Polónia vista a partir de dentro

A Polónia apresenta-se muito coesa enquanto equipa, possui um banco limitado, terá em Kamil Grosicki um elemento a ter em muita atenção e poderá sentir dificuldades com a irreverência de Ricardo Quaresma - estes são os principais pontos a reter para Marco Paixão e Luís Lousa, dois lusos em terras polacas.

Polónia vista a partir de dentro
Polónia vista a partir de dentro

Tal como em Portugal, o desafio frente à Polónia é também encarado com muita expectativa em terras polacas, onde se procura conhecer ao pormenor as forças e fraquezas da Selecção Nacional, chegando mesmo à solicitação do olhar… lusitano, com a imprensa polaca a procurar os pareceres de Marco Paixão, o mais emblemático futebolista português no país, e o agente FIFA Luís Lousa, que se divide precisamente entre os dois países, tornando-se ambos profundos conhecedores de ambas as selecções.

Se na Polónia foram convidados a fazer um ‘raio-x’ a Portugal, os dois portugueses realizam para VAVEL Portugal um exercício semelhante, esmiuçando os pontos fortes da turma polaca mas também as debilidades que a equipa nacional poderá explorar. Em suma, para além do internacionalmente conhecido Robert Lewandowski, a equipa polaca apresenta Kamil Grosicki num momento de forma a ter em conta, um banco muito limitado e uma defesa pouco expedita que um tecnicista como Ricardo Quaresma pode aproveitar:

Para Luís Lousa, da Polónia, Fernando Santos e os seus pares poderão esperar que “o seleccionador Adam Nawalka escolha como onze para o jogo o seu onze-tipo que tem sido colocado quase na íntegra em todos os jogos, tanto na fase de grupos como no jogo anterior, frente à Suíça. Relativamente à defesa, penso que não será complicado chegar lá; na direita certamente jogará Lukasz Piszczek; no meio-campo está no aspecto defensivo um dos focos desta equipa Grzegorz Krychowiak, do Sevilla e que na Polónia é apontado ao PSG numa transferência de 45 milhões de euros, que faz de tudo e é um jogador intocável nesta selecção, e depois a nível de médios existem vários jogadores, como Piotr Zielinski, jogador de 22 anos do Empoli que merece ser referido e que para o público polaco é tido como uma espécie de ‘patinho feio’,mas que no meu entender é muito bom".

"Como alternativa no meio-campo existe também Filip Starzynski que joga no Zaglebie Lubin, fez meros minutos neste Europeu e provavelmente não jogará muito; depois sim, nas alas está toda a diferença. Na esquerda, o Kamil Grosicki, do Rennes, e que se não me engano relativamente a números é praticamente um totalista, é sem dúvida um jogador que teremos de ter em atenção e veremos como está".

"No outro lado teremos Kuba Blaszczykowski, da Fiorentina, que dispensa apresentações. Penso que é um jogador que tem estado bem e que fez dois golos, um ‘golão’ frente à Ucrânia e o golo que ditou o apuramento frente à Suíça. No ataque, Lewandowski e Milik dispensam também apresentações; de resto, o terceiro avançado, que não fez ainda um único minuto e tenho muitas dúvidas que sequer jogue, é Mariusz Stepinski que, para ser sincero, penso ter sido apenas convocado para qualquer eventualidade ou contrariedade com os dois titulares: é ‘novinho’, inexperiente e foge um pouco à linha do que é habitual nos avançados polacos. Tem muito a crescer e não será solução em nada. A Polónia tem um banco relativamente fraco".

Marco Paixão joga na Polónia e deixou a sua opinião relativa à partida desta quinta-feira // Foto: Facebook Marco Paixão
Marco Paixão joga na Polónia e deixou a sua opinião relativa à partida desta quinta-feira // Foto: Facebook Marco Paixão

Quanto a Marco Paixão, de 31 anos e que se encontra inserido no estágio do Lechia Gdansk, “a minha opinião é a de que a selecção polaca é uma grande equipa que nos últimos anos cresceu muito desde que Nawalka está como treinador; tem crescido muito depressa e tem como ponto forte a união, pois jogam tacticamente muito bem e unidos como equipa. Depois destacaria um jogador de que gosto muito e que neste momento está muito bem que é Kamil Grosicki que é um jogador fantástico, muito rápido e que pode desequilibrar qualquer equipa e a qualquer momento".

"Basicamente teremos de acreditar. Acredito muito na selecção portuguesa e que Cristiano, Nani e Quaresma farão a diferença. Gostaria muito que Quaresma jogasse, pois pode desequilibrar muito a defesa polaca, é um jogador tecnicamente muito bom e isso poderá ser um factor de vantagem que poderemos ter para o jogo".