Benfica 2013: Aquele maldito mês de Maio

Benfica 2013: Aquele maldito mês de Maio

O ano de 2013 do Sport Lisboa e Benfica visto à lupa na Vavel. Um ano que começou por prometer muito mas que fica manchado por aquele mês de Maio, quando os encarnados perderam Campeonato, Liga Europa e Taça de Portugal. Daí para a frente, o Benfica anda a juntar os cacos e a sarar feridas. Passado meio ano, ainda não o conseguiu.

joni-francisco
Joni Francisco

O ano de 2013 do Benfica fica marcado pelo mês de Maio, o mês em que tudo se perdeu, o mês em que os encarnados deitaram por terra a hipótese de conquistar três competições, acabando a temporada 2012-2013 de mãos a abanar. O mês de Maio ficará para sempre na memória dos benfiquistas como um dos que mais traumas trouxe aos simpatizantes do clube lisboeta. Um ano de 2013 sem o maldito mês de Maio teria estado perto da perfeição.

Janeiro trouxe continuidade nas taças mas revés na recepção ao rival

O Benfica começou o ano 2013 na frente do Campeonato, em igualdade pontual com o FC Porto (32 pontos), fruto de 10 vitórias e 2 empates nas 12 primeiras jornadas da Competição. Na Europa, os encarnados tinham saltado fora da Liga dos Campeões, caindo para a Liga Europa num grupo onde estavam ainda Barcelona, Celtic e Spartak Moscovo. Nas duas taças internas, as águias continuavam em prova.

Foi precisamente para a Taça da Liga o primeiro jogo das águias no ano 2013. No dia 2 de janeiro, o Benfica recebia e vencia o Desportivo das Aves por 6-0, começando o ano com pé direito. O mês de janeiro ficou mesmo marcado pelo apuramento para as meias finais da Taça da Liga. Para a Taça de Portugal, as águias deslocaram-se a Coimbra onde bateram a Académica por 4-0. Já nos jogos do Campeonato, o Benfica venceu três jogos mas não foi além de um empate a 2 golos na recepção ao FC Porto. Desta forma, os dragões ultrapassavam as águias, ganhando vantagem no confronto directo. Janeiro acabava com FC Porto e Benfica na frente, com 42 pontos cada.

Fevereiro: Leverkusen ultrapassado e afastamento da Taça da Liga

O mês de Fevereiro não trouxe novidades na frente da tabela da Liga. Benfica e FC Porto caminhavam lado a lado e voltavam a fazer dez pontos nos quatro jogos do mês, fruto das três vitórias e um empate de cada um. Continuava assim o FC Porto na liderança, pelo empate a 2 na Luz. Mas o segundo mês do ano teve outros pontos marcantes, um positivo e um negativo. Primeiro o lado positivo: em Fevereiro o Benfica disputou os 1/16 final frente ao Leverkusen, batendo os alemães nos dois encontros (1-0 em Leverkusen, 2-1 na Luz). Pela negativa, a eliminação da Taça da Liga. Na meia final da competição, as águias jogaram em Braga e foram eliminadas nas grandes penalidades, depois de um nulo no marcador. 

Março: Bordéus pelo caminho e finalmente a sós na liderança da Liga

Março dificilmente poderia ter corrido melhor ao Benfica. Ao todo foram seis os jogos disputados neste mês, nos quais as águias somaram apenas vitórias. Depois do Leverkusen, surgiu o Bordéus no caminho do Benfica na Liga Europa. As águias venceram os franceses por 1-0 em casa e foram a França ganhar por 3-2, conseguindo a passagem aos quartos de final.

Mas o grande feito deste mês foram as quatro vitórias para o Campeonato que, aliadas a um empate e uma derrota do FC Porto, concederam 4 pontos de vantagem aos comandados de Jorge Jesus. A Liga parecia agora um objectivo muito tangível, até porque os 4 pontos de vantagem davam algum conforto relativamente à difícil deslocação ao Dragão, marcada para a penúltima jornada.

Abril: Chegada às meias da Liga Europa e à final da Taça de Portugal

O Benfica ia ultrapassando os rivais que lhe apareciam no caminho e a época estava a correr lindamente à equipa de Jorge Jesus. Na Liga Europa, a sorte ditou que as águias enfrentassem o Newcastle nos quartos de final da competição. A vitória por 3-1 em casa, depois de ter estado a perder, deu grande confiança para a deslocação a Inglaterra, onde o Benfica arrancou um empate a um golo. Apuramento para as meias finais garantido! Apareceu no caminho o Fenerbahçe e as águias jogaram em Istambul no dia 25, saindo com uma derrota por 1-0. Porém, as portas estavam abertas para a reviravolta na Luz.

