A intensa luta pela permanência: Tondela e Nacional perto do abismo

A 8 jornadas do fim da Liga NOS acompanhe as dramáticas contas pela permanência. Estarão Tondela e Nacional condenados?

A intensa luta pela permanência: Tondela e Nacional perto do abismo
A intensa luta pela permanência: Tondela e Nacional perto do abismo

As contas são simples, e na maior parte das épocas basta atingir a tão falada barreira dos 30 pontos para que uma equipa garanta a manutenção na primeira liga. Neste momento o Tondela e o Nacional estão à beira de cair de escalão, mas será assim tão certo que sejam despromovidos?

Paços de Ferreira e Arouca: falta o tal passo para tranquilizar

Na Capital do Móvel falta muito pouco para que o Paços de Ferreira possa dormir tranquilamente à cabeçeira da manutenção. Os castores ocupam a 13ª posição da tabela com 27 pontos, e têm apresentado uma evolução técnica e táctica interessante, que culminou com o recente empate diante o Benfica. Para chegar à tal marca simbólica dos 30 pontos basta vencer um duelo, e com a boa organização e qualidade não deverá ser difícil de alcançar. O Paços é uma equipa segura, forte a jogar em casa e tem algumas individualidades que  podem resolver qualquer partida, como é o caso de Welthon, que leva já 11 tentos na Liga.

O Arouca soma exactamente os mesmos 27 pontos no 14º  posto, mas está a muitos "Paços" de respirar tranquilidade. A Era de Manuel Machado foi curta e os arouquenses atravessam uma série negra de 6 derrotas consecutivas. A solidez defensiva apresentada com Lito Vidigal parece ter emigrado com o técnico, ou seja, o Arouca é hoje uma equipa frágil e previsível, mas acima de tudo desmotivada. A permanência está perto, e com a chicotada psicológica os nortenhos poderão até acelerar rumo a uma ponta final de temporada mais vitoriosa. No entanto, é no mínimo instável ter 3 treinadores numa só temporada.

A luta intensa que duas equipas perderão

Com Paços e Arouca teoricamente mais confortáveis, restará ao Estoril, Moreirense, Tondela e Nacional travar as restantes 8 batalhas com todo o empenho para fugir da segunda liga. Em disputa estão 24 pontos por conquistar, e nesta fase o Estoril é quem surge em 15º lugar com 22 pontos e com muito mais consolidação estratégica com Pedro Emanuel. É verdade que o Estoril teve uma primeira volta conturbada e instável, mas com a chegada do novo treinador a equipa joga muito mais organizada e focada em manter um lugar na primeira divisão. Dos 24 pontos, poderão chegar 8 para garantir que o Estoril não morrerá na praia.

O Moreirense segue logo a seguir no 16º posto com 21 pontos, e com a motivação extra de ser a única equipa lusa com um título em 2017. No entanto, muita coisa mudou desde a conquista da Taça da Liga. As saídas dos motores da equipa Francisco Geraldes e Podence retiraram técnica e imprevisibilidade à equipa, e nem mesmo a Taça CTT salvou Augusto Inácio de receber a carta de demissão. Com o novo treinador o Moreirense espera que a distância para a manutenção seja "Petit", e para tal necessitam, provavelmente, de 9 pontos para somarem aos 21 já conquistados.

Por fim, o cenário dos lanternas vermelha é simples: Nacional e Tondela ocupam as duas últimas posições e têm ambos 17 pontos, e precisam urgentemente de vencer no mínimo 4 jogos e empatar outro. Estas duas equipas têm apresentado o futebol mais pobre da Liga NOS, pelo que terão de mudar drasticamente para que a segunda liga seja apenas uma miragem.