Não são apenas os mesmos de sempre...

Para além de Nico Gaitán e Jonas, são vários os futebolistas do Benfica a agitarem o mercado com um rol de interessados nos seus serviços.

Não são apenas os mesmos de sempre...
Não são apenas os mesmos de sempre...(Foto: lusogolo.com)

Praticamente terminada que está a época 2015/2016 para o Benfica, começa para os encarnados um outro campeonato muito importante - o de decidir entre as inúmeras ofertas quais as propostas a aceitar a fim de conseguir interessantes encaixes ou conseguir ter fulgor financeiro para recusar as restantes sob pena de perder competitividade no seu plantel e assim colocar em risco os extraordinários resultados conseguidos nas últimas três épocas.

Renato Sanches, como se sabe, assume-se como a única venda confirmada. Outros dispõem também de muito mercado, como Nico Gaitán e Jonas. No entanto, face à excelente campanha realizada, o interesse é praticamente generalizado e mesmo os jogadores de maior veterania, como o capitão Luisão, mantêm-se muito valorizados; no caso do «Girafa», as atenções mantêm-se no Brasil, sendo o defensor também seguido nos mercados limítrofes como a China, o Médio Oriente e os EUA.

Isto apesar dos seus quase 36 anos e duas intervenções consecutivas ao braço esquerdo que o impediram de dar o seu contributo à equipa durante grande parte desta época. O seu valor intrínseco como futebolista e a experiência internacional ainda são valorizados… Também no eixo da defesa se posicionam outros dos mais seguidos pelo mercado e já muito bem referenciados pelos grandes clubes, casos de Jardel e Victor Lindelof.

No caso do jovem internacional pela Suécia, que se pode ainda valorizar pelo facto de ter confirmada a sua presença no Euro 2016, podendo garantir com alguma facilidade a titularidade na sua selecção, este impressionou a Europa com várias grandes exibições - entre elas, «secou» Islam Slimani no mais decisivo derby da temporada em Alvalade no qual o Benfica venceu e alcançou a liderança para não mais a perder até ao final da Liga.

Até mesmo o «patinho feio» Eliseu suscita atenções graças à evolução demonstrada

Com isto, Nilsson Lindelof, como é conhecido nas suas origens nórdicas, chamou a atenção de grandes clubes como a Juventus ou o Manchester United que o seguem de perto. Mas não reside apenas nos centrais o enorme interesse do mercado na imponente muralha defensiva dos encarnados.

Até mesmo Eliseu, que passou de uma época, embora conquistando o título, em que deixou muito a desejar em termos defensivos, para uma temporada de excelência, reúne um leque de interessados. É fácil recordar um penalty que cometeu sobre Paolo Hurtado em Paços de Ferreira que valeu uma derrota que quase colocava o título em xeque na época passada; um ano mais tarde, o lateral esquerdo demonstra uma eficácia ainda superior.

Mais: disputará o Europeu ao serviço da Selecção Nacional… e ainda não teve anunciada a renovação contratual com o Benfica muito embora ambas as partes venham há algumas semanas dizendo que se trata apenas de um pró-forma.

Serão muitas as propostas a chegar à Luz por praticamente todas as peças do plantel

Segundo noticiou ontem o «Correio da Manhã», Eliseu dos Santos teve já o seu contrato renovado por mais uma época, o que torna bem mais improvável uma possível saída muito embora vários clubes de La Liga se encontrem dispostos a avançar para o esquerdino caso este se transfira a custo zero.  Numa situação um pouco diferente encontra-se Raúl Jiménez muito embora este tenha mantido as condições salariais de que dispunha quando representava o Atlético de Madrid.

No momento da sua transferência para a Luz, Jiménez teve direito a esse «benefício» que indica também que estaria longe de ser dos mais bem pagos no Vicente Calderón e que a juntar à aura que criou de «12º jogador» da equipa e de goleador fácil parece dar-lhe todos os motivos para pretender ficar na Luz.

No entanto, a sua convocatória para a Copa América, onde deverá assumir a titularidade ao serviço do México formando dupla com Chicharito Hernandez (estará neste momento em melhor situação que Oribe Peralta e Jurgen Damm, as restantes opções para a frente de ataque da «Tri»), e a possibilidade ainda em aberto de estar também nos Jogos Olímpicos colocam-no em montras bem apetecíveis.

Ciente da utilidade do seu atacante, o Benfica saberá sempre como negociar, podendo até recusar-se a fazê-lo… Mais um exemplo de como o defeso será movimentado na Luz. Alguns sairão, restará saber quem e quantos entrarão.