As figuras: Ronaldo, quem mais?
CR7 apontou o único golo do jogo. (Foto: ALEX MORTON/ACTION IMAGES)

Portugal e Suécia encontraram-se esta noite no estádio da Luz, num jogo a contar para o playoff de acesso ao Mundial 2014. A vitória por uma bola a zero da selecção das Quinas foi um justo prémio dado à equipa que mais procurou o golo, que mais procurou a vitória. E como golo é sinónimo de Cristiano Ronaldo, eis que o madeirense fez o único golo do jogo, o seu 44º com a camisola portuguesa.

Anular Zlatan e soltar Ronaldo

Não fazendo uma exibição de encher o olho, Cristiano Ronaldo assinou um jogo muito esforçado, lutando contra a rigorosa e apertada marcação sueca. Venceu claramente o duelo individual que o opunha a Zlatan Ibrahimovic e eleva cada vez mais os seus créditos sendo decisivo para Portugal, num claro ponto favorável na sua luta pela Bola de Ouro. Mas nem só de Cristiano Ronaldo se faz a selecção, com um punhado de boas exibições: destaca-se todo o quarteto defensivo português, que esteve em grande nível. A dupla de centrais "apagou" por completo o capitão sueco, que mal se viu em todo o encontro. Os laterais, Coentrão e João Pereira estiveram "certinhos" a defender e sempre muito disponíveis para atacar, pecando somente na altura de cruzar. Também Meireles merece destaque, seguro a trocar a bola, com passes notáveis a rasgar a defesa contrária(como aconteceu ao minuto 5, servindo primorosamente João Moutinho) e sempre com o sentido de baliza bem apurado, efectuando alguns remates ao longo de todo o jogo. 

Kallstrom e...pouco mais na frente

Do lado sueco, todos os olhos estavam virados em Ibrahimovic mas o astro esteve longe dos seus melhores dias. Sempre bem vigiado por Pepe e Bruno Alves e desapoiado por uma selecção muito curta (especialmente na 2ª parte), Zlatan nunca conseguiu mostrar o seu futebol, não se anotando qualquer perigo na sua folha de registo. Provavelmente o melhor sueco em campo foi Kallstrom, que enquanto teve pernas(acabou substituído ao minuto 78) correu e trabalhou muito no meio-campo, conseguindo por várias vezes parar as intenções de Moutinho ou Meireles perto da sua área. Coube a Kallstrom uma das poucas oportunidades da sua equipa, num livre direto ao minuto 22 com a bola a passar a centímetros do poste da baliza de Patrício. Também a dupla de centrais, Antonsson e Nilsson estiveram a bom nível, conseguindo suportar as investidas de Ronaldo e companhia, estando somente mal no lance do golo, onde as culpas recaem também em Martin Olsson, que falhou o duelo de marcação com Ronaldo, por duas vezes: na segunda, a bola beijou a barra.

Perante o jogo visto hoje, espera-se que a 2ª mão seja completamente diferente, com a obrigação da equipa sueca em fazer golos e Portugal a apostar forte no contra-ataque, aproveitando todas a debilidades já demonstrada pela formação orientada por Erik Hamrén.

VAVEL Logo