«O jogo do 2 em 1»
Luisão marcou frente ao Anderlecht, na Luz (Foto:Lusa)

«O jogo do 2 em 1»

O Anderlecht recebe, esta noite, o Benfica para o 5ª jornada do Grupo C. Com uma vitória, ambos poderão garantir o acesso à Liga Europa, mas apenas os encarnados poderão ainda sonhar com os oitavos de final da Liga dos Campeões.

maraguerra
Mara Guerra

O Benfica actua hoje em Bruxelas, na recta final da fase de grupos da Liga dos Campeões. Frente ao Anderlecht, os encarnados esperam um de dois cenários: angariar uma vitória frente ao último classificado do grupo, e sonhar com a passagem aos oitavos de final, ou empatar e garantir o acesso certo à Liga Europa. O objectivo final passa, em ambos os cenários, por continuar a brilhar na Europa. Por isso, para Jorge Jesus, o jogo desta noite será o «2 em 1».

Cenários em cima da mesa

Depois da derrota na Grécia da jornada anterior, frente ao Olympiakos, dificultaram-se as contas da equipa portuguesa, que passou a ter que gerir o seu destino na Champions em função do resultado de terceiros. O Benfica esperará que os gregos percam pontos ante o PSG, que tem sido o líder indiscutível da prova. A confirmar-se a superioridade gaulesa, e caso o Benfica ganhe o jogo de logo na Bélgica, os oitavos de final estarão ainda ao alcance.

Jorge Jesus está consciente da obrigação de conseguir três pontos frente ao Anderlecht, mas abre já caminho à realidade paralela da sua equipa. A não ser possível confirmar a presença na fase seguinte, o Benfica terá de pensar na competição alternativa: a Liga Europa. Ainda assim, a palavra de ordem continua a ser “vitória”.

«Em caso de vitória, ainda podemos acreditar em passar a fase de grupos e também praticamente garantimos a Liga Europa. Há vários objectivos em jogo e temos consciência da importância disso. Ainda estamos a disputar o apuramento com o Olympiacos e, face à classificação do PSG, é muito melhor para nós que vençam o jogo», declarou o técnico encarnado, em conferência de imprensa.

Sem Cardozo na bagagem

A comitiva encarnada partiu para Bruxelas, deixando em Lisboa o seu melhor marcador, a recuperar de uma lombalgia. Cardozo, que cumpria uma época em boa forma física, fica assim de fora do ataque benfiquista, de forma a ser poupado para o campeonato. A alternativa estará na dupla Rodrigo e Lima, jogadores que têm sido secundários nas opções técnicas face ao paraguaio.

Para Jorge Jesus, o facto da dupla deter menos tentos não é um factor preocupante para a frente da organização da equipa. «Se Cardozo joga e marca golos tem alguma lógica os outros não marcarem tanto. Mas não podemos esquecer que Rodrigo e Lima no passado já fizeram vários golos», sublinhou o treinador.

A ausência de Tacuara parece, no entanto, ter deixado o adversário feliz. Em conferência de imprensa, o técnico do Anderlecht, John van den Brom,  afirmou que «O Benfica tem outros bons avançados, o Lima também é um grande avançado. No entanto, é bom para nós que o Cardozo não esteja aqui».

Quem também não estará por Bruxelas, é Siqueira, que recupera igualmente de lesão. Porém, espera-se um regresso para constituir solidez na defesa encarnada, com Maxi Pereira a voltar a integrar as opções de Jesus. Depois de ter estado ausente no jogo frente ao Braga, em virtude da sua chegada tardia da selecção do Uruguai, o lateral-direito garante estar a recuperado fisicamente e a 100% para o confronto com os belgas, esperando a vitória portuguesa. «Este é um jogo que temos de ganhar e não pensamos noutra coisa. Sabemos que vai ser um jogo complicado, com uma equipa que já mostrou ter bons jogadores. Mas nós sabemos que também temos argumentos para bater qualquer equipa. Vamos respeitar o Anderlecht mas confiando nas nossas capacidades", enunciou o jogador, na ronda de imprensa.

Carimbar o favoritismo com uma vitória

Embora o Benfica possa partir com algum favoritismo para este embate, face à prestação débil do Anderlecht na prova, há que traduzir isso numa vitória. É verdade que os belgas só detêm um ponto na prova, mas este foi conseguido pelo empate no terreno mais complicado do grupo: o Parque dos Príncipes, casa do líder PSG. Além disso, o Benfica carrega o peso histórico de nunca ter conseguido obter uma vitória em Bruxelas.

A última vez que o Benfica se deslocou a casa deste adversário, em 2004/2005, foi recebido com três golos e uma humilhante derrota. Tratava-se da pré-eliminatória para a Liga dos Campeões e o treinador era, o nesse ano campeão, Trapattoni.

Os tempos são outros e na moral encarnada está a prestação conseguida na Luz, esta época, frente aos belgas. Recorde-se que, na 1ª jornada do grupo C, o Benfica venceu o Anderlecht por 2-0, numa partida em que Luisão esteve em destaque, ao marcar o segundo golo da equipa e ao ser considerado o melhor em campo, pela UEFA. Para o central, nessa noite, o Benfica mostrou «uma abordagem madura». E é isso que se esperará da equipa portuguesa mais logo, às 19:45.  

Onze Provável do Anderlecht

Onze Provável do Benfica

Regresso definitivo ao 4x4x2

A par do regresso de Maxi no lado direito da defesa, as opções táticas na organização inicial dos encarnados deverão voltar atrás no tempo. Sem contar com Rúben Amorim, ainda a recuperar de lesão, e com Djuricic a não ganhar a confiança para conseguir a titularidade, Jorge Jesus deverá avançar com o modelo de jogo em 4x4x2, integrando Markovic, Peréz, Matic e Gaitán no centro do terreno, a jogar para a dupla ofensiva Rodrigo e Lima. Sílvio será a opção para cobrir o lado esquerdo.

VAVEL Logo