A nível interno, o Benfica desdobrou-se em jogos para o Campeonato e para a Taça de Portugal. Para a Liga, o primeiro jogo de Abril trouxe uma vitória por 2-0 em Olhão. Seguiu-se a recepção ao Sporting, com nova vitória, também esta por dois golos sem resposta. E no dia 29, as águias delocaram-se ao Funchal para o embate contra o Marítimo, naquele que era visto por muitos como o último grande obstáculo a um Benfica campeão. O Benfica ganhou e ficava 'apenas' a duas vitórias do título, quando ainda receberia o Estoril e o Moreirense. Para a Taça, vitória por 2-0 em Paços de Ferreira e empate em casa (1-1) contra o mesmo rival, na meia final a duas mãos da competição. O Benfica ultrapassava Abril com categoria e 'cheirava' a época com importantes títulos. Nada mais errado... 

Se desse para apagar o mês de Maio da história...

O mês de Maio parecia chegar no melhor momento. O Benfica ainda não tinha perdido qualquer jogo da temporada nas competições internas, registando apenas três derrotas no total das competições, frente a Barcelona, Spartak Moscovo e, mais recentemente, na deslocação ao terreno do Fenerbahçe.

E o mês  de Maio até começou muito bem para as águias, que deram a volta ao resultado da primeira mão da meia final da Liga Europa, batendo os turcos na Luz por 3-1 e chegando a uma final europeia, tantos anos depois. Foi, porém, o último grande momento de euforia benfiquista. Daí para a frente, o abismo.

Quando nada o fazia prever, o Benfica não vai além de um empate na recepção ao Estoril de Praia, na 28ª jornada da Liga Zon-Sagres. Um autêntico balde de água fria para os adeptos encarnados que encheram a Luz. O Benfica ficava assim à mercê de um FC Porto agora a somente dois pontos de diferença, que recebia as águias na jornada seguinte. O jogo do Estádio do Dragão, no dia 11 de Maio, não sairá da cabeça dos amantes do futebol nos próximos tempos. Muito menos dos benfiquistas. Ao minuto 92, Kelvin disparou de fora da área e fez o 2-1 final, colocando o FC Porto na frente do Campeonato com um ponto de vantagem, a apenas uma jornada do fim. Jorge Jesus caiu de joelhos e chorou, uma imagem que fica como a marca do final da temporada encarnada.

Foi, por isso, um Benfica traumatizado aquele que jogou, quatro dias depois, a final da Liga Europa em Amesterdão. O adversário foi o Chelsea e, embora a exibição muito bem conseguida das águias, a equipa de Jorge Jesus volta a cair ao minuto 92, desta feita com um golo de cabeça do sérvio Ivanovic. Os dois principais objectivos foram hipotecados em 4 dias. O FC Porto fez a sua obrigação na última jornada, batendo o Paços de Ferreira na Capital do Móvel e de nada serviu uma última vitória por 3-1 do Benfica na recepção ao Moreirense.

O último jogo da época aconteceu a 26 de Maio, no Estádio do Jamor, quando o Benfica defrontou o Vitória de Guimarães para a final da Taça de Portugal. A vitória nesta competição não apagaria as frustrações de Campeonato e Liga Europa mas era o mínimo que os adeptos encarnados pediam à equipa. Só que nem isso lhes foi dado. O Benfica acabou derrotado por 2-1, depois de ter estado a ganhar. No final do encontro, Cardozo e Jorge Jesus envolveram-se numa acesa discussão que por pouco não foi mais além. Mais uma imagem de marca da temporada que agora terminava.

Junho, Julho e Agosto: sarar feridas e falar sérvio

A temporada 2012-2013 terminou de forma negra para os encarnados. O mercado de transferências ficou marcado pela 'novela Cardozo', que esteve pertíssimo de sair para o Fenerbahçe. Quando ninguém contava já com o paraguaio, eis que este acaba por ficar, para desgosto de Jorge Jesus que parecia tudo menos interessado em contar com o avançado nas suas fileiras.

