1-0, min.23, Carlitos; 2-0, min.43, Evandro, 2-1, min.91, Rucescu
Novo objectivo: apontar baterias à Europa
Embate entre canarinhos e baracarenses acabou com vitória dos da casa

Novo objectivo: apontar baterias à Europa

No fecho da jornada 19 da Liga Zon-Sagres, o Estoril recebeu em casa o SC Braga de Jesualdo Ferreira, num jogo que permitiu aos canarinhos alcançar o quarto lugar e afirmar-se como candidato à Liga Europa.

pedro-duarte
Pedro Oliveira Duarte
EstorilVagner; Yohan Tavares; Balboa; Mano; Gonçalo; Evandro (90' João Pedro Galvão); Sebá (33' Gerso); Carlitos; Diogo Amado (86' Filipe Gonçalves); Rúben Fernandes; Babanco
BragaEduardo; Sasso; Nuno Coelho; Rucescu; Miljkovic; Custódio; Alan; Mauro (64' Luiz Carlos); Núrio; Kappel (46' Moreno); F.Pardo
ÁRBITROCarlos Xistra (AF Castelo Branco). Amarelos: Gonçalo (Min. 32'), Rucescu (Min. 81'), Evandro (Min. 82')
INCIDENCIASLIGA ZON-SAGRES, 19ª JORNADA, ESTÁDIO ANTÓNIO COÍMBRA DA MOTA

Ontem à noite, o Braga deslocou-se até ao Estoril com o objectivo de vencer e dar uma boa resposta após o desaire em Vila do Conde frente ao Rio Ave. No entanto, o jogo ditou a sentença inversa para os minhotos, que somaram mais uma derrota em reduto adversário, desta vez por duas bolas a uma.

Sem “massacrar”, o Estoril acabou sempre a dominar

Como Marco Silva referiu em conferência de Imprensa, a sua equipa não «massacrou o Braga como no jogo da Taça da Liga», apenas não permitiu que a formação de Jesualdo Ferreira «praticasse o estilo de jogo que tanto gosta», assente num bloco baixo, com rápidas transições para o ataque.

O jogo teve um início algo repartido e com intensidade na luta pelo meio-campo. Contudo, com o avançar dos minutos e o “encaixar” das equipas, o Estoril conquistou o domínio territorial no jogo. Apostando muito nas investidas de Carlitos pela direita, viu-se mais uma vez, uma equipa que impôs o seu jogo e explorou as zonas mais avançadas do terreno através de processos simples. Foi mesmo num lance de enorme simplicidade que ao minuto 23’, Sebá faz um passe “a rasgar” e isolou Carlitos que, com apenas Eduardo pela frente, inaugurou o marcador na Amoreira.

Numa primeira parte não muito interessante, o Braga ainda tentou subir um pouco no terreno, mas o Estoril não consentiu que os minhotos avançassem pouco mais que o seu meio-campo. No entanto, houve ainda tempo para uma substituição forçada no Estoril: Sebá, elemento importantíssimo e a quem Marco Silva prevê um «grande futuro», saiu lesionado, ao que parece, com gravidade. Entrou para o seu lugar Gerso, que ao minuto 43’ cruzou para golo fácil de Evandro e levou a equipa da casa para o intervalo com uma vantagem de dois golos.

Evandro, um motor afinado a meio-campo

A segunda parte não foi muito diferente da primeira, pouco mudou, exceptuando-se a alteração tática efectuada por Jesualdo Ferreira, que numa tentativa de subir as linhas, substituiu Kappel por Moreno, passando a jogar em 4-4-2. O Braga melhorou um pouco, mas nunca assumiu o jogo, algo que o treinador dos minhotos justifica como sendo fruto do «desgaste dos cinco jogos de alta dificuldade em duas semanas». O Estoril esteve sempre mais perto de alcançar o terceiro golo, ao longo dos últimos 45 minutos. No entanto, mesmo no final do jogo, à passagem do minuto 91’, Rucescu, após cruzamento de Miljkovic, cabeceou e conseguiu o tento de honra dos visitantes.

Mesmo assim, sem que tenha sido um jogo brilhante, houve um jogador que se destacou, principalmente, na segunda parte. Falamos de Evandro. O médio do Estoril assinou mais uma exibição de alto nível (merecendo uma ovação de pé por parte de todos os adeptos da casa, quando foi substituído), assegurando consistência ao meio-campo, aparecendo tanto à direita, como à esquerda, como no meio e catapultando sempre a sua equipa para a frente. Muito se tem falado de Sebá, mas verdade é que, também este brasileiro de 27 anos cada vez mais se afirma como elemento chave e importante arma da equipa na luta pela Europa.

Sem maestro a banda não toca

O SC Braga tem efectuado uma época muito aquém daquilo a que ultimamente temos sido habituados: ocupa o 7º lugar na tabela classificativa, e “teima” em puxar dos galões e das grandes exibições de antigamente. O jogo de ontem à noite não foi excepção à regra, ainda para mais com a ausência de Rafa, que devido a contusão muscular agravada não pode deslocar-se ao Estádio António Coímbra da Mota. Segundo Jesualdo Ferreira, o jovem jogador português contratado ao Feirense no defeso de Verão «está a evoluír, e apesar de não ser constante tem subido de forma Pode-se dizer que tem sido um dos elementos de destaque na turma minhota pela sua criatividade e importância na manobra ofensiva da equipa, e a verdade é que o Braga sentiu muito a sua ausência, apresentando um jogo ofensivo pouco ligado, e cujo perigo foi praticamente nulo com excepção ao golo tardio de Rucescu.

VAVEL Logo