A pressão de estar em terceiro

Os comandados de Paulo Fonseca ocupam neste momento a 3ª posição da Liga com 33 pontos e procuram alcançar, frente ao Vitória de Setúbal, a 11ª vitória no campeonato. Dos 29 golos marcados até ao momento, destaque para o colombiano Jackson Martínez que já fez o gosto ao pé por 12 vezes e espera dar continuidade aos dois golos marcados na última partida frente ao Penafiel, a contar para a Taça da Liga. Para esta partida, o técnico portista tem todo o plantel à disposição e a surpresa poderá ser a inclusão de Ricardo Quaresma no onze inicial, depois da boa exibição conseguida frente ao Penafiel.

A formação do Vitória de Setúbal está num confortável 12º lugar com 16 pontos, 4 pontos acima da linha de água e apresenta-se no Estádio do Dragão com uma postura cautelosa, tendo o objectivo de, no mínimo, alcançar 1 ponto. Para esta deslocação ao Porto, José Couceiro chamou, pela primeira vez, o reforço João Mário que se transferiu recentemente do Sporting para os sadinos a título de empréstimo. Por outro lado, Paulo Tavares é ausência confirmada por lesão, tratando-se de uma baixa de vulto deste que é o segundo melhor marcador da equipa com 3 golos.

É importante recordar que, na 1ª jornada do campeonato, o Porto se deslocou ao Estádio do Bonfim e bateu os sadinos por 1-3, numa reviravolta fantástica depois de estar a perder por 1-0. É de realçar que, desde esse jogo até ao momento, o Vitória de Setúbal já alterou a sua equipa técnica e foi sob o comando de José Mota que Rafael Martins inaugurou o marcador. Para os dragões balancearam a rede os médios Josué e Quintero e o avançado Jackson Martínez.

A magia de Quaresma e a eficácia de Jackson

Para a 16ª jornada do campeonato, o técnico Paulo Fonseca deverá fazer várias alterações no onze inicial, depois de ter rodado a equipa no encontro da Taça da Liga. Desde logo na baliza, destaque para o regresso de Helton às redes azuis e brancas, depois da boa exibição de Fabiano que, apesar de não ter sofrido qualquer golo sempre que foi chamado à equipa, não deverá fazer parte do onze titular. Na lateral direita Danilo regressa para render Ricardo que, após ter feito boa figura na última partida, não consta sequer na lista de eleitos para este jogo. A defesa esquerdo entra Alex Sandro que recuperou do problema físico e juntamente com Danilo deverão ser preponderantes no sistema do treinador, uma vez que são eles que impulsionam muitas vezes a manobra ofensiva da equipa, com subidas rápidas pelos flancos, principalmente contra equipas fechadas como a do Vitória de Setúbal. No centro da defesa, a dúvida recai sobre três jogadores: Maicon, Otamendi e Mangala, que deverão disputar as duas vagas em aberto para o onze inicial.

No meio campo dos dragões destaque para o regresso de Lucho Gonzalez, que permite ao FC Porto voltar ao habitual sistema táctico de 3 médios, onde se evidencia Fernando na posição 6, que assim volta a preencher todo o espaço que lhe é habitual depois de ter feito parelha com Defour na última partida. Com Fernando na equipa, a estabilidade defensiva aumenta e as transições para o ataque tornam-se mais eficazes. Por seu lado, Lucho Gonzalez, apesar da sua idade, tem na experiência o seu maior trunfo e, juntamente com a sua técnica e visão de jogo apurada, permite à equipa atacar com maior critério. Para compor o sistema táctico de 4x3x3, a dúvida reside na utilização de Josué ou Carlos Eduardo na posição de médio ofensivo. Apesar de Carlos Eduardo ter sido utilizado muitas vezes nas últimas partidas da Liga, Josué protagonizou uma excelente exibição frente ao Penafiel, aumentando assim as dores de cabeça do técnico para a decisão de qual será o jogador que irá apoiar os alas e o ponta-de-lança dos dragões.

Para o tridente ofensivo da formação portista, relevo para a possível inclusão no onze do mágico Ricardo Quaresma que, após ter protagonizado uma exibição de luxo frente ao Penafiel, quer com certeza dar continuidade ao grande golo marcado na última partida dos dragões. Para extremo esquerdo, Silvestre Varela deverá ser o escolhido para apoiar o ponta-de-lança Jackson Martínez que é, inevitavelmente, um “terror” para as defesas contrárias. É importante referir que, com a inclusão de extremos como Varela e Quaresma, o Porto se aproxima cada vez mais do tradicional sistema 4x3x3, uma vez que os dois internacionais portugueses são dois alas puros, o que permite à equipa atacar com maior precisão e assim voltar à rotina táctica que tem sido reconhecida aos azuis e brancos nas últimas épocas.

Em busca de um ponto no dragão

Os comandados de José Couceiro chegam ao dragão depois de terem sido derrotados no Estádio Algarve frente ao Olhanense por 2-1 e querem limpar a má imagem deixada nessa partida. Para pontuar frente ao Porto, os sadinos deverão entrar em campo numa postura defensiva com bloco baixo, por forma a evitar ao máximo o primeiro golo dos actuais campeões nacionais. Para surpreender os dragões, José Couceiro deverá apostar no ex-portista Kieszek para defender as redes sadinas. O internacional sub-21 João Mário que ingressou recentemente na equipa do Sado poderá ser o trunfo do treinador para surpreender os azuis e brancos. Destaque ainda para Ramón Cardozo que já fez o gosto ao pé por 5 vezes e deverá ser a principal seta apontada às redes de Helton.

A visão dos treinadores

Em caso de vitória, o FC Porto poderá ascender ao topo da classificação dependendo do que os rivais Benfica e Sporting fizerem nas suas respectivas partidas. Para Paulo Fonseca: “este Vitória revela mais organização e é verdade que com a entrada de José Couceiro teve um período muito positivo. Esperamos dificuldades e eles têm como objetivo tentar surpreender-nos no contra-ataque, mas depois da vitória na Taça da Liga espero uma boa resposta.”

Para os sadinos pontuar será essencial por forma a manter intacto o objectivo de permanecer no principal escalão do futebol português. Em declarações aos jornalistas, José Couceiro afirma que: "O FC Porto é uma boa equipa, é favorito, joga no seu estádio, tem necessidade de somar pontos, tal como nós, e é óbvio que, dentro das limitações que temos tido, preparamo-nos sempre para ter uma boa prestação. O Vitória de Setúbal não é uma equipa defensiva, mas teremos de defender quando o FC Porto nos obrigar a isso".

Onzes Prováveis

VAVEL Logo