O emergir da pérola André Silva: juventude, irreverência e muitos, muitos golos para o dragão

O ataque do FC Porto conta em 2016/2017 com o génio do jovem goleador André Silva. Conheça o percurso do prodígio azul e branco que tem levado Nuno Espirito Santo a apostar na titularidade do jogador.

O emergir da pérola André Silva: juventude, irreverência e muitos, muitos golos para o dragão
André Silva, um goleador promissor que promete dar que falar.

Com Aboubakar fora das contas de Nuno Espírito Santo, André Silva tem vindo a emergir como sendo a principal seta apontada aos oponentes portistas ao longo da pré-temporada. A juventude do avançado não é sinónimo de inexperiência pelo que em 7 jogos de preparação, a pérola azul já fez o gosto ao pé por 7 vezes, uma média soberba de 1 golo por duelo. Será que é desta que o futebol luso encontrou finalmente um substituto digno de Pauleta na Selecção das quinas? Uma coisa é certa, o Porto tem em André Silva um avançado móvel, astuto estrategicamente e com uma margem de progressão enorme.

André Silva: o presente e o futuro do goleador dragão

Aos 20 anos, André Silva conta já com uma carreira muito interessante ao serviço das camadas jovens dos portistas, da Equipa B tendo ainda  brilhado inclusive com as cores da Selecção SUB 20 de Portugal. O potencial e a qualidade emergiram desde muito cedo mas perante a idade do jogador, poucos imaginariam que já tivesse conquistado um lugar de destaque no 11 do FC Porto, renegando Aboubakar para a condição de suplente. O mini craque portista ganhou espaço sob o comando de José Peseiro, tendo atingindo o auge na final da Taça de Portugal frente ao Braga. A jovem promessa azul e branca fez o Porto renascer das cinzas concretizando 2 golos que restabeleceram a igualdade depois dos minhotos terem registado uma vantagem de 2-0. Quando os invictos pareciam condenados na partida, André Silva assumiu as rédeas do dragão e surgiu firme na área concretizando a tentos de belo efeito, sendo de salientar que o golo do empate se registou ao minuto 90 com um gesto técnico incrível de pontapé de bicicleta. O Porto acabaria por perder a final nas grandes penalidades, mas a bicicleta de André Silva fazia antever um futuro a curto prazo de grandiosas e celebres pedaladas do jovem artilheiro. Esta exibição no Jamor ocorreu depois de Fernando Santos divulgar a lista dos 23 eleitos para o Euro, facto que suscitou algumas criticas em torno da ausência de André Silva do lote. O avançado viu Portugal sagrar-se campeão europeu pela televisão, mas o foco do craque já estava em iniciar a pré-época no Olival para justificar toda a expectativa criada no seu talento. A verdade é que é raro surgirem avançados de raiz com a qualidade de André Silva, podendo ser equiparado a Nuno Gomes ou Pauleta. A entrada de Nuno Espírito Santo na cadeira de sonho do Dragão em nada atrasou o emergir da jovem pérola e tem sido sem surpresa que André Silva se tem evidenciado como titular na frente de ataque azul e branca. Até agora, André Silva festejou 7 tentos em 7 testes portistas na pré temporada, um registo formidável que tem vindo a fazer as delicias dos exigentes adeptos azuis e brancos. De todos estes golos, destaque para o tento marcado ao Bayer Leverkusen que salientou ainda mais  o talento incomum do jovem dragão. No lance do festejo, André Silva respondeu muito bem a um cruzamento de Octávio concretizando um golo inteligente pleno de técnica e de poder de antecipação perante uma equipa alemã que terminou a Bundesliga na terceira posição.

Mais recentemente, o jogador bisou frente ao Vitória SC mostrando que tem a pontaria afinada para demolir as redes do adversário portista no play-off de acesso à fase de grupos da Champions. É certo que os invictos estão no mercado por um ou dois avançados mas André Silva tem justificado a aposta firme do técnico azul e branco sendo incrível observar a rapidez e a astúcia com que o atleta luso assimilou os processos de jogo do novo treinador. O prodígio formado no Olival é hoje um jogador que integra um sistema de jogo muito dinâmico que o obriga a movimentar-se muito na frente combinando intensamente com os médios e os extremos. Ao ser um artilheiro móvel o dragãozinho baralha as marcações contrárias fazendo sobressair a sua inteligência e rapidez de processos para se antecipar extraordinariamente bem aos defesas para poder fazer o gosto ao pé. No capítulo da finalização é de realçar que o jogador tem um potencial soberbo para furar as redes com o pé esquerdo, direito e cabeça. Se é tudo isto aos 20 anos abre ainda mais o apetite para acompanhar a evolução do mini craque da invicta. Imaginando agora o cenário de André Silva na equipa das quinas, seria interessante integrar o jovem ao lado de Cristiano Ronaldo, uma vez que André Silva possui, com as devidas comparações, algumas semelhanças com Benzema. Quem sabe se a próxima dupla lusa para o Mundial não será esta? No futebol o que hoje é uma certeza amanhã deixa de o ser mas no presente André Silva é literalmente um "filho do Dragão" pronto a devolver a mística azul e branca que tem vindo a desaparecer nos últimos 3 anos.

Futebol Português