Chaves x Benfica: Ousadia do Chaves despertou o controlo do campeão

A corajosa primeira metade do Desp. Chaves, que desperdiçou uma soberana oportunidade para sair para intervalo em vantagem, acordou o Benfica, que assumiu o controlo na etapa complementar e aí sim, venceu com justiça.

Chaves x Benfica: Ousadia do Chaves despertou o controlo do campeão
Custou, mas o Benfica venceu // Foto: Facebook do SL Benfica

Pouco menos de 24 horas após os principais rivais terem vencido os seus encontros, especialmente o Sporting, que dessa forma ascendia de forma provisória à liderança, o Benfica tinha pela frente uma deslocação a ter em muita atenção. A partida colocava as águias em confronto com um dos ‘meninos bonitos’ desta Liga, pelo futebol atractivo e inexistência de derrotas até então, como é o caso do Desportivo de Chaves.

Na véspera, Rui Vitória havia-se mostrado bem ciente das dificuldades que poderiam esperar o Benfica em Trás-os-Montes e não mexeu um milímetro na sua ideia, e com isso voltou a dar-se bem. Mas não sem antes o Chaves ter colocado o tricampeão em teste, com uma 1ª parte ao nível de um emblema de dimensão europeia, jogando com desassombro e a campo inteiro com um adversário de potencial bastante superior.

A coragem da equipa transmontana chegou durante grandes períodos da 1ª metade a colocar o Benfica em sentido, muito embora fossem as águias a dominar no aspecto de posse de bola. De qualquer forma, o Desp. Chaves ligava os seus sectores com visível qualidade, o que acabou por denotar-se em vários lances de muito perigo, dois deles de maior realce, sendo que o primeiro terminou mesmo com o esférico no fundo das redes - mas o remate do ponta-de-lança flaviense, Rafa, foi devidamente invalidado por fora-de-jogo aos 19 minutos. Já perto do intervalo, três oportunidades numa jogada só…

Flagrante tripla oportunidade desperdiçada pelo Chaves deu o mote para a reentrada benfiquista

Pelo meio, também o Benfica teve o seu tento anulado por adiantamento a Kostas Mitroglou, neste caso erradamente, num lance no qual era apenas Pizzi o futebolista adiantado em relação à defensiva adversária, e não o grego que apontava assim um golo sem efeitos práticos. Quanto ao Chaves, recorde-se, aos 40 minutos esteve bem perto de abrir a contagem numa tripla oportunidade dividida entre remate ao poste de Braga, novo… remate ao poste, por Fábio Martins, e uma quase inexplicável perdida de Perdigão com a baliza completamente à sua mercê.

Mitroglou viu o seu primeiro tento anulado // Foto: Facebook do SL Benfica
Mitroglou viu o seu primeiro tento anulado // Foto: Facebook do SL Benfica


Para consolo dos encarnados, o atacante brasileiro do Desp.Chaves atirou ao lado, e na 2ª parte, devidamente avisado, o Benfica tomou atitude, e com razão de ser: 45 minutos que deixam bem explícito o potencial para toda a época de um conjunto que ameaça constituir-se um dos mais incómodos visitados de toda a Liga, tornando Chaves uma casa tão perigosa como os tradicionais Restelo, Braga, Ilhas e outros tantos, e mais um obstáculo que dará ainda mais interesse ao nosso Campeonato.

2-0 apontado por Pizzi teve o condão de sentenciar um desafio que o Benfica teve de "puxar para si"

Assim sendo, avisado, o Benfica tomou as rédeas do jogo, tendo conseguido inclusivamente marcar… e novamente Mitroglou, aos 62 minutos, num remate certeiro, desta feita correctamente anulado pela equipa de arbitragem. No entanto, bastaram mais 7 minutos para que finalmente, e ao fim de duas tentativas inválidas, o goleador grego conseguisse atirar a contar, e a valer, respondendo de cabeça a um livre exemplarmente cruzado por Alex Grimaldo a partir da direita para o interior da área, para se tornar a figura de maior decisão de todo o encontro. Ficava o aviso sobre esta águia mais intensa, que cumpria o objectivo de se adiantar no marcador.

Foto: Facebook do SL Benfica
Foto: Facebook do SL Benfica

Apesar de a equipa da casa ter procurado ripostar, nesta altura o controlo emocional pertencia em exclusivo ao conjunto encarnado, que aos 84 minutos sentenciou mesmo o resultado com o 0-2 através de uma atempada recarga de Pizzi à entrada da área, após um primeiro livre directo que embateu nos membros inferiores de um dos elementos do Chaves que compunha a barreira, mais concretamente o central Leandro Freire.

A partir daí, passou-se para balanço final e para a conclusão de que o Benfica asseguraria mesmo mais três pontos numa casa difícil e assim se apoderaria novamente da posição de líder, que apenas perdeu de forma provisória e durante algumas horas.

Futebol Português