Europeu de Futsal: obra-prima de Ricardinho não evita desaire frente à Sérvia

Num jogo que decidia o líder do grupo A foi a Sérvia a levar a melhor por 3 bolas a 1. Apesar da derrota, o jogo fica marcado pelo golo inacreditável de Ricardinho na 1ª parte.

Europeu de Futsal: obra-prima de Ricardinho não evita desaire frente à Sérvia
Apesar da derrota, Portugal está apurado para os quartos de final do Europeu.

Com o desaire frente à Sérvia por 3-1, Portugal termina o grupo A como 2º classificado e irá defrontar nos quartos de final a poderosa selecção espanhola na próxima Segunda-Feira a partir das 20h. O feitiço de Ricardinho irá com certeza ficar para a história deste campeonato da Europa num lance que merece ser visto e revisto por todos os apaixonados pelo futsal.

Primeira parte: Ricardinho, o feiticeiro do golo astronómico

Em Belgrado, Sérvia e Portugal defrontaram-se na derradeira ronda do Grupo A para disputarem a primeira posição. O técnico Jorge Brás alinhou de inicio com Vitor Hugo, Pedro Cary, Fábio Cecilio, João Matos e o mágico, Ricardinho com a ambição de somar a 2ª vitória na competição.

Os lusos entraram fortes no jogo com João Matos e Ricardinho a ficarem a centímetros de inaugurar o marcador. Ao minuto 4, Portugal já tinha 6 remates à baliza da Sérvia com foco para uma jogada de pura magia de Ricardinho que passou pelos defesas adversários como quis, valendo o guardião da equipa da casa, Aksentijevic a evitar o golo. Em comparação com a partida frente à Eslovénia, os lusitanos impuseram o seu melhor futsal com trocas de bola asfixiantes que deixaram a Sérvia encostada ao seu último reduto. Ao minuto 7, Tiago Brito levou a bola a embater no poste e na jogada seguinte foi a Sérvia a marcar. No futsal a velocidade de jogo permite jogadas de parada/resposta e Kocic num contra golpe bateu Vitor Hugo. Na resposta a equipa das quinas ficou perto da igualdade por João Matos mas a felicidade voltou a ficar do lado dos sérvios. A pressão dos portugueses acentuou-se depois do golo sofrido com Ricardinho e João Matos a combinarem na perfeição faltando apenas o critério na hora de finalizar. Ao minuto 12, Pedro Cary atirou com perigo obrigando o guarda-redes adversário a uma defesa quase impossível, depois de um lance colectivo de sonho. No instante a seguir, Bruno Coelho recebeu um passe de génio e rematou com potência para nova parada de Aksentijevic. A 5 minutos do intervalo a formação portuguesa registava 26 remates e o golo adivinhava-se. O minuto 17 do encontro ficará para a história como um dos golos mais encantadores de sempre nesta modalidade. O astro, o extra-terrestre Ricardinho recebeu o esférico levantou sobre o oponente com uma finta lindíssima para depois finalizar de primeira para aquele que será com certeza o melhor tiro certeiro do Europeu. Depois da obra de arte, Portugal carregou e Paulinho ficou perto do golo. Na marcação de um canto, Pedro Cary ficou a centímetros da reviravolta. A poucos instantes do intervalo Vitor Hugo mostrou qualidade e defendeu de forma incrível um remate da Sérvia.

Ao descanso, Sérvia e Portugal empatavam a uma bola mas foram mais de 30 os remates de Ricardinho e companhia. A primeira parte fica marcada pela excelência e qualidade do golo nacional. O melhor do mundo leva já 4 tentos no Europeu e este tiro certeiro ficará para sempre na memória de quem aprecia a modalidade, como sendo um lance desenhado de forma artística. A Sérvia pouco incomodou Vitor Hugo mas num contra-ataque bem construído conseguiu mesmo bater o guardião luso. 

Segunda Parte: eficácia sérvia derruba as quinas ao cair do pano

A abrir o 2º tempo, Ricardinho fintou meia equipa da Sérvia e num golpe de pura técnica assiste Pedro Cary, que falhou o alvo por pouco. O recém-entrado, Anilton pôs à prova o guardião sérvia e logo nos primeiros minutos da 2ª parte se percebeu que o domínio luso se iria acentuar. A formação sérvia novamente em contra-ofensiva criou perigo por intermédio de Peric levou a bola a rasar o poste. 

Pouco depois, de novo Peric a obrigar Vitor Hugo a uma defesa de extrema dificuldade. Na resposta, Tiago Brito isolado rematou fraco desperdiçando o segundo das quinas. O controlo de jogo manteve-se mas a ineficácia lusa impedia que Portugal chegasse à vantagem. O guardião sérvio esteve fantástico e ao minuto 12 Ricardinho de pontapé de bicicleta ficou pertíssimo de concretizar mais um golo de génio. Depois deste lance, Portugal abrandou o ritmo e permitiu uma reacção da Sérvia. Os pupilos de Jorge Brás continuavam a trocar o esférico mas sem o mesmo fulgor. A 3 minutos do fim, Rajcevic aproveitou um erro da defesa lusitana para bater Vitor Hugo pela segunda vez. Para evitar a Espanha, Portugal precisava de empatar ou ganhar e Jorge Brás apostou tudo com a incursão de guarda-redes avançado. Nesta fase, Ricardinho tem um remate perigoso, mas a bola passou ligeiramente ao lado. O pressing acentuava-se e Tiago Brito quase que restabeleceu a igualdade. A poucos instantes do fim, Simic aproveitou o espaço que esta nova táctica de Portugal oferecia e a equipa da casa chegou mesmo ao 3º tiro certeiro, deixando a formação das quinas completamente KO nesta última jornada do grupo A do Europeu de Futsal. 

Em suma, Portugal registou no final dos 40 minutos de jogo mais de 50 remates no encontro, mas como tal os números demonstram no final apenas Ricardinho conseguiu fazer o gosto ao pé. Na primeira-parte, Portugal circulou a bola com uma velocidade estonteante e nos 10 primeiros minutos da 2ª parte essa circulação manteve-se constante. Com variadíssimas oportunidade desperdiçadas, os portugueses ficaram a dever a si próprios a desvantagem no score e em sentido contrário a Sérvia deu uma lição de eficácia ao lusitanos. Apesar da derrota, os adeptos desta modalidade irão com certeza resumir esta partida ao golo de Ricardinho que foi um autêntico hino ao futsal. Recorde-se que, o melhor jogador do mundo desenhou um lance que para o comum dos mortais apenas é possível desenhar na playstation. 

A equipa nacional termina em 2º lugar do grupo A com 3 pontos e na próxima fase do Europeu irá defrontar a favorita à vitória final, Espanha. Em perspectiva teremos um jogo com um grau de dificuldade elevadíssimo, mas Jorge Brás já poderá contar com o tecnicismo cardinal que já cumpriu castigo nos 2 jogos da fase de grupos. Quanto a Ricardinho, leva já 4 golos na prova e este jogador promete convencer a autora de Harry Potter a escrever mais um livro para que o português seja o protagonista de mais uma história de magia, que irá encantar um pavilhão perto de si.

Futsal