Um pesadelo chamado Europa para cinco emblemas nacionais
Pacenses só se podem queixar de si mesmos (Foto: EPA)

Um pesadelo chamado Europa para cinco emblemas nacionais

Nenhum dos cinco clubes portugueses que disputavam Liga dos Campeões ou Liga Europa conseguiu apurar-se no respectivo grupo. Benfica e Porto foram relegados para a Liga Europa. Estoril, Paços de Ferreira e Vitória de Guimarães já não estão na Europa.

hugopalmeida
Hugo Picado de Almeida
A última jornada da fase de grupos de Liga dos Campeões e Liga Europa encerrou um capítulo amargo do trajecto das equipas portuguesas nas duas provas. Num total de cinco jogos, só o Benfica venceu, com o Paços de Ferreira a segurar um empate a zero e com FC Porto, Estoril e Vitória de Guimarães a serem batidos pelos respectivos adversários. O saldo da fase de grupos para Portugal é trágico: das cinco equipas nacionais em prova, nenhuma conseguiu fazer melhor do que o terceiro lugar no seu grupo, estando todos fora das competições que disputavam.
 

Da «Champions» para a «Europa»...

Na Liga dos Campeões, o FC Porto foi ao Vicente Calderón perder por duas bolas a zero frente ao Atlético de Madrid, fechando a sua participação na prova com apenas uma vitória nos seis jogos disputados; prestação notoriamente pobre do campeão nacional e que só encontra paralelo na temporada 2005/2006. Com apenas cinco pontos no Grupo G, o FC Porto ficou-se pelo terceiro lugar, com os mesmos pontos do último classificado, o Áustria Viena, e será agora recambiado para a Liga Europa. Destino semelhante terá o Benfica, que, também terceiro no grupo, em igualdade pontual (10) com o segundo apurado, Olympiakos, só pode ter na vitória por 2-1 ante o Paris Saint-Germain consolo moral, muito embora as «águias» se tenham apresentado transfiguradas no jogo, dando sinais claramente positivos aos seus adeptos. 
 

E da «Europa» de volta à realidade

Já na Liga Europa, a tendência mantém-se, mas pinta-se talvez de um negro ainda mais carregado, visto que, se a Liga Europa serve de rede de segurança para quem actua na «Champions», é último trapézio para o sonho europeu de quem nela milita desde a fase de grupos. E trapézio sem rede se revelou mesmo para os três conjuntos nacionais - Vitória de Guimarães, Estoril, Paços de Ferreira - que a disputaram, todos já fora das contas da competição, aliás, à entrada da última jornada. 
 
No Grupo I, o Vitória de Guimarães até conseguiu uma boa exibição frente ao líder Lyon, que começou a partida a perder no D. Afonso Henriques, com o golo madrugador de Tomané. Apesar disso, cinco minutos bastaram para, já no segundo tempo, a equipa francesa dar a volta ao texto, primeiro por Gomis (grande penalidade) e depois por Ferri, sentenciando o Guimarães a um saldo de cinco insuficientes pontos.
 
 
Estoril, no Grupo H, e Paços de Ferreira, no E, partilharam um trajecto semelhante: zero vitórias, três derrotas, três empates, somando, portanto, apenas três pontos. Ambos os clubes estão fora da Liga Europa, com a equipa da linha a terminar no último lugar do grupo, fechando a sua prova com nova derrota por duas bolas a uma diante dos checos do Slovan Liberec. Sebá fez o golo solitário, e tardio (82'), da equipa de Marco Silva. O Paços de Ferreira, de Henrique Calisto, empatou na última jornada com o lanterna vermelha do Grupo E, o Pandurii (Roménia), tal como tinha feito no anterior encontro entre ambos, mas desta feita a zeros, selando a sua prestação na competição com três pontos e um terceiro lugar.
 
A Liga dos Campeões entra nas eliminatórias sem emblemas portugueses em prova. Na Liga Europa, Benfica e FC Porto terão agora uma segunda oportunidade de perseguir um mais alto patamar europeu, após trairem as expectativas dos seus adeptos, na «Champions», com resultados - e exibições - que ficam aquém do seu estatuto.
VAVEL Logo