Rx aos convocados: Ricardo Quaresma

Ricardo Quaresma é sempre notado. Há quem o adore, quem o odeie, mas uma coisa é certa: o Mustang é um predestinado como há poucos, e a qualquer momento pode decidir qualquer jogo.

Rx aos convocados: Ricardo Quaresma
Quaresma é um dos eleitos por Fernando Santos e muito provável titular

Muitos olham para Ricardo Quaresma e veêm um miúdo que nunca se fez Homem, um miúdo que podia ter o mundo do futebol aos seus pés, mas que optou por seguir por outros caminhos. A verdade é que o "puto que não ia dar nada no futebol" chega ao Euro 2016 campeão num clube que o idolatra e num país em que, embora alguns alguns dos adpetos do nosso país não gostem de admitir, o futebol não é inferior ao português. Aos 32 anos, Ricardo Quaresma está na melhor fase da sua carreira e, se queremos ganhar o EURO, temos de contar com toda a magia que se encontra nas chuteiras daquele que um dia a imprensa nacional chamou "o Harry Potter".

Entre o regresso à seleção e o conflito com Lopetegui (na época 2014/2105), Ricardo Quaresma era visto como sempre fora: um virtuoso que trabalhava só para si. Se é verdade que alguns portistas estarão sempre ao lado de Lopetegui, que lhe retirou a braçadeira depois do incidente de Lille, talvez sejam muitos aqueles que reconhecerão que, se durante uma semana puderam sonhar com as meias-finais da Liga dos Campeões, o devem a Quaresma que, com toda a classe do mundo, acertou as contas que já tinha com Neur desde 2008 (quem viu o jogo sabe que os golos não foram tudo, Bernat que o diga).

Depois de uma época muito desgastante e que resultou em zero títulos, estava claro para todos que o FC Porto tinha de escolher entre Quaresma e Lopetegui. A direção optou pela solução e empurrou pela porta pequena alguém que um dia já ganhara muito pelo FC Porto. Se saiu pela porta pequena do Dragão, do outro lado da europa estava, pronto a recebê-lo, um clube que partilhara com Quaresma o amor que poucos clubes estabelecem com atletas estrangeiros (Será Quaresma o Futre do Besiktas?)

A equipa que viria a ser campeã turca era forte. Um clube que conta com a classe de Quaresma, um finalizador como Mario Gomez e em que estão a aparecer talentos como Ozyakup (atenção a este médio ofensivo turco no Europeu) é tão competitiva como qualquer grande português. Se Ronaldo chega ao EURO motivado pela conquista da Liga dos Campeões, também Quaresma chega motivado por ter sido campeão turco.

Para a VAVEL, Quaresma parte à frente de Nani na luta pela vaga de avançado que acompanhará Ronaldo na frente de ataque da seleção.

Futebol Português