Académica 2013: Sobrevivendo acima da linha d'água

Académica 2013: Sobrevivendo acima da linha d'água

O ano de 2013 foi de esforço e fuga para a frente: a despromoção esteve sempre no consciente colectivo dos «estudantes» mas o objectivo da época transacta foi alcançado. Na temporada presente o ritmo do clube de Coimbra mantém-se estável e similar, com a sobrevivência na Liga Zon Sagres a fazer-se de alguns (poucos) pontos de avanço em relação aos últimos classificados.

vavel
VAVEL

Não se poderá dizer, ao analisar o ano de 2013, que este foi um bom ano para a Académica, já que épocas houve em que o histórico clube de Coimbra atingiu feitos memoráveis - um deles realizado na época de 2011/2012, com a conquista da Taça de Portugal ante o Sporting. Mesmo não tendo arrebatado taças ou chegado a finais, a Académica não foi capaz de demonstrar um futebol tão aguerrido como noutros anos, mas, inegável será o facto que, provavelmente, mais interessará à direcção do clube e aos seus adeptos: a manutenção no escalão máximo do futebol português, objectivo primordial e recorrente. E isso, a Académica tem conseguido.

Conseguiu-o na época passada, com uma magra margem pontual de 4 pontos de diferença para com o penúltimo classificado (o Moreirense, despromovido) e vai «sobrevivendo» da mesma forma até agora, acumulando 15 pontos na Liga Zon Sagres, mais 6 pontos que Olhanense e Paços de Ferreira, ambos com 9, alojados no último lugar da tabela classificativa. Na retina de todos está ainda a estóica vitória caseira frente ao campeão FC Porto, por 1-0, decorria a jornada 11 do campeonato, quando Fernando Alexandre empurrou a bola para o fundo das redes portistas, impondo a primeira (e até agora singular) derrota aos «dragões». 

À tona com Emanuel e um pedaço de Conceição

A temporada 2012/2013 acabou, para os «estudantes», com o plano original executado sem dramas de maior: 11º lugar com 28 pontos angariados, manutenção garantida, à justa, é certo, mas garantida. Com Ricardo a despontar na baliza, Makelele a segurar a linha defensiva do meio-campo e Wilson Eduardo a dar vida ao ataque, com Salim Cissé e Edinho na zona mais avançada. O treinador Pedro Emanuel, que comandava os destinos técnicos da equipa desde 2011 e que vencera a Taça de Portugal, era exonerado do cargo à vigésima quinta jornada, dando lugar a Sérgio Conceição, técnico jovem que apenas contava com uma passagem pela Olhanense, sua primeira aventura enquanto treinador. O antigo internacional português assinava pela Académica depois da derrota dos academistas frente ao Gil Vicente, decorria o mês de Abril. Apesar da mudança de rumo técnico, o presidente José Eduardo Simões não se absteve de prestar homenagem ao rendimento de Pedro Emanuel: «Gostaria que me acompanhassem numa calorosa salva de palma a uma pessoa que não está aqui, a uma pessoa que se despediu hoje a bem, que ganhou 3-0 ao FC Porto, venceu o Sporting e a Taça de Portugal, conduziu-nos na Liga Europa! Não nos esquecemos do Pedro Emanuel.», disse o presidente da Académica na conferência de imprensa que serviu para apresentar Conceição aos sócios e adeptos. 

Nas cinco jornadas que se seguiram, até ao término do campeonato, Conceição averbou duas vitórias (ambas pela margem mínima, frente a Moreirense e Vitória de Setúbal) e um empate contra a sensação vinda da Capital do Móvel, o Paços de Ferreira de Paulo Fonseca, a 11 de Maio. Quando a jornada final chegou, nem a derrota (2-1) frente ao Nacional da Madeira assustou a Académica, que garantiu a permanência na primeira Liga. Edinho foi o goleador da equipa, com 18 tentos, seguido do extremo Wilson Eduardo, com 11 golos. Na Taça de Portugal, os «estudantes» não foram além dos quartos-de-final da prova, sendo goleados em casa pelo Benfica, por 0-4, no dia 17 de Janeiro. 

Sobrevivendo, um passo de cada vez

A Liga Zon Sagres edição 2013/2014 arrancou em Agosto e o futebol dos de Coimbra permaneceu razoável, limitado às parcas ambições do clube e ao normal constrangimento financeiro. A 24 de Agosto o Sporting vergou a Académica no Estádio Efapel por 0-4, na segunda jornada da prova, tendo a segunda goleada surgido contra o Benfica, novamente em casa, no dia 1 de Novembro: 0-3 foi o resultado final do encontro. Contra o campeão surgiu o momento alto da equipa de Sérgio Conceição, ao bater categoricamente o FC Porto por 1-0, com um golo do médio Fernando Alexandre e uma defesa brilhante de Ricardo negando o empate dos forasteiros, que assim desperdiçaram uma grande penalidade. Com um ridículo aproveitamento ofensivo (apenas 7 golos marcados em 14 partidas na Liga), a formação de Coimbra vai, mesmo assim, levando água ao seu moinho, mantendo-se acima da linha d'água, na décima segunda posição. 

Na Taça de Portugal, a equipa que veste de negro tem progredido no limite da sorte, contando já com dois desempates através da fatífica marca da grande penalidade: na 3ª eliminatória, contra o Belenenses (2-4 depois de um empate 2-2) e contra o Académico de Viseu (4-3 nas penalidades depois de um empate por 1-1). Para 2014, o objectivo permanecerá o mesmo: a manutenção na Liga Zon Sagres. Para já, o clube vira o ano com 15 pontos na algibeira e um passe para a próxima ronda da Taça de Portugal, onde irá defrontar o Beira-Mar. 2013 foi um ano remediado para a Académica, 2014 é, ainda, um mar de possibilidades, embora as dificuldades da equipa antevejam uma luta acesa pela fuga aos lugares de despromoção. 

VAVEL Logo