Nem comédia nem tragédia grega: só a vitória interessa ao Benfica

Nem comédia nem tragédia grega: só a vitória interessa ao Benfica

O Benfica de Jorge Jesus encara hoje a terceira ronda da Liga dos Campeões contra o campeão grego Olympiakos em igualdade pontual: ambas as formações com uma vitória e uma derrota (nos dois casos infligida pelo Paris Saint-Germain) tentarão ganhar terreno para o apuramento; Mitroglou é a ameaça grega e Saviola e Roberto Jímenez os regressos a uma casa que bem conhecem

vavel
VAVEL

Com uma vitória e uma derrota no saco, o Benfica recebe os gregos do Olympiakos em jogo a contar para a fase de grupos da Liga dos Campeões. Vindo de um desaire desastroso em Paris na segunda ronda (3-0 contra o Paris Saint-Germain), os encarnados estão avisados para o perigo que representa o actual campeão grego que, segundo Jorge Jesus, irá disputar o segundo lugar do grupo C com o vice-campeão português. Precisamente por essa constatação, o jogo de hoje (19:45h) na Luz ganha contornos de tira-teimas – arrecadar três pontos em casa é premissa imperativa para a formação de Jesus poder aspirar ao tão desejado apuramento.

Roberto e Saviola regressam ao Estádio da Luz

No duelo entre Benfica e Olympiakos, vários são os reencontros que a Luz proporcionará: o português Paulo Machado, a militar no clube grego, poderá voltar a pisar relvado lusitano; Roberto Jímenez, o mal-amado «keeper» espanhol que representou o Benfica na época 2011/2012, voltará às balizas da Luz, agora para defender os interesses do adversário; Saviola, «el Conejo» será uma ameaça para Artur, já que o atacante argentino, que abandonou o Benfica em 2012, fará parelha com o temível Mitroglou, ponta-de-lança sensação dos «vermelhos» de Atenas; Leandro Salino, antigo jogador do Braga, também estará de regresso a um estádio que bem conhece, tantos que foram os jogos disputados contra o Benfica envergando, tanto a camisola bracarense como a alvinegra do Nacional.  Fejsa, o médio defensivo contratado ao Olympiakos este defeso, deverá falhar o regresso ao convívio com a sua antiga equipa, devido à falta de ritmo de jogo, consequência da lesão que o apoquentou frente ao Paris Saint-Germain

Mitroglou: cuidado com o herói do hat-trick

O número 11 do Olympiakos tem estado endiabrado esta época (na passada marcou 20 golos, sendo segunda opção a maioria das vezes) levando no historial 13 golos em 9 jogos: Mitroglou marcou, no jogo da Liga dos Campeões contra o Anderlecht, o seu terceiro hat-trick da época, e é um autêntico sinal de aviso andante, perigo com o qual o Benfica terá de saber lidar de modo cauteloso. «Temos visto os jogos que tem feito este ano. É um goleador e um avançado de área», aferiu Jorge Jesus, atestando igualmente a qualidade da dupla composta pelo grego e por Saviola. Sobre a assinalável arrancada de época que Roberto Jímenez tem feito no clube ateniense, Jesus reafirmou o pensamento prévio que o fez contratar o espanhol: «Continuo a achar que Roberto é um joagador com muita qualidade e tem tudo para ser um grande guarda-redes».

O melhor do Benfica?...Jorge Jesus

Michel, treinador espanhol em terras gregas, apontou, na conferência de antevisão do jogo, Jorge Jesus como elemento crucial dos encarnados o homólogo de profissão: «O Benfica tem muitos bons jogadores, mas se pudesse tirar um tiraria Jorge Jesus. Para mim é o melhor elemento da equipa», afirmou Michel, vincando a intenção de vencer na Luz e trilhar o caminho do apuramento, depositando em Roberto Jímenez fé no seu bom desempenho, fé que, até hoje, tem sido recompensada com boas defesas e exibições cobertas de elogios pela imprensa grega. 

Explorar os espaços para não se ver grego

O Olympiakos costuma enquadrar-se em campo num 4-2-3-1 habituado a explanar-se em campo, espraiando-se em largura e comprimento, dominando adversários e avolumando jogo ofensivo sobremaneira: leva 33 golos em 11 jogos oficiais e esse registo diz bem do seu querer atacante. Embora o seu ataque seja de temer e com executantes de categoria (Mitroglou é matador e Saviola recua para desequilibrar e criar combinações para a entrada diagonal dos flanqueadores Joel Campbell e do perigosíssimo Vladimir Weiss), o seu meio-campo tende a desguarnecer espaços deixados pelo pendor ofensivo da equipa. O Benfica deverá também pressionar a saída de bola dos centrais atenienses e obrigá-los a movimentarem-se da posição para acompanhar iniciativas que baralhem a marcação destes, não raras vezes deficiente.

Convocados do Benfica:

Guarda-redes: Artur Moraes e Paulo Lopes;
Defesas: Garay, Luisão, Jardel, André Almeida, Maxi Pereira e Siqueira;
Médios: André Gomes, Djuricic, Ola John, Nico Gaitán, Matic, Ivan Cavaleiro, Enzo Perez e Rúben Amorim;
Avançados: Rodrigo, Lima e Cardozo

VAVEL Logo