Estoril sem Sebá defronta o Dragão, na ressaca europeia
20ª jornada: Porto enfrenta o Estoril no Dragão.

Na passagem para o último terço do campeonato, 2º e 4º classificado encontram-se no Dragão para um jogo que tem habitualmente muitos golos. Porto e Estoril estão separados por 9 pontos na tabela classificativa, com os azuis e brancos no 2º lugar, com 42 pontos e os canarinhos em 4º, com 33. No lado portista, Abdoulaye regressa para render Reyes na convocatória, numa partida difícil que o Porto é obrigado a vencer, caso queira manter a perseguição ao líder Benfica. Do lado estorilista, Marco Silva tem a ambição legítima de surpreender no Dragão, apesar de ter uma baixa de vulto para este encontro. O extremo Sebá é baixa confirmada por lesão, lesão essa que o deve deixar de fora dos eleitos durante algumas semanas. Ao invés do ala, Tiago Gomes está de regresso aos convocados e, juntamente com os seus companheiros, tudo farão para aproveitar o deslize do Nacional, frente à Académica e, assim, consolidar o 4º lugar.

A contar para a 5ª jornada do campeonato, no dia 22 de Setembro, Estoril e Futebol Clube do Porto encontraram-se no Coimbra da Mota e, como em todos os jogos entre estas duas formações, proporcionaram um grande espectáculo de futebol. Para inaugurar o marcador, o português Licá bateu o guardião Vagner mas, ainda na 1ª parte, Evandro restabeleceu a igualdade, com um tiro certeiro sobre as redes de Helton. No segundo tempo, os dragões voltaram a estar por cima no marcador, com um golo de Jackson. No entanto, já perto do fim, Luís Leal, estabeleceu o resultado final em 2-2, compondo um resultado que, em tudo, espelhou a qualidade e a dinâmica de jogo, que estas duas formações implementaram nesta partida.

Dragões recebem Estoril para recuperar do pesadelo alemão

Para este embate, os actuais campeões nacionais deverão manter a base da equipa que empatou a duas bolas com o Frankfurt, para a Liga Europa, sendo Abdoulaye a única novidade esperada no onze inicial. Para defender as redes dos dragões, Helton, juntamente com Danilo, Mangala, Abdoulaye e Alex Sandro irão compor o eixo defensivo, com maior preponderância para os laterais, que são, em muitas fases do jogo, os principais extremos da “equipa”, ajudando a defender mas, sobretudo, a atacar. No meio-campo, Defour continua inexplicavelmente fora dos convocados e parece estar arredado das escolhas do técnico Paulo Fonseca. Neste jogo, Fernando será, como habitualmente, o médio defensivo dos azuis e, em conjunto com Herrera, terão a função de equilibrar a equipa defensivamente, numa primeira fase e, com movimentações rápidas, impulsionar a equipa para o ataque, onde Carlos Eduardo, que deverá regressar ao onze, será o principal apoio aos atacantes.

No eixo atacante, Varela, que se encontra na melhor fase da temporada será o extremo esquerdo e, com Quaresma, a extremo direito, deverão compor o tridente ofensivo com Jackson Martinez. Esta tripla rendeu aos dragões 6 golos nas últimas três partidas e são as principais ameaças às redes de Vagner. Com o mesmo sistema táctico de 4x3x3, Paulo Fonseca deverá ter em atenção que o Estoril é uma das equipas mais ofensivas da Liga e, como tal, terá cautelas nas subidas dos laterais e deverá exercer uma pressão alta, na primeira fase de construção, para evitar transições dos canarinhos.

Estoril: consolidar uma posição merecida

Para defrontar o Futebol Clube do Porto, Marco Silva deverá manter a mesma filosofia de jogo que lhe é reconhecida, sempre que joga com um candidato ao título e, nem mesmo a ausência de Sebá, impedirá os estorilistas de procurar as redes de Helton. Para aumentar a vantagem em relação ao Nacional, o técnico conta na baliza com o guardião Vagner, que tem sido regular nas suas exibições e, com Yohan Tavares e Bruno Miguel, deverão formar uma muralha defensiva e, assim, evitar as investidas de Jackson e companhia.

No miolo, Gonçalo Santos é cada vez menos uma surpresa no futebol português e é, neste momento, dos melhores trincos a actuar no campeonato. A médio ofensivo, Evandro, que é o melhor marcador da equipa, será o pêndulo ofensivo do tridente canarinho formado por Balboa, Carlitos e Bruno Lopes. A abordagem do treinador ao jogo, apesar de ser claramente ofensiva, não poderá ignorar as tarefas defensivas que terão de ser redobradas, para jogar com os campeões nacionais e, a chave desta partida, poderá estar na forma como os trincos Fernando e Gonçalo Santos equilibrem as suas respectivas equipas, uma vez que têm sido essenciais, para a construção do futebol do Porto e Estoril.

Paulo Fonseca pressionado, Marco Silva ambicioso

Para defrontar o Estoril, o melhor ataque da Liga, o Futebol Clube do Porto, com 37 golos, irá abordar a partida de forma consciente e, segundo Paulo Fonseca: «É uma equipa que está no quarto lugar e vem de duas vitórias perante adversários complicados, pelo que está moralizada e vem tentar conseguir um resultado diferente do que é habitual aqui no Dragão quando defrontam o FC Porto».

Por seu lado, Marco Silva não quer perder a oportunidade de brilhar no Dragão e, como diz o técnico, «Acho que o que nós temos feito é um bom prenúncio para o jogo de amanhã, é o que iremos tentar fazer sabendo que temos pela frente um adversário forte em casa (…) Estão em disputa três pontos e nós queremos somar pontos neste jogo, à imagem do que fazemos em todos os jogos».

VAVEL Logo