Bruma: A eterna promessa

Com apenas 22 anos, Bruma já tem uma longa história para contar. Desde os seus tempos de júnior no Sporting, o extremo sempre mostrou um talento nato; contudo, e devido a inúmeros factores, a carreira do guiniense não seguiu os trâmites habituais.

Bruma: A eterna promessa
Bruma: A eterna promessa

Armindo Tué Na Bangna, mais conhecido por Bruma no universo futebolístico, chegou ao Sporting em 2007 com apenas 13 anos de idade. Em Alcochete o extremo seguiu o seu caminho ao longo dos escalões de formação dos leões até chegar aos júniores em 2011.

Mostrando sempre um talento acima da média, era apenas uma questão de tempo até o jovem Bruma saltar para as equipas profissionais. Com efeito, e com a restauração da equipa B do Sporting, o guiniense começou a época 2012/2013 na segunda equipa dos leões.
Com 23 jogos e sete golos, Bruma saltou à vista numa época onde o futebol sénior do Sporting passava por enormes dificuldades. Com esta conjuntura, o extremo deu finalmente o passo seguinte rumo à equipa principal dos leões, na altura treinada por Jesualdo Ferreira.

Foto: desporto.sapo.pt
Foto: desporto.sapo.pt

A temporada seguinte foi de profundas mudanças no reino do leão. Com a nova direcção veio também uma nova equipa técnica e uma consequente reestruturação do plantel leonino. Apesar disso, Bruma era visto como uma promessa a potenciar, tendo assim um lugar no plantel de Leonardo Jardim.

Tal situação acabou por não se concretizar. Com muitos jogos de empresários e bastidores à mistura, Bruma e o seu empresário entraram em litígio com o Sporting exigindo melhoradas condições contratuais a um jogador que apenas tinha 13 jogos ao serviço da equipa principal da época anterior.

Bruno de Carvalho e a sua direcção não cederam às exigências do jogador, alguém que era extremamente influenciado pelo seu empresário Cátio Baldé. O Sporting terá levado a melhor no braço-de-ferro, acabando por vender Bruma ao Galatasaray por 12 milhões de euros.

Bruma teve um início modesto em terras otomanas, realizando apenas 15 jogos na sua primeira época ao serviço do "Gala". O gigante turco acabou por emprestar o extremo ao Gaziantepspor em Janeiro; todavia, Bruma não realizou um único jogo com esse clube, muito devido a problemas físicos.

No ano seguinte o guiniense finalmente ganhou o seu espaço no plantel, completando a temporada na equipa principal. Tal não impediu que Bruma fosse novamente emprestado em 2015, desta vez para a espanhola Real Sociedad onde teve um desepenho agradável.

As constantes mudanças e temporadas irregulares de Bruma levaram-no a perder o seu espaço na selecção nacional. Todavia, a temporada passada foi a melhor na carreira do jovem extremo. Pelo Galatasaray, Bruma fez 37 jogos e 11 golos, prestação que lhe mereceu, não só a transferência para os alemães do Leipzig, como também o regresso à selecção portuguesa.

Bruma é um jogador de inegável talento, contudo, muitos defendem que ao jovem extremo falta consistência, estrutura e estabilidade mental fora das quatro linhas para chegar a níveis superiores. Mais um pleno exemplo de que nem só de bons pés vive um jogador de futebol.

Futebol Português