Faltava um Xerife Felipe

Felipe assumiu-se como o indiscutível patrão da defesa do FC Porto e será uma das esperanças maiores de sucesso em compromissos de exigência máxima como a próxima recepção ao rival Sporting.

Faltava um Xerife Felipe
| Foto: Facebook Oficial FC Porto

Após um início de temporada periclitante, o FC Porto parece ter encontrado o seu equilíbrio, em especial devido a um consistente sector defensivo que não só suporta todo o sucesso actual como permitiu que a equipa se mantivesse à tona quando os resultados não eram os melhores e a crise ofensiva que assolou os azuis-e-brancos chegou a ameaçar colocar em causa a concretização de todos os objectivos idealizados para a temporada. Grande mérito deste equilíbrio está numa excelente acção de mercado realizada pela equipa no início da época - Felipe.

Defensivamente, o brasileiro ofereceu todas as garantias que vinham faltando à defensiva do FC Porto no período que antecedeu a sua chegada e com direito a bónus: a sua capacidade no futebol aéreo permite-lhe também marcar golos e assim contribuir de forma directa para a obtenção de vitórias. Tendo em conta que dentro de um par de semanas o dragão enfrenta uma dura eliminatória europeia frente à Juventus, será sempre possível sonhar com a entrada no apetecível lote das oito melhores equipas europeias apesar das dificuldades que se esperam…

Determinante no Clássico

Com Felipe na liderança da defesa, não apenas a eliminatória relativa aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões se torna um aliciante desafio para o FC Porto: será preciso não esquecer que já na jornada que segue a este fim-de-semana o conjunto da Invicta terá a visita do Sporting, um rival directo que ainda nos últimos dois confrontos directos venceu, tanto em Alvalade como no Porto, de forma convicta, um cenário que este agora fortalecido dragão esperará contrariar…

Atendendo às dificuldades passadas pelos dois antecessores de Nuno Espírito Santo, poderá também afirmar-se sem ponta de exagero que tanto Julen Lopetegui quanto José Peseiro muito teriam gostado de contar com Felipe e que com este Xerife brasileiro no comando do sector mais recuado muito possivelmente este último não teria saído de uma forma tão fugaz com direito apenas a um acordo de rescisão da ligação entre ambas as partes e um comunicado oficial a anunciar o mesmo, tamanha e tão natural foi a sua afirmação num sector tão determinante para o dragão.

Provas dadas, reflectidas no valor 

Acaba por ser ainda mais surpreendente, mais do que a plena afirmação do central ex-Corinthians, a rapidez com que o fez, atingindo uma proeza que muitos jogadores de qualidade há anos procuram, muitos deles de nacionalidade portuguesa e até mesmo internacionais, seja pelas camadas jovens seja mesmo com internacionalizações AA.

Isso será o que mais claramente atesta a qualidade imediata de Felipe que chegou e desde logo se impôs, não tendo necessitado de ’aprender’ como alternativa no banco ou na bancada ou mesmo com uma temporada (outros necessitam até de mais) de empréstimo até atingir o nível a que as exigências dos azuis-e-brancos obrigam. Hoje no Dragão Felipe é nome forte e sem discussão.