Raio X ao Leão: Cedric Soares
Vavel.com

Nasceu na Alemanha, em Gelsenkirchen, e com apenas um ano e meio veio viver para Portugal. Percorreu todas as camadas jovens do Sporting e hoje é um dos símbolos da formação leonina, conquistada a titularidade na equipa principal. Cedric Soares, o lateral-direito do Sporting, conquistou esta temporada a confiança de Leonardo Jardim e recentemente de Paulo Bento, prometendo dar o tudo por tudo para estar presente no Mundial do Brasil do próximo ano.

De Gelsenkirchen para Alcochete

Filho de pais emigrantes, Cedric Soares cumpriu os primeiros meses de vida em solo germânico, onde nasceu. Ainda antes de completar os dois anos, regressou a Portugal com dupla nacionalidade e deixou a cidade de Gelsenkirchen para trás.

Aos 7 anos, acabaria por ingressar nas escolinhas do clube de Alvalade, já com o seu irmão, Kevin, a fazer parte da mais “tenrinha” geração de jogadores do Sporting. O pai, com um passado futebolístico na Alemanha, acabou por ser um dos grandes impulsionadores da carreira do lateral, colocando-o a treinar em Alvalade ainda sem idade de competição.

A partir de 1998, Cedric iniciou então um período de mais de 15 anos de formação no Sporting, “uma vida” passada no clube leonino para um atleta que conta com 22 anos no Bilhete de Identidade. Nos vários escalões de formação por que foi passando, o hoje lateral passou por diversas posições no centro de jogo e foi conquistando a braçadeira de capitão em todas elas. De médio-ofensivo para defesa-lateral, um salto que as suas virtudes e defeitos acabariam por propiciar.

Cedric Soares, "uma vida" passada em Alvalade. (Foto: Sanguedeleao.blogspot.com)

A sua capacidade de chegada à área e penetração pelo flanco abriram-lhe as portas da posição de lateral-direito e elevaram-no à condição de revelação da Academia, ajudando à conquista do Campeonato de Juniores em 2009/10 ao lado de nomes como Renato Neto, William Carvalho e Amido Baldé. Uma subida a pulso que lhe valeria, na temporada seguinte, a passagem a sénior e a estreia na equipa principal do Sporting.

Nascimento prematuro prejudica ascensão

Em julho de 2010, o Sporting anunciava no seu site oficial a inclusão de Cedric Soares no lote de jogadores do seu plantel principal, na altura orientado por Paulo Sérgio. Numa temporada repleta de instabilidade e constantes mudanças na estrutura leonina, o lateral acabaria por se ressentir e não conseguir confirmar todo o seu valor. Ainda assim, conseguiu estrear-se com a camisola verde e branca num jogo da fase de Grupos da Liga Europa com o Gent, da Bélgica, em que os leões sairiam derrotados por 3-1.

O certo é que o lateral não conseguiu roubar a titularidade a João Pereira e acabou por ser emprestado na época seguinte à Académica de Coimbra, apesar de ter brilhado ao mais alto nível no Campeonato do Mundo de Sub-20 que Portugal logrou perder na final, com o Brasil (3-2). Com Adrien Silva como companheiro, Cedric pegou de estaca nos estudantes e garantiu o estatuto de titular indiscutível, rubricando exibições de encher o olho que culminariam na conquista da Taça de Portugal frente ao seu clube do coração.

O lateral estreou-se na equipa A com apenas 19 anos, e num jogo da
Liga Europa, frente ao Gent da Bélgica. (Foto: Record)

Após estes indicadores, a administração leonina e Ricardo Sá Pinto ordenaram aos dois emprestados que regressassem, uma vez mais, à base, para tentar definitivamente a afirmação na equipa principal do Sporting. Em mais uma temporada para esquecer dos leões (considerada a pior da História do clube lisboeta), Cedric, tal como Adrien, até começou a titular no onze do ex-capitão da turma de Alvalade, mas o mau futebol apresentado pela equipa e alguns erros individuais afastaram-no definitivamente dos indiscutíveis. Com Oceano, Vercauteren e até com Jesualdo Ferreira, Cedric foi sendo consecutivamente preterido e acabou por ser conduzido para a equipa B com a chegada de Miguel Lopes a Alvalade. Num dos raros momentos de inspiração na campanha do ano passado (sua e da equipa), conseguiu estrear-se a marcar pela equipa principal, e com um golo fantástico que figurará como um dos melhores da sua carreira (empate a 2 com o Nacional da Madeira). Foi ainda prejudicado por diversas lesões mas nas últimas oportunidades concedidas pelo Professor acabou por cumprir e pedir, quem sabe, uma última oportunidade de singrar de leão ao peito.

Bruno e Leonardo vetam indicação de Godinho

Nos relatórios de contas e gestão desportiva deixados pela administração de Luiz Godinho Lopes, Cedric Soares era um dos jogadores colocados na porta de saída do clube leonino. No Verão foram várias as notícias a apontar a saída do lateral direito, com mercado na Alemanha, mas o jogador acabou por ficar em Alvalade por indicação de Leonardo Jardim e decisão de Bruno de Carvalho.

Na presente temporada, conquistou a titularidade desde cedo e é nesta altura um dos jogadores mais utilizados pelo técnico madeirense, que tem mantido a aposta no “canterano” leonino mesmo com a chegada do paraguaio Iván Piris.

Com Jardim, Cedric adicionou à sua natural propensão ofensiva uma grande segurança no trabalho defensivo, fruto da sua excelente condição física que lhe permite fazer com facilidade todo o corredor direito e a uma nova postura em termos de agressividade e entrega ao jogo. As dificuldades que ainda denota no posicionamento e jogo aéreo defensivos, podem por esta altura ser “desculpabilizadas” se se tiver em conta os 22 anos do jogador, que graças à sua técnica e precisão de cruzamento tem conseguido emprestar grande dinâmica ao jogo deste Sporting 2013/14.

Cedric soma 10 partidas na actual temporada. (Foto: Zerozero)

Até ao momento, destaque para o golo marcado em Braga que valeu o triunfo forasteiro sobre o Sporting local (1-2) de Jesualdo Ferreira (6.ª jornada), e que alegadamente terá convencido o Seleccionador Nacional a chamá-lo na semana seguinte ao grupo de trabalho da “Equipa das Quinas”. Mais um dado a contribuir para a forte valorização do jogador na presente temporada, um dos atletas que tem recuperado visibilidade no mercado e em quem a Administração de Bruno de Carvalho aposta para garantir importante encaixe financeiro no futuro. Cedric está vinculado ao Sporting até 2016 e tem uma cláusula de rescisão fixada em 30 milhões de euros. Para poder dar o tão desejado salto, o lateral precisa de continuar a evoluir o seu jogo nesta temporada e esperar que Leonardo Jardim mantenha a aposta nas suas características, apesar do bom rendimento de Iván Piris. Maturando a sua influência no jogo e trabalhando algumas das suas pechas actuais, o jogador tem tudo para se poder vir a tornar num dos tão procurados laterais do futebol moderno, e cujo seu expoente máximo, o brasileiro Daniel Alves, é o ídolo de infância do jogador leonino.

VAVEL Logo