Pizzi e Salvio «falam» por Vitória

A importância de Pizzi e Toto Salvio para a estratégia de Rui Vitória revela-se até pela forma como ambos personificam as habituais expressões proferidas pelo técnico.

Pizzi e Salvio «falam» por Vitória
Pizzi e Salvio «falam» por Vitória

Com a Liga NOS em pausa devido a celebrações natalícias, o tema em voga no panorama desportivo nacional será claramente o balanço à carreira daquele que vem desde há algum tempo liderando a competição como é o caso do Benfica que se coloca no topo da tabela com 4 pontos de avanço sobre o 2º classificado, o FC Porto. Com duas jornadas de Taça da Liga (Taça CTT) de permeio, quais são para já os méritos maiores do comandante da classificação geral da Liga portuguesa?

Neste momento, olhando ao desempenho individual de cada um, parece evidente que o Benfica possui dois «jogadores do treinador». Uma expressão normalmente pejorativa em futebol mas que no caso das águias é indicativo da estreita ligação entre o técnico e a inteligência táctica de dois futebolistas em particular que apresentam a capacidade de praticamente dar corpo a expressões que o seu líder habitualmente utiliza sempre que chamado a comunicar.

Encarnados não abdicam de Pizzi e Salvio sempre que ambos estão à disposição

Na globalidade a unidade mais visivelmente influente será com toda a certeza Pizzi, um atleta que no momento actual representa a transposição para o relvado do espírito que o técnico Rui Vitória pretende transmitir e que vai repetindo a cada intervenção pública, a já quase frase feita «temos muita vontade de vencer». No centro do terreno, assumindo as funções de estratega, Pizzi é hoje fundamental para o conjunto encarnado.

Não tão cerebral, não tão insubstituível mas igualmente importante para a manobra da equipa surge o vice-capitão de equipa Salvio, outro futebolista do qual o seu treinador também não abdica; o seu estilo aguerrido no processo ofensivo, mas também sempre que a equipa se vê na necessidade de defender, parece sustentar o respeito que Rui Vitória demonstra pelos adversários sempre que afirma que «do outro lado vamos encontrar uma equipa perigosa». Normalmente, quando Salvio se exibe ao seu nível, o adversário acaba por não ser tão perigoso assim…

Ambos parecem personificar as expressões de Rui Vitória, mas não defrontarão o Paços pela Taça da Liga

Curiosamente, no próximo desafio dos encarnados nem Pizzi nem Salvio serão opção para a entrada da equipa na edição desta temporada da Taça da Liga - o médio português encontra-se suspenso por um jogo, pois aproveitou para «limpar a ficha» de forma a estar preparado para o regresso da Liga, que acarretará uma visita a Guimarães para enfrentar o perigoso Vitória, ao passo que o extremo argentino se encontra limitado por uma lesão contraída na importantíssima vitória alcançada sobre o grande rival Sporting.

Pese a importância de ambos, as alternativas disponíveis (Samaris/Danilo e Gonçalo Guedes, previsivelmente), parecem oferecer totais garantias de sucesso para uma entrada certeira para a defesa de mais este título da turma encarnada vencendo o Paços de Ferreira.