Académica - Porto: a necessidade de Fonseca
Lance dum jogo entre Académica e FC Porto. Foto: Sportinveste Multimédia

Académica - Porto: a necessidade de Fonseca

Hoje defrontam-se duas equipa em lugares bem diferentes da tabela, mas as circunstancias que rodeiam ao jogo fazem que sejam os visitantes, sobretudo seu treinador, quem precise dos três pontos.

Robayna
Miguel G. Robayna

Com Paulo Fonseca no meio das críticas e um balanço de quatro empates e uma vitória nos últimos cinco jogos, o F.C Porto apresenta-se no estádio Cidade de Coimbra com a urgência de voltar ao caminho certo e retornar à Cidade Invicta com três pontos que ponha sob pressão os lisboetas.

E para defrontar este novo obstáculo, o treinador dos ‘dragões’ poderá contar com seus homens habituais e só Izmailov e Fucile estarão fora. Além do Ghilas que continua com a sua recuperação e que ainda não está pronto para ser da partida portista. Será por isso que Fonseca poderá “morrer ou voar qual fénix” com suas ideias.

À frente estarão os ‘estudantes’ de Coimbra, uma Académica que chega com bom pé na liga depois de vencer dois das três últimas partidas e ver-se fora dos lugares de perigo, cumprindo os objectivos da época pelo momento. Assim Sérgio Conceição não tem problema nenhum em confiar novamente nos mesmos jogadores que saíram de Olhão a vencer por 0-1.

Os esquemas são conhecidos

Nesta altura falta saber se Briosa voltará a ter ao recente “herói” entre os onzes que comecem o jogo contra o líder da Liga Zon Sagres. Magique jogava seu segundo jogo de titular na máxima competição do futebol português contra Olhanense e o resultado não podia ser melhor para ele e para seu treinado, que confiou nele para um jogo tão importante. O marfinense marcou o golo do triunfo na passada jornada e tem acaparado toda a atenção na cidade do estudantes.

No actual momento da época não há dúvida o esquema que os dois treinadores vão a usar no jogo. Os locais são fiéis ao 4-2-3-1, onde Manoel parece ter ganhado o lugar de ponta de lança e Cleyton é o novo cérebro do ataque da ‘mancha negra’. Só falta saber quem vai a acompanhar a Capela no centro da defesa, lugar que tem-se partilhado entre Halliche e João Real e que segundo a linha do último jogo poderia ser o primeiro quem inicie o jogo de hoje.

Paulo Fonseca usará o 4-3-3 que tão bons resultados tem dado aos ‘dragões’ no último anos e segundo as palavras do próprio treinador, esse desenho passará ao 4-4-2 defensivo com o deslocamento do Lucho ao lugar do avançado e os extremos formando uma linha com Fernando e seu parceiro, quer Herrera quer  Defour.

A grande preocupação para os portista vem pelos extremos, zona do jogo que não consegue ter continuidade no nível dos jogadores que a ocupam. Josué não é extremo puro e cria um espaço para o lateral que é bem aproveitado, entanto Varela ainda não atingiu sua melhor forma e Licá não tem convencido ao treinador para que aposte por ele desde o início.

Assim chega o jogo, com Académica sabendo-se inferior e conhecendo a pressão que o rival vai a ter sobre o relvado. Pelo que tentará jogar com o relógio e que o tempo corra no seu favor. Enquanto ao Porto, só vale a vitória e os três pontos para acabar com uma série de maus resultados, se pode ser com uma grande exibição que deixe longe as dúvidas que voam sobre os princípios do jogo imposto por Fonseca.

Onzes prováveis

 

VAVEL Logo