Jorge Jesus & PSG: Paris no horizonte é desejo (ainda) informal

Antero Henriques está prestes a tomar o cargo de director desportivo do PSG e pretende fazer de Jorge Jesus o novo treinador dos parisienses. As conversações seguem a bom ritmo mas ainda no domínio informal. O VAVEL informa-o sobre os cenários possíveis.

Jorge Jesus & PSG: Paris no horizonte é desejo (ainda) informal
Jorge Jesus com Paris no horizonte?

Aperta-se o cerco parisiense a Jorge Jesus, mas as negociações encontram-se ainda numa fase embrionária: segundo apurou VAVEL, é facto consumado que a vontade de Antero Henrique (que será apontado como novo director desportivo do Paris Saint Germain após a final da Taça) é a de substituir o espanhol Unai Emery pelo técnico luso de 62 anos, existindo já conversações adiantadas rumo a esse desfecho, mas a decisão final depende de vários factores ainda por esclarecer.

Com a ambição de reestruturar a formação do PSG, Antero Henrique encontra-se ainda a negociar, com o presidente Nasser Al-Khelafi, a abrangência dos poderes enquanto futuro director desportivo, tendo já apresentado a 'solução Jesus', que, embora respeitada pelo magnata catari, não é totalmente unânime entre os membros da estrutura directiva parisiense. A falta de currículo internacional é apontada como um dos 'handicaps' de Jesus, ao passo que uma considerável porção dos adeptos pede a continuidade de Emery.

Antero vê em Jorge Jesus a solução ideal para a regeneração do dispendioso projecto dos Les Rouge-et-Bleus e já abordou o técnico do Sporting. Este, dadas as circunstâncias vividas em Alvalade, encara com agrado a mudança para a capital francesa - a degradação progressiva da relação com o presidente leonino e o tom desmotivador que pautou o ocaso da época (derrotas diante do Belenenses e Feirense) tornam a saída para França ainda mais lógica para experiente timoneiro, que poderá aventurar-se, pela primeira vez, no futebol estrangeiro.

Mas, apesar do bom trilho tomado pelas conversações entre Antero e Jesus, faltam ainda os pareceres positivos da estrutura directiva do PSG, que, sabe o VAVEL, está longe de ter tomado uma decisão definitiva; pode dizer-se, por agora, que os avanços existem de facto, mas estão ainda no domínio informal, carecendo pois de análise formal por parte de Nasser Al-Khelafi. Neste cômputo inclui-se o pagamento da rescisão contratual entre Jesus e os Leões e a desvinculação de Emery (que possui mais 1 ano de contrato).

Incerta é ainda a possibilidade do clube francês pagar os 15 milhões de euros para resgatar Jesus - caso avance para a contratação do técnico português, o PSG terá ainda que indemnizar o actual treinador, o que, sem regateio, implicaria desembolsar uma quantia a rondar os 20 milhões de euros. Ora, tal não é, por enquanto, um dado adquirido, contrariamente àquilo que a imprensa nacional adiantou. O clube de Paris entrará na ronda de negociações esperando alguma flexibilidade por parte da direcção leonina - condição que está longe de ser uma certeza.

Os ecos vindos de França são praticamente inaudíveis, com a imprensa gaulesa a limitar-se a citar as fontes da sua homóloga portuguesa. Após a final da Taça francesa (jogada esta noite às 20 horas) novos dados serão conhecidos, mas, convém relembrar, muitos passos processuais são ainda necessários para que Jesus abandone o Sporting e assine pelos vice-campeões da Ligue 1. Pela vontade dos dois portugueses envolvidos, tudo seria, sem dúvida, bem mais fácil de solucionar.