Se Cardozo ficou, o mesmo não se pode dizer de Pablo Aimar ou Melgarejo, as principais saídas. O Benfica vendeu pouco mas comprou muito. Chegaram vários sérvios, três laterais esquerdos, alguns centrais e até um ponta de lança que seria o substituto de Cardozo.

A pré-época não trouxe grandes motivos de confiança aos adeptos encarnados que ainda saravam as feridas do final da época. Os reforços não convenciam por aí além, salvo um ou outro pormenor de Markovic. 

A 18 de Agosto o Benfica estreou-se na Liga 2013-2014, e logo com uma derrota. Na deslocação aos Barreiros, os encarnados foram batidos por 2-1 e soaram os primeiros alarmes na Luz. O Benfica apresentava um futebol muito morno e poucos se esqueciam do final da temporada passada. Só que a vitória arrancada a ferros na recepção ao Gil Vicente (2-1) e o empate no terreno de um Sporting revigorado (1-1) acalmaram os ânimos na Luz.

Setembro manchado pela recepção ao Belenenses

O Benfica parecia ter 'engatado' para uma série positiva e para uma nova espiral de vitórias quando no mês de Setembro acumulou duas vitórias para o Campeonato e uma na jornada inaugural da fase de grupos da Liga dos Campeões. Só que a recepção ao Belenenses, no final do mês, voltou a trazer o pior dos encarnados, num empate desolador a uma bola. O Benfica terminava o mês no 5º lugar, a 5 pontos do líder, o FC Porto.

Outubro trouxe desilusão europeia

Se a Liga dos Campeões começou bem para os encarnados, com a vitória por 2-0 na recepção ao Anderlecht, o mesmo não se pode dizer dos jogos seguintes na competição. O Benfica perdia por 3-0 em Paris, num jogo fraquíssimo da parte das águias, e depois empatava em casa contra o Olympiakos. De repente, via os dois rivais directos para o apuramento ganharem vantagem.

Mas no Campeonato, as coisas estavam a entrar na linha. A equipa de Jorge Jesus ganhava os 2 jogos do mês, aos quais juntou uma frágil vitória (1-) contra o Cinfães, para a Taça de Portugal. O mês terminava já com o Benfica colado ao Sporting no segundo lugar, ainda que aos mesmos 5 pontos do FC Porto.

Novembro com recuperação interna mas com Champions vista por um canudo

Novembro foi um mês de sentimentos contrastantes nas hostes encarnadas. No Campeonato, uma súbita tendência do FC Porto para a perda de pontos permitiu a aproximação (e depois, no início de Dezembro a ultrapassagem) de Benfica e Sporting. Para a Taça de Portugal, os encarnados receberam o Sporting e, num derby vibrante, eliminaram os rivais por 4-3, após prolongamento. Algum do ego encarnado foi restabelecido. Mas por pouco tempo.

Entretanto, na Liga dos Campeões as coisas complicaram-se bastante. O Benfica tinha que sacar um resultado positivo em Atenas mas perdeu por 1-0 diante o Olympiakos, num jogo que dominou por completo e onde Roberto foi o MVP. Nem a vitória frente ao Anderlecht, por 3-2, melhorou as contas encarnadas. Na última jornada, precisavam de uma vitória na recepção ao PSG e que os gregos não ganhassem aos belgas.

Dezembro: Confirmada a eliminação da Liga dos Campeões

O mês de Dezembro ainda não terminou mas já teve um momento negativo: mesmo vencendo o PSG na Luz (2-1), o Benfica acabou relegado para a Liga Europa. O sorteio ditou um medir de forças entre os encarnados e o PAOK, da Grécia, jogos agendados para Fevereiro.

Para o Campeonato, um empate a 2 na recepção ao Arouca permitiu que o FC Porto voltasse a igualar os pontos dos encarnados e deixou o Sporting isolado na frente, com mais dois pontos que os grandes rivais. Seguiram-se duas vitórias longe da Luz mas que nada alteraram a frente da tabela. A primeira jornada do ano 2014 tem logo reservada um Benfica-Porto, que poderá ditar muito daquilo que será a segunda metade da temporada encarnada.

O ano do Benfica terminará na Madeira, quando no dia 29 o Benfica defrontar o Nacional local, em jogo a contar para a fase de grupos da Taça da Liga. Mas, aconteça o que acontecer, nada fará apagar da memória benfiquista aquele maldito mês de Maio. 

VAVEL Logo