Deslocação a Vila do Conde com pisca para ultrapassar
Enzo quererá voltar a ser figura chave no jogo de hoje (Foto: Lusa)

Deslocação a Vila do Conde com pisca para ultrapassar

A surpreendente derrota do FC Porto em Coimbra, diante da Académica, abre a porta a novo(s) líder(es) do Campeonato. O Benfica desloca-se este domingo a Vila do Conde, jogando no tradicionalmente complicado Estádio dos Arcos, contra o Rio Ave. Mais tarde, será a vez do Sporting receber o Paços de Ferreira.

joni-francisco
Joni Francisco

A surpreendente derrota do FC Porto em Coimbra, diante da Académica, abre a porta a novo(s) líder(es) do Campeonato. O Benfica desloca-se este domingo a Vila do Conde, jogando no tradicionalmente complicado Estádio dos Arcos, contra o Rio Ave. Mais tarde, será a vez do Sporting receber o Paços de Ferreira.

Com apenas um ponto de atraso face ao FC Porto, os encarnados procuram saltar para o topo, posição que ainda não ocuparam esta temporada. Com o jogo a decorrer às 17.45h, as águias sabem que, para além da possível ultrapassagem aos dragões, podem ainda colocar uma pressão adicional no outro rival, o Sporting, que segue em igualdade pontual e recebe poucas horas mais tarde o Paços de Ferreira.

Rodrigo, Lima ou Rodrigo e Lima?

A suspensão imposta a Jorge Jesus impediu que o técnico encarnado fizesse a antevisão ao encontro. E, como já vai sendo habitual, os convocados só são dados a conhecer no próprio dia do jogo. Uma coisa é certa, entre dúvidas e ausências confirmadas, Jesus não deverá contar com Sílvio, Siqueira, Rúben Amorim, Salvio e... Oscar Cardozo. O paraguaio continua a contas com problemas físicos e será baixa de vulto num ataque encarnado que tem sido muito dependente do Tacuara.

No último jogo do Campeonato, o Benfica recebeu o Braga com a táctica habitual: um ataque a dois, com Djuricic mais no apoio a Lima. Porém, na deslocação a Bruxelas para o encontro diante o Anderlecht, Jorge Jesus optou por reforçar o miolo com Fejsa, lançando Lima como único elemento mais avançado e sem um apoio directo. Em Vila do Conde poderemos ter a primeira formatação ou a segunda. Na primeira possibilidade, Rodrigo junta-se a Lima. Na segunda, será o próprio Rodrigo - motivado com o golo da vitória no jogo da Liga dos Campeões - a jogar sozinho na frente, ou somente Lima, com uma estratégia muito semelhante à do último jogo.

Meio campo dependente da utilização de um ou dois atacantes

Se a defesa deverá ser composta por André Almeida, Maxi Pereira, Garay e Luisão, mais difícil é adivinhar como será o meio campo inicial escolhido por Jesus. E aqui volta a entrar a equação dos avançados. Com apenas um elemento na frente, abre-se uma vaga no miolo que pode ser preenchida por Fejsa (como em Bruxelas) ou pelo próprio André Gomes. Caso opte por jogar com dois avançados, Jesus voltará a exigir de Matic e Enzo um esforço adicional para segurar um meio campo do Rio Ave com mais elementos.  

A opção com mais jogadores no miolo parece estar a dar mais segurança e mais posse de bola aos encarnados. Com dois avançados de início, por outro lado, Jesus coloca o poder de fogo em campo mas fica só com Funes Mori (se for convocado) como opção para a posição 9, caso queira trocar alguém da frente. Cautelas ou ataque desenfreado logo de inicio?

Nuno Espírito Santo quer pontuar...

"Em todos os jogos em casa, até à vitória, temos apenas dois objectivos: conseguir vencer ou somar pontos. É algo que será recorrente, seja o adversário o Benfica ou o FC Porto. Temos convicção absoluta que iremos conseguir, porque temos qualidade para isso". Foi desta forma que Nuno Espírito Santo, treinador do Rio Ave, antecipou a recepção aos encarnados. Uma mensagem de confiança de um treinador com um trabalho meritório em Vila do Conde, que na temporada passada rondou os lugares europeus, e que esta época também tem andado com a Europa na mira. 

... e quebrar séria negra de derrotas nos Arcos

Só que a prestação dos vila-condenses no Estádio dos Arcos tem sido tudo menos positiva. A uma primeira vitória caseira por 2-0, na recepção ao Vitória de Setúbal a contar para a segunda jornada, seguiram-se quatro derrotas seguidas, contra Vitória de Guimarães (0-1), Nacional (0-3), Gil Vicente (0-1) e Estoril de Praia (0-2). Pior, o registo de nenhum golo marcado e sete sofridos evidencia uma equipa frágil quando joga em casa e denota dificuldades quando o jogo pede domínio e ataque continuado e não uma estratágia de contra-golpe.

E isso até pode ser positivo para o Rio Ave amanhã, se o Benfica, como se espera, assumir o domínio do jogo.

Onze provável do Rio Ave

Onze provável do Benfica:

VAVEL Logo