Diogo Jota dá vitória ao dragão na Choupana

O FC Porto visitou e venceu no passado sábado o Nacional da Madeira por 4-0. Diogo Jota foi o homem da partida, ao fazer três golos, tendo o quarto sido apontado por André Silva. Com este triunfo os dragões colaram-se ao Sporting no segundo lugar do campeonato.

Diogo Jota dá vitória ao dragão na Choupana
Diogo Jota dá vitória ao dragão na Choupana

Depois da derrota europeia em Leicester, esperava-se uma reacção dos azuis-e-brancos num reduto tradicionalmente difícil para o FC Porto. Para o desafio da Choupana, Nuno Espírito Santo fez entrar Diogo Jota e Herrera para o onze inicial, em detrimento de André André e Adrián Lopez.

Tais alterações deram aos portistas maior acutilância no meio-campo e verticalidade nos flancos. Com uma entrada a todo o gás, o FC Porto adiantou-se no marcador logo aos 11 minutos; assistência de Herrera para Diogo Jota que não se fez rogado e fez o primeiro da partida.

Diogo Jota festeja o primeiro do Porto
Diogo Jota festeja o primeiro do Porto

Desde aí os azuis-e-brancos nunca mais perderam o controle das operações, conseguindo mesmo aumentar a vantagem; aos 38 minutos foi a vez de André Silva servir Diogo Jota que, na cara do guardião madeirense, picou o esférico para um golo de belo efeito.

O FC Porto dominava a toda a linha e, apesar dos dois golos de vantagem, não tirou o pé do acelerador. Em cima do intervalo, Layún cruza da direita e, quem haveria de ser, Diogo Jota empurra para o hat-trick. Resultado e triunfo construído na primeira parte.

Colegas festejam com Jota a obtenção de mais um golo
Colegas festejam com Jota a obtenção de mais um golo

Como seria de esperar, o segundo tempo foi jogado a um ritmo mais baixo, o Nacional continuava inofensivo, permitindo aos dragões jogar a seu bel-prazer e a velocidade de cruzeiro. Apesar disso, tal situação não impediu os homens de Nuno Espírito Santo de aumentar a vantagem; 58 minutos e Otávio a servir André Silva que fez o seu golo.

André Silva aproveitou para picar o ponto
André Silva aproveitou para picar o ponto

Até final pouco mais houve para contar, com um FC Porto dominador, e um Nacional demasiado macio na defesa e inofensivo no ataque; os alvinegros não conseguiram por uma única vez incomodar Iker Casillas, que teve a noite mais tranquila da época. Nota apenas para a expulsão de Tobias Figueiredo aos 88 minutos por acumulação de cartões amarelos.

Com este triunfo o FC Porto cola-se ao Sporting no segundo lugar do campeonato, a três pontos do líder Benfica. Já o Nacional interrompeu a sua recuperação na tabela, sendo agora o 15º classificado, a um ponto da “linha-de-água”.