Análise VAVEL ao “4º grande”: Luta de rivais do Minho

A disputa pelo quarto posto está ao rubro com os velhos rivais de Braga e Guimarães em igualdade pontual na Liga NOS. Quem irá vacilar?

Análise VAVEL ao “4º grande”: Luta de rivais do Minho
Braga e Vitória em luta directa pelo 4º lugar da Liga NOS.

O empate infantil do SC Braga diante o Marítimo deu ainda mais vida à luta pelo quarto lugar do campeonato. Os dois emblemáticos clubes do Minho, Braga e Vitória repartem o lugar abaixo do pódio com 47 pontos e a disputa promete ser guerreira a 7 jornadas do fim da Liga NOS. 

Braga vs Vitória: o prestígio e o orgulho do Minho em causa

Com o quarto lugar da Liga NOS no horizonte, os eternos rivais do Minho, SC Braga e Vitória SC encontram-se empatados pontualmente com uma ligeira vantagem para os bracarenses na diferença de golos. Ambas as equipas somam 47 pontos mas a solidez, estabilidade e qualidade de jogo está longe de estar empatada.

Ao analisar o momento de forma de um e outro emblema facilmente se constata que o Vitória SC se encontra mais estável que o Braga em vários aspectos. Os vimaranenses orientados pelo extraordinário estratega, Pedro Martins têm vindo a ganhar uma estabilidade técnica e táctica  soberba que tem permitido ao Vitória brindar o D. Afonso Henriques com jogos vitoriosos e com um futebol com um nível de nota artística assinalável. 

Estará ainda presente por exemplo o empate a 3 do Vitória diante o Sporting depois de ter estado em desvantagem na primeira volta, que evidenciou a alma guerreira e a qualidade inegável dos seus jogadores. Desde então que o clube de Guimarães viu Soares rumar ao Porto, viu Marega estar fora alguns jogos, sem que a qualidade e a organização se perdessem. A verdade é que o colectivo de Pedro Martins parece estar talhado para o quarto lugar e com passaporte quase garantido para o Jamor. 

Actualmente, o núcleo duro do Vitória conta com jogadores talentosos como Hurtado, Marega, Rafael Martins e Hernâni, mas o principal segredo da excelente época até agora é o espírito ambicioso do treinador que reuniu sempre a confiança da direcção tendo construído uma equipa competitiva, organizada e talentosa. 

Paradoxalmente, o Braga surge em quinto lugar com os mesmos 47 pontos do Vitória mas acontece que a temporada bracarense está a léguas de corresponder às expectativas. Os arsenalistas foram prematuramente afastados da Liga Europa num grupo acessível e já estão há muito incapacitados de revalidarem a conquista da Taça de Portugal.

No início da temporada, o treinador José Peseiro assumiu o comando técnico dos arsenalistas com a ambição e a crença de repetir o sucesso alcançado na sua primeira passagem em Braga. Os maus resultados na Liga Europa e o afastamento das taças levaram o presidente minhoto a trocar de treinador a meio da temporada. Acontece que, o seu sucessor, Jorge Simão apresenta uma média de vitórias na liga portuguesa bastante abaixo do seu antecessor. 

O Braga é hoje uma equipa previsível, com um futebol pouco perfumado e com uma rotatividade no onze por vezes, inesperada. O recente empate em casa frente ao Marítimo espelha a instabilidade dos bracarenses, uma vez que consentiram um empate a três depois de estarem a vencer por 3-0 ao minuto 25 da 1ª parte. 

Os dois rivais minhotos estão em igualdade também no que se refere ao confronto directo, uma vez que registaram uma vitória para cada lado. A qualidade do plantel arsenalista é manifestamente superior à da maioria das equipas da Liga e não se compreende como é que tendo jogadores como Marafona, Pedro Santos, Alan e Rui Fonte não conseguiu alcançar os feitos esperados. 

No futebol, o que hoje é verdade amanhã pode perfeitamente deixar de o ser e apesar do Vitória Sc se encontrar em melhor forma técnica e táctica, o Braga tem qualidade para de um momento para o outro dar a volta à má fase. Aguardando-se uma recta final de campeonato apaixonante na disputa pelo 4º lugar.

Futebol Português