Estoril fez história no Dragão
Evandro converteu a grande penalidade que ditou a vitória da equipa da linha

O Porto tinha a obrigação de vencer em casa a equipa do Estoril depois da vitória do Sporting frente ao Rio Ave em Vila do Conde. O objectivo era não deixar fugir o Benfica e manter o segundo lugar na tabela classificativa, o que não aconteceu. O Estoril chegou, jogou e venceu, frente a um Futebol Clube do Porto que não conseguiu concretizar as oportunidades criadas. A desatenção de Jackson e a fantástica exibição de Vagner negaram o golo aos actuais campeões nacionais por mais de dez vezes. A posição do técnico azul e branco está por um fio e em conversa com o Presidente no final da partida, deixou o lugar à disposição. O nível de contestação a que está sujeito atinge assim os limites máximos, sendo veiculada já a sua possível rescisão contratual.

Tantas oportunidades para tanta falta de concretização

Paulo Fonseca optou por Abdoulaye e deixou Maicon no banco. As muitas oportunidades criadas pelos jogadores do Porto não precisaram de grande esforço na defesa e Helton tinha o quarteto defensivo apenas para segurar as possibilidades de ataque da equipa do Estoril. Ricardo Quaresma, Silvestre Varela e Jackson Martinez bem que tentaram, mas a falta de atenção por parte do avançado portista fez com que o resultado não se alterasse ao longo de todo o primeiro tempo.

No segundo tempo, o Estoril entrou melhor, mas cedo baixou o ritmo e deixou o ataque azul e branco fazer o que queria. Sem Gonçalo Santos como opção, por lesão no treino desta manhã, Marco Silva viu-se obrigado «a caçar com gato», o lugar foi dado a Tiago Gomes, que juntamente com Yohan Tavares, Mano e Rúben seguraram a defesa.Vagner foi o principal responsável pela falta de golos dos actuais campeões nacionais. O capitão do Estoril encheu os punhos por mais de 10 vezes e negou golos impossíveis. Destaque para o remate de Quaresma ao minuto 53, que depois de ter passado por dois defesas tentou o remate, o guarda-redes entregou o corpo ao lance e negou o golo ao jogador do FC Porto. Uma defesa bonita, para uma cara feia de Ricardo Quaresma, claramente frustrado com a incompetência ofensiva verificada e com a exibição defensiva do Estoril.

A expulsão do treinador, a vitória dos pupilos

Marco Silva foi expulso do jogo por Vasco Santos. O treinador não conseguiu conter os protestos e obrigou o juiz da partida a mostrar o cartão vermelho e a expulsar Marco Silva do relvado do Dragão.Depois da expulsão do treinador, os jogadores do Estoril ganharam outro ânimo. Balboa foi o primeiro a fazer-se notar e num grande remate à baliza acabou atirar ao lado. Ao minuto 76 foi a vez de Diogo Amado colocar a defesa portista em maus lençóis.

Ao minuto 77 foi a vez de Evandro se tentar isolar na grande área, mas o caminho foi travado por Mangala. O defesa azul e branco fez falta feia na grande área e foi obrigado a ver o cartão vermelho directo. Na conversão, Evandro para um lado, Helton para o outro. Estava feito o golo da equipa visitante e Evandro colecciona agora 9 golos no campeonato. A equipa de Paulo Fonseca estava agora a jogar com dez e a perder por uma bola a zero. As coisas precisavam de mudar e a mudança nasceu dos pés de Ricardo Quaresma, quatro tentativas de golo, quatro «nãos» de Vagner. Estava feito o resultado final e o Estoril voltava a fazer história, mostrando que não é por serem a equipa mais jovem do campeonato que não conseguem lidar com os grandes duelos. O FC Porto, derrotado hoje, volta a cair assim, 5 anos depois, em casa: a última vez que o clube portista perdeu no Dragão remonta à época 2008/2009, contra o Leixões, 82 jogos depois.

E agora Paulo Fonseca?

O treinador do Futebol Clube do Porto já gerava muito controvérsia. No último jogo para as competições europeias, os actuais campeões nacionais deixaram-se empatar com o E. Frankfurt depois de estarem a vencer por duas bolas a zero. No jogo de hoje, a falta de concentração e de finalização ditou a derrota da equipa de Paulo Fonseca. Paulo Fonseca que, de acordo com informações não confirmadas, deixou o seu lugar à disposição no final da partida. Fala-se em Marco Silva para ocupar o lugar do técnico portista, mas em declarações à imprensa o Presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa negou qualquer comentário sobre este assunto. 

VAVEL Logo