"El comandante" pode estar de saída para o Qatar

Lucho González, médio do FC Porto e capitão de equipa, está de saída para o Qatar. Segundo o que adianta o jornal "O Jogo", o argentino sairá por um valor de 4.5 milhões de euros com um contrato válido por 1 ano. A notícia foi adiantada por vários meios de comunicação depois de "El Comandante" ter sido retirado da convocatória do jogo para a Taça da Liga com o Marítimo que se realizará hoje pelas 20:45.

Depiois da saída de Matic do Benfica para o Chelsea, a confirmar-se oficialmente a saída de Lucho para o Qatar será um desfalque forte quer no campeonato português quer nos dragões. Apesar da sua idade e de já nao render, por exemplo, o que rendia durante os noventa minutos como fazia em 2008, a verdade é que o internacional argentino acrescentava classe e qualidade à equipa portista. É um figura incontornável do campeonato e dos dragões.

Um enorme revés para o FC Porto

33 anos, 6 anos e meio de dragão ao peito, vários títulos ganhos, internacional pela selecção Argentina, um ídolo para os adeptos do FC Porto, este é o "curriculum" de Lucho González. O capitão de equipa adquiriu um papel fundamental no que é a táctica portista, sendo o comandante do meio campo de Paulo Fonseca, entregando assim maturidade a um plantel que cada vez se tornou mais jovem.

Com um contrato válido pelo FC Porto até ao final desta época, Lucho, com a saída de Moutinho, teve de começar a desempenhar um papel diferente no seio do meio campo portista. Era necessário alguém que fosse auxiliar Fernando nas tarefas de recuperação de bola e que saísse com criatividade para o ataque. Neste papel, "El Comandante" é uma pedra basilar, apesar de, devido à idade e á condição física, não aguentar com o mesmo ritmo os noventa minutos da partida.

Esta possível saída deixa uma lacuna enorme nos pupilos de Paulo Fonseca. Uma figura de respeito e experiência, o capitão de equipa saí, e fica a faltar a voz de ordem quer em campo quer no balneário. A verdade é que nesta campo particular quer Fernando quer Helton podem "substituir" o argentino, contudo, e apesar das mudanças operadas pelo treinador ao longo da época, torna-se uma dor de cabeça forte encontrar um substituto à altura no meio campo: Defour parece ser uma carta fora do baralho para Paulo Fonseca visto que nem com a saída de Moutinho o belga se afirmou como todos pensavam; Herrera demonstrou fragilidadades na construção de jogo frente ao Sporting por exemplo; Quintero e Josué são jogadores mais de ataque. É necessário encontrar um jogador "box to box", ou no próprio plantel ou mesmo nos dias que restam de mercado

Destino: as Arábias

Dois dias após ter sido adiantado que "El Comandante" pretendia acabar a carreira enquanto jogador de dragão ao peito, surge nos meios de comunicação a notícia da ida do argentino para o Qatar. Ainda não se sabe ao certo os motivos da saída mas cada vez mais, os jogadores mais experientes optam por dar os últimos passos na carreira em campeonatos árabes que têm a capacidade de atribuir aos jogadores ordenados que na Europa, por exemplo, só são possíveis em grandes clubes como Real Madrid, Barcelona, Chelsea, entre outros.

Lucho é mais um desses casos. Ao que se pôde constatar, foi seduzido por uma proposta de valores muito elevados de uma equipa catari, que lhe permite um ordenado mais alto do que aquilo que recebia em Portugal e, permite também, que se feche um ciclo de dragão ao peito, dando espaço a que novos talentos surjam e que algum possa fazer lembrar os anos áureos de "El Comandante" no FC Porto.

Certo é que, ao confirmar-se o adeus de Lucho, perde-se uma referência de largos anos e de vários títulos no seio do plantel do FC Porto.

VAVEL Logo