Mudança de treinadores no Vitória de Setúbal
Couceiro já orientou o FC Porto em 2005 e o Sporting em 2011 (Foto: Pedro Rocha/Global Imagens)

Ao fim da sétima jornada, a primeira «chicotada psicológica» na Liga Zon Sagres: José Mota, técnico do Vitória Futebol Clube, desde ontem (08) que não mais o é. O treinador de 49 anos abandonou o cargo na ressaca da goleada sofrida em Alvalade perante o segundo classificado, o Sporting, e coloca-se assim termo a uma ligação com a instituição sadina que durava desde o início da época de 2012/2013. A rescisão, acordada por mútuo consentimento, interrompeu um vínculo até 2014.

A rescisão pacífica foi ponto de honra entre o treinador e o presidente Fernando Oliveira. Mota deixa o Bonfim mas augura bons ventos futuros para a formação sadina: «Acredito que este plantel jovem tem muito potencial e qualidade», não escondendo a afinidade criada no período em que comandou os destinos técnicos do clube, afirmando mesmo que aprendeu «a gostar do Vitória».

José Couceiro retorna a Setúbal

O treinador natural de Paredes, grande obreiro da escalada a pulso da equipa do Paços de Ferreira, onde jogou e treinou, é substituído por José Couceiro, ex-candidato à presidência do Sporting, na altura competidor directo do actual dirigente máximo leonino, Bruno de Carvalho. Couceiro foi apresentado ontem como o novo técnico do Vitória Futebol Clube, retomando a actividade que permanecia interrompida desde a sua saída do Lokomotiv, na temporada de 2011/2012: «É com alguma emoção que regresso (...) O Vitória é especial» soltou Couceiro perante uma sala repleta de adeptos sadinos. De relembrar que o versátil treinador (que já foi dirigente desportivo) volta a uma casa onde já trabalhou: na época de 2004/2005 orientou o mesmo Vitória antes de completar a sua mudança para o FC Porto, em 2005. Couceiro terá nas mãos uma equipa jovem polvilhada de alguns valores a acompanhar (o avançado Rámon Cardozo, o central Rúben Vezo, e o extremo Diogo Rosado são activos promissores), posicionado na décima quarta posição, justamente acima da linha d’água - «É uma aposta arriscada», clarificou o técnico de 51 anos, que terá pela frente o desafio da manutenção na Liga Zon Sagres.

VAVEL Logo