Cinco minutos de pânico
O FC Porto deixou-se empatar e tem agora a vida complicada na deslocação à Alemanha

Há muito tempo que os adeptos azuis e brancos não viam o FC Porto jogar como jogou ontem. As muitas oportunidades criadas pela equipa de Paulo Fonseca ao longo de toda a primeira parte, mostraram que o FC Porto não entrou em campo para brincar.

Ricardo Quaresma fez das suas e no fecho dos primeiros 45 o golo estava feito. A famosa trivela, fora de área, levou o Estádio do Dragão ao rubro e deixou a previsão que a segunda parte trazia mais e melhor. E assim foi, Silvestre Varela fez o segundo e o resultado parecia estar feito. Os dragões puderam respirar, mas ao minuto 72’ a festa acabou. Numa jogada estudada e complicada os alemães acabaram com a bola dentro da baliza de Helton. E em menos de cinco minutos apareceu o segundo golo. Um resultado que pode deixar tudo por decidir na segunda mão, mas que também deixa a equipa de Paulo Fonseca numa situação complicada. (Foto:zerozero)

A vitória estava garantida

O FC Porto entrou bem em campo e fez o que quis frente a uma equipa que parecia estar a jogar a medo. O Eintracht limitou-se a ver jogar e a pressionar o jogador que mantinha a redondinha nos pés. Já o relógio batia nos 45 quando Ricardo Quaresma agarrou na bola e acabou com ela no fundo da baliza. A trivela continua a ser a sua imagem de marca e o ex-internacional português fez questão de não a deixar esquecida. Entrou pelo lado esquerdo e, à boca da grande área, fez a finta e rematou, a redondinha ainda tocou no poste direito na baliza, mas a colocação e a rapidez do remate deixou Trapp sem hipóteses de defesa. Um golo bonito, que colocava o FC Porto na frente do marcador e que fazia jus às oportunidades criadas.

No segundo tempo, foi mais do mesmo. O FC Porto continuou a pressionar e a atacar e ao minuto 68 foi Varela, em combinação com Maicon, quem pôs a bola no fundo da baliza. A 20 minutos do fim, o FC Porto tinha uma vantagem de dois golos e ao ver a falta de oportunidades por parte da equipa visitante, o resultado parecia estar feito. Engane-se quem assim pensa. O resultado deu conforto à equipa da casa e o ritmo de jogo dos actuais campeões nacionais diminuiu de tal maneira que o empate acabou por aparecer em menos de cinco minutos.

Cinco minutos bastaram

Ao ver o FC Porto baixar o ritmo do jogo, o Eintracht Frankfurt não deixou fugir a oportunidade de atacar a baliza de Helton. Estávamos ao minuto 72 quando o espanhol Joselu fez o golo que diminuía a vantagem portista.O mau alivio de Mangala deixou que a bola sobrasse para o extremo espanhol que, em remate de primeira surpreendeu o experiente Helton. Estava feito o golo alemão e o Futebol Clube do Porto precisava de acordar para não deixar a equipa visitante chegar ao empate.

Tal não aconteceu e o empate acabou mesmo por aparecer. Na marcação de um canto e depois de muita confusão na área, a bola sobrou para Alex Sandro que fez o autogolo. Um lance com muitas culpas para o defesa portista, que não só fez o golo do empate alemão como surpreendeu todos os colegas de equipa.

Contas complicadas na deslocação à Alemanha

O empate em casa, perante a uma vitória que parecia garantida, complica as contas do Porto na deslocação à Alemanha. Os actuais campeões nacionais estão obrigados a marcar fora e a impedir os golos na baliza de Helton, para continuarem a sonhar com a passagem aos oitavos de final da prova. Perante 25 mil espectadores, ainda não foi desta que os Dragões venceram em casa para as competições europeias. Paulo Fonseca tem, no jogo da próxima semana, a oportunidade para se redimir de tudo aquilo de que é acusado pelos adeptos. Estará o técnico à altura do desafio?

VAVEL Logo