Nas mãos de Jesualdo
Jesualdo esbraceja em busca de dias melhores - Foto: desporto.sapo.pt

Nas mãos de Jesualdo

Depois de épocas a fio a cimentar oposição aos grandes o Braga começa a fraquejar. Salvador passou a bola a Jesualdo, cabe ao professor encontrar a solução.

bruno-gomes
Bruno Gomes

Depois da passagem bem-sucedida no início da era Salvador, o professor acumulou títulos no Dragão, esteve no estrangeiro e lançou pérolas em Alvalade, antes de regressar à Pedreira. Jesualdo voltou como um herói mas já há quem o considere vilão.

Regresso

A sua contratação, veio dar força ao estatuto que António Salvador reclama para os minhotos: o professor preferiu rumar a Norte do que continuar no Sporting. Uma divergência de poderes extremou as posições entre Bruno de Carvalho e Jesualdo, que preferiu regressar à Pedreira: “Vim para Braga por afecto e a gratidão” – disse na apresentação. Tendo em conta, o enfraquecimento gradual do Sporting e o desinvestimento promovido pelos leões, esta seria uma época de ouro para os bracarenses regressarem à Champions. Este retorno permitiria encher os cofres e consolidar o Braga como terceira força futebolística em Portugal, na actualidade.

No verão, como acontece anualmente em Braga, muitos jogadores partiram e muitos chegaram. Viana e Mossoró, líderes do meio campo foram as principais baixas. Contudo o lote de reforços foi extenso e generoso: Eduardo – um regresso a casa, Pardo, Rafa, Salvador Agra, Luiz Carlos e Hugo Vieira, entre outros, acrescentaram qualidade a um plantel experiente. A equipa correspondeu na pré-temporada e entrou com o pé direito na Liga. Contudo a vexatória eliminação caseira, na pré- eliminatória da Liga Europa, aos pés dos romenos do Pandurii, (0-2) – após vitória fora (0-1), parece ter condicionado o resto da temporada. O oposto do que sucedeu na época 2009/10, onde a precoce eliminação da Liga Europa levou o Sporting de Braga  ao 2º lugar da Liga Zon Sagres.

Envolto no mistério da saída ou continuidade do presidente Salvador, a equipa de Jesualdo Ferreira sofreu humilhantes derrotas aos pés de Nacional da Madeira (3-0) e Gil Vicente (1-0) – os gilistas alinharam 30 minutos com 9 jogadores e mesmo após as expulsões chegaram ao golo da vitória. A equipa não está a corresponder e jogadores experientes como Ruben Micael, Custódio ou Nuno André Coelho estão longe de convencer. Até o insuspeito Eduardo, tem vindo a falhar: foi assim nos lances que ditaram as derrotas caseiras frente ao Sporting e à Académica. Jesualdo já testou Alan no miolo e tem mexido constantemente em busca de um onze base. O campeonato está prestes a entrar na 9ª jornada e o ambicioso Braga apenas está na 8ª colocação com 4 vitórias e 4 derrotas. Os minhotos têm mais golos sofridos do que marcados e os seus 12 pontos são o reflexo de exibições pobres e de uma equipa em busca da identidade perdida.

Contestação

Os adeptos não perdoam a má temporada e pedem a cabeça do treinador. Há uma petição na internet a exigir a demissão: «Esta petição serve para demonstrar à direção do Braga que o Jesualdo não é treinador para estar nesta equipa, já que nos eliminou da Liga Europa e soma no campeonato tantas vitórias como derrotas para não falar das medíocres exibições da equipa em todos os jogos. Cada assinatura faz a diferença» - diz o texto criado por um grupo de adeptos.

A insatisfação chega também a símbolos do clube como o ex-jogador, Barroso: “É tudo tão previsível, tudo sempre igual, que parece (futebol) de computador. Assim também se torna mais fácil de anular”. Salvador reiterou novamente confiança no trabalho de Jesualdo, cabe ao professor dar a volta aos acontecimentos e tentar recolocar o Braga num patamar mais próximo daquele a que nos tem habituado.

VAVEL Logo