting de Braga.

Se na próxima 2ª feira estará agendada, a contar para a meia-final da Taça CTT, a visita dos bracarenses, rivais já bem conhecidos e derrotados por duas ocasiões pela Liga NOS, a situação muda ligeiramente de figura com o Vitória, um rival apenas encontrado na 1ª volta, em Guimarães, e num jogo que se revelaria dos mais difíceis de toda a época com uma vitória alcançada em esforço já no período final, pelo que as dificuldades a ter pela frente mantêm-se envoltas em mistério.

Três dias antes de ter pela frente os comandados de Paulo Fonseca, entre os quais o muito pretendido Rafa, a preocupação nº1 do Benfica terá forçosamente de ser o Vitória num encontro revestido do dobro da importância pelo facto de ser disputado nas vésperas de um Clássico no Dragão entre FC Porto e Sporting cujo epílogo associado a uma vitória neste desafio a disputar na Luz poderá resultar numa eventual preparação de festa.

Renato Sanches foi o autor do único golo do jogo da 1ª volta (Foto: Site Oficial SL Benfica)
Renato Sanches foi o autor do único golo do jogo da 1ª volta (Foto: Site Oficial SL Benfica)

Mais a mais, o Benfica estará ciente das dificuldades que este oponente é capaz de apresentar, tendo para além da boa réplica deixada no acima comentado encontro referente à 1ª volta também no seu estádio, o D. Afonso Henriques, sido em grande parte superior ao rival directo das águias na luta pelo título, o Sporting, na partida disputada pelos leões em solo vimaranense. Como tal, está exibido o cartão de visita deste Vitória de Guimarães.

Atenção a Sérgio Conceição

Comparativamente com o vizinho e rival Braga, este Vitória tem o mesmo poder histórico mas não possui o mesmo estatuto europeu, não tendo tido a oportunidade de se mostrar além-fronteiras com encontros de Liga Europa frente a adversários poderosos como por exemplo o Fenerbahçe.

Mais: não possui sequer a mesma qualidade individual, ainda que registe efectivas melhoras a nível anímico em relação a um início de época penoso culminado com a eliminação da Taça de Portugal perante o Penafiel, da II Liga.

Pese o claro favoritismo encarnado, o clube de Guimarães possui as suas armas, e a principal deverá inclusivamente ser o próprio treinador, Sérgio Conceição, que ainda na época passada se autocaracterizou como “um treinador diferente dos outros”, timoneiro de um conjunto que já demonstrou ser das equipas que mais capitaliza o erro alheio quando se depara perante um dos ’três grandes’.

Sérgio Conceição já garantiu que de tudo fará para arrecadar pontos na Luz
Sérgio Conceição já garantiu que de tudo fará para arrecadar pontos na Luz

Desta forma, para sair vitorioso o Benfica terá de estar preparado para encontrar dois desafios de semelhante grau de dificuldade neste fim-de-semana que se aproxima. Caso consiga aplicar a moralização, atitude e acima de tudo a qualidade futebolística que lhe permitiu discutir o apuramento para as meias-finais da Champions com o todo-poderoso Bayern de Munique, tudo será manifestamente mais fácil.

Neste caso com uma motivação acrescida: caso bata o Vitória e o FC Porto pelo menos ’bata o pé’ ao Sporting, impondo um empate ou mesmo uma derrota aos leões, o clube da Luz poderá ambicionar a celebração da festa do título já no fim-de-semana seguinte, na Madeira.

Saber lidar com a pressão 

Isso será do conhecimento de Rui Vitória e seus pares, de quem se espera também um grande equilíbrio emocional não só para preparar a equipa tacticamente como para suportar vários outros tipos de pressões externas.

Com o aproximar do final desta Liga, serão expectáveis novos ‘mind games’ desde o outro lado da 2ª Circular por parte do Sporting, liderados por Jorge Jesus - já o fazia num passado recente quando ainda treinava precisamente o Benfica -, de quem se esperarão comentários com o intuito de incutir ansiedade.

Até porque, tal como fora do campo, no qual se tornou o grande protagonista da discussão referente aos direitos televisivos no futebol português, o Benfica protagoniza as atenções de mais esta Liga que em caso de sucesso poderá ser a terceira consecutiva para o emblema encarnado. Porém, antes de eventualmente confirmar esse marco terá mais três desafios para comprovar se se mantém capaz de suportar tamanha pressão.

Para agravar as dificuldades, a pressão nesta altura é também acima de tudo física numa equipa que vem sofrendo com desgaste como vem sucedendo com Kostas Mitroglou, a referência mais posicional do ataque benfiquista. Será inclusivamente o grego a grande dúvida do alinhamento titular benfiquista, mantendo-se a dúvida sobre a sua continuidade como titular ou se o cansaço que vem evidenciado pode levar à chamada do motivado Raúl Jiménez.