RX aos convocados: Renato Sanches

O médio Renato Sanches é uma das grandes esperanças do futebol português e, há quem fale, de uma titularidade no Europeu.

RX aos convocados: Renato Sanches
Renato Sanches é um dos médios eleitos para o Europeu // Foto: skysports.com

Renato Júnior Luz Sanches nasceu em Lisboa a 18 de agosto de 1997. Com pais nascidos em São Tomé e Príncipe e Cabo Verde, Sanches ingressou nas categorias de base do Águias da Musgueira quando tinha oito anos. Em 2006, quando tinha nove anos, começou a treinar no Benfica.

Fez a sua estreia pelo Benfica B a 5 de outubro de 2014, jogando 46 minutos no empate fora de casa 2-2 contra o Feirense. Após um ano a atuar pela equipa B, Sanches foi promovido para a equipa principal, inicialmente para treinos.

A 30 de outubro de 2015, Sanches fez a sua estreia na equipa principal, tendo apenas 18 anos, quando substituiu o atacante Jonas aos 48 minutos do segundo tempo, numa vitória por 4-0 contra o Tondela. Em maio de 2016 assinou contrato de cinco anos com o Bayern de Munique. O clube bávaro pagou um valor de 35 milhões, que pode atingir 45 milhões de euros, dependendo das atuações do jogador.

A transferência do jogador foi a mais cara de um português para o futebol estrangeiro, superando jogadores como Fábio Coentrão e Ricardo Carvalho. Com o valor fixo da transferência para o Bayern Munique, entrou diretamente para o terceiro lugar das maiores vendas de sempre aos 18 anos. A lista é liderada por dois ingleses, Luke Shaw e Wayne Rooney, ambos contratados pelo Manchester United com 18 anos, e por um valor a rondar os 37 milhões de euros.

Estreou-se pela Seleção Portuguesa principal a 25 de março de 2016, num amigável contra a Bulgária, entrando aos 74 minutos de jogo. Um jogador fisicamente forte, assume uma situação de um contra um com grande facilidade, tem uma meia-distância fortíssima, é rápido e tem uma boa colocação em campo. Em relação aos "números oito" tradicionais, tem uma vantagem: quando os jogadores são muito bons tecnicamente, regra geral descuram o aspeto defensivo, e Renato não faz isso -  vai com a mesma velocidade para a frente e para trás.