Pontapé na crise
Magique apontou o único golo do jogo.

Numa luta de aflitos, quem teve mais garra saio vencedor. É assim que rapidamente se pode resumir o encontro que hoje teve lugar num "despido" Estádio do Algarve. Surpresa no onze apresentado por Sérgio Conceição, Magique foi o senhor do jogo ao apontar o tento solitário que permite que a Académica respire melhor no fim da décima jornada do campeonato. 

100% de eficácia

Num jogo que se previa equilibrado, era espectável que ambas as equipas, face à crise de resultados e má classificação, fossem para cima à busca do golo certo? Não, nada disso. Jogo muito morto, com trocas de bola no prórprio meio-campo e de forma muito lenta, com poucas movimentações atacantes foi a toada da primeira parte. A única oportunidade digna desse nome coube à Académica e logo concretizada por Magique, que após excelente passe de Ivanildo não tremeu e finalizou da melhor forma fazendo o golo dos estudantes, pondo em grande festa os adeptos que se deslocaram desde Coimbra até ao Algarve. Esperava-se uma reacção da equipa comandada por Paulo Alves que durante a primeira parte praticamente não existiu em processos ofensivos.

Vitória da segurança defensiva

Uma segunda parte dominada pela Académica, sempre com mais posse de bola e segurança no passe. Um excelente jogo por parte do meio-campo academista, com Makelele a ser um autêntico tampão na zona central do terreno e Cleyton a ser o homem com a clarividência necessária para sair a jogar e quase sempre a entregar bem a bola. Perante as mexidas feitas por Paulo Alves, sobretudo apostando tudo ao ataque com as entradas de Dionisi e Begazzi, a defesa da equipa de Coimbra manteve-se sempre segura, raramente cometendo falhas que pudessem levar perigo à baliza de Ricardo. Mas como uma vitória com sofrimento sabe melhor, a equipa de Olhão teve ao minuto 90 +4 a sua grande (e única) oportunidade de golo, com Dionisi a aparecer sozinho e perante Ricardo e a não ser capaz de ultrapassar o guardião português, que segurou os três pontos.

Uns respiram e outros sufocam

É o que se pode dizer no fim do jogo. A equipa vencedora sai do Algarve com os três ponto e a certeza que não passa para a décima primeira jornada no último lugar. A Académica salta do fim da tabela para uma zona mais confortável (ocupa agora o 11º lugar com 11 pontos). Por outro lado, a crise mantém-se em Olhão, que nem com a troca de treinador a equipa volta às vitórias. Com a derrota consentida hoje, a equipa do Olhanense ocupa o desconfortável décimo quarto lugar, com nove pontos (mais um que Arouca e Paços de Ferreira). Na próxima jornada, ambas as equipas terão tarefa muito complicada: o Olhanense desloca-se ao estádio AXA para defrontar o Braga enquanto os homens de Sérgio Conceição recebem o Futebol Clube do Porto.

VAVEL Logo