Sporting reencontra Arouca e quer reencontrar-se com as vitórias
No último encontro entre Sporting e Arouca, Montero esteve em destaque ao apontar um hat-trick. (Foto: Patrícia de Melo Moreira/AFP)

Depois de na primeira ronda o Sporting ter goleado com facilidade o Arouca, por 5-1 em Alvalade (com hat-trick de Montero), a estreante equipa de Pedro Emanuel tem conseguido recuperar no campeonato, encontrando-se neste momento no 13º lugar, três pontos acima da linha de água e parecendo apresentar argumentos de que no início da temporada não dispunha. Os arouquenses prometem não entregar os pontos antes da partida começar, declarando a vontade de convocar todas as suas armas na recepção aos Leões, que por ora ocupam o segundo posto da tabela, com 24 pontos.

Um reencontro em moldes diferentes

Com efeito, os aveirenses contam agora, seis meses volvidos, com mais experiência na primeira divisão, e têm procurado cimentar a sua corrida de trás para a frente, com destaque para o empate na Luz (2-2), à 12ª jornada, e vêm actualmente de duas jornadas a vencer, sobre Gil Vicente (0-3) e Belenenses (2-0), o que lhes permitiu, ainda que com a corda a acariciar-lhes a garganta, começar a navegar acima da linha de água e apontar ao objectivo da manutenção. Facto é que o Arouca apresenta agora um onze mais entrosado, com rotinas consolidadas e que se tem mostrado valoroso, combativo e resiliente. Apostando habitualmente no 4-3-3 (por vezes jogando em 4-4-2 como recurso; como o Sporting, aliás), faz do seu triângulo de meio-campo um importante tampão da construção do jogo adversário, e procura depois explorar homens mais rápidos no contra-ataque, como os extremos Roberto e Claro, e colocando na cabeça do ataque o jovem Serginho. Entre os três, somam quse metade dos golos da equipa (seis em 13).

Um duelo dos dois lados da estatística

Os Leões, ainda que no momento em segundo lugar no campeonato, a dois pontos do líder Benfica, empataram as duas últimas partidas na prova (nulos frente ao Nacional, em casa, e Estoril, na Amoreira), começando a surgir críticas ao afastamento da equipa verde e branca dos golos, até porque os comandados de Leonardo Jardim envergam, há já várias jornadas, o título de melhor ataque e melhor defesa da Liga. No último jogo disputado, frente ao Marítimo, em contas da Taça da Liga, Alvalade recebeu e bateu os madeirenses por três bolas a zero, reconciliando-se com os golos, e com o jovem Carlos Mané a inaugurar o marcador com um distinto golo – o seu primeiro na equipa principal do Leão. A boa exibição do português afirmou-o junto da equipa técnica, e em Alvalade parece ponto assente que o jovem tem lugar no onze, ainda que esta noite deva começar por se sentar no banco.

Outro dado relevante tem sede na defesa leonina, uma vez que a equipa leva já uns assinaláveis oito jogos consecutivos sem conceder golos, algo inédito na história do clube. Patrício vive também o seu melhor registo de imbatibilidade, ao não ver as suas redes violadas há 563 minutos (Marcelo Boeck tem sido o guardião nos jogos da Taça da Liga).

Em contraponto com o bonito registo do Sporting, a diferença entre golos sofridos e marcados pelo Arouca é bem mais modesta. Com apenas 13 golos marcados (menos 20 do que o Sporting) e 19 sofridos (mais dez do que o conjunto lisboeta), os aveirenses posicionam-se sempre na metade desfavorecida da tabela, na hora de celebrar o triunfo do seu ataque ou os méritos do seu sector defensivo. Importa, contudo, não esquecer que a equipa de Pedro Emanuel tem na presente época a sua estreia no escalão principal do futebol português, e aí os seus modestos registos ganham relevância e dimensão, mostrando uma equipa mais madura a cada jornada, mais coesa e consistente do que outros habituées da divisão, e que dista apenas três pontos do oitavo posto, numa tabela de pelotão compacto.

Para isso mesmo alertou Leonardo Jardim, afirmando que o Arouca «está uma equipa mais adaptada ao escalão (…); está, em termos defensivos, mais forte, e é uma equipa que no seu relvado tem criado sempre inúmeras dificuldades.» O técnico arouquense, Pedro Emanuel, fez questão de realçar esse crescimento da sua equipa ao longo da primeira volta, e não deixou de prometer entrar em campo com «o Arouca de sempre, motivado (…); equipa humilde, trabalhadora e combativa, a disputar o jogo pelo jogo», ainda que reconheça que não espera facilidades: «O Sporting tem o melhor ataque e defesa da Liga, está claramente a lutar pelos lugares cimeiros. Mesmo que não o assuma, é lógico que há expectativas.»

Onzes prováveis

VAVEL Logo