Homenagem VAVEL: Peyroteo e Eusébio, 75 golos de história nos derbies lisboetas

Em vésperas do empolgante derbie de Lisboa recorde os talentosos, os míticos e os goleadores Peyroteo e Eusébio, que juntos somaram 75 tiros certeiros nos embates entre rivais que marcaram o futebol luso do século XX.

Homenagem VAVEL: Peyroteo e Eusébio, 75 golos de história nos derbies lisboetas
Os antepassados do derbi lisboeta.

No próximo Domingo, os ataques dos rivais da capital deverão contar com Mitroglou e Bas Dost mas para abrir o apetite do mega duelo da jornada 13 da Liga NOS é incontornável viajar no tempo e relembrar com saudade os matadores de outros tempos. No Sporting é impossível esquecer o maestro da orquestra dos 5 violinos Peyroteo e no Benfica é inevitável lembrar o grande pantera negra Eusébio

Juntos somam 75 tentos nos derbies que disputaram e lideram a restrita lista dos melhores artilheiros de sempre em jogos entre Benfica e Sporting. Peyroteo tocava nas cordas da melodia dos derbies.

No restrito  leque de avançados que ao longo da história marcaram a eternidade do Sporting CP destaca-se um, de seu nome Peyroteo. Tratava-se de um verdadeiro fenómeno goleador que encarava qualquer guardião com a certeza que iria furar as redes. Representou os leões entre 1937 e 1949 e era o maestro da famosa orquestra futebolística dos 5 violinos. 

Neste período, o mítico artilheiro ganhou especial apetência para fazer o gosto ao pé em duelos frente ao velho rival Benfica, jogos em que evidenciava toda a sua classe e instinto para marcar golos. Os tentos eram para todos os gostos e só diante as águias, Peyroteo festejou 48 golos numa era em que os eternos rivais mediam forças 6 a 7 vezes por época. 

Este emblemático dianteiro lidera a lista dos melhores marcadores em derbies e servirá de exemplo a Bas Dost que se prepara para o seu primeiro Benfica x Sporting, 67 anos depois de Peyroteo ter terminado a sua aventura de leão ao peito. Como jogador, Peyroteo era um ícone, um líder e um portento de técnica mas era sobretudo um dos melhores pontas de lança de sempre do futebol lusitano.

Pantera Eusébio caçadora de leões

A história do SL Benfica confunde-se por vezes com a de Eusébio da Silva Ferreira, provavelmente a maior figura de sempre das águias e  uma das mais incontornáveis do desporto rei mundial. Em tempos, o Sporting tentou desviar Eusébio mas o destino do pantera negra era vermelho e foi de águia ao peito que o mítico bola de ouro brilhou precisamente nos duelos frente ao velho rival leonino. O pantera negra marcou fintou e  massacrou inúmeras vezes o  Sporting num período que se iniciou em 1962 e que terminou em 1973. 

Dos empolgantes derbies que jogou, Eusébio disparou 27 tiros certeiros e ocupa a segunda posição na lista dos matadores em jogos entre os dois clubes da capital. É simples descrever Eusébio: perícia, velocidade, técnica, espírito guerreiro e um dom único para fazer da baliza a sua segunda casa. 

É um exemplo para Mitroglou que até já sabe o que é festejar golos diante o Sporting mas tem ainda muito que correr para ficar na história do derbi dos derbis, o Benfica x Sporting ou o Sporting x Benfica, um duelo à parte que reúne lisboetas verdes e vermelhos e que merece sempre ser recordado e eternizado como o grande espectáculo do futebol luso.

Futebol Português