Benfica a 8 jogos do título de campeão
Festejos encarnados e mais três pontos para cimentar a liderança das águias

Em nova fase da Liga Zon Sagres, o actual primeiro lugar da tabela recebeu a o dono da 4ª posição, em casa, num jogo com promessas de bom futebol e disputa, tendo em vista o alcance dos objectivos que os dois clubes possuem. Um Benfica cheio de vontade de não repetir o que se passou nas últimas três épocas entrou com força e determinação em jogo, deixando claro que não pretendia acabar os 90 minutos sem a vitória. Com a partida resolvida logo nos primeiros 20 minutos, a equipa da casa dominou e controlou o adversário, que poucas hipóteses de golo registou. Foram Luisão e Rodrigo que asseguraram o resultado a favor dos encarnados, com dois golos impecáveis que marcaram a estreia do capitão benfiquista no marcador, bem como o regresso de Rodrigo aos golos.

Seria de esperar um Benfica favorito, mas o cenário não seria necessariamente esse - ainda que seja evidente a superioridade das águias no campeonato, um Estoril progressivamente mais forte e ameaçador não prometeria uma partida fácil para a equipa da casa, especialmente tendo em conta as recentes vitórias - uma delas no Dragão - bem como o facto de, em todos os jogos fora, os estorilenses só registarem uma derrota. Apesar de toda esta situação, no fim dos 90 minutos de jogo não existia qualquer dúvida relativamente ao resultado - após uma excelente exibição, o Benfica levava a vitória com todo o mérito, após ter sido indiscutivelmente superior.

Benfica não ofereceu hipóteses

Pouco passava das cinco quando o apito do árbitro soou, saindo a bola para a equipa visitante. Ainda que a bola começasse do lado do Estoril, pouco tempo levou ao Benfica a roubar a bola e investir imediatamente no meio campo adversário, rapidamente invadido por Rodrigo que rematou nos minutos iniciais, para uma excelente defesa de Vagner. Logo aqui, o que se ia presenciar na primeira parte ficava claro - um Benfica com intensidade de jogo, sempre a procurar oportunidades para penetrar pela defesa adversária, demonstrando que não estava com intenções de facilitar a tarefa do Estoril. Gaitán, perto do marco dos 5 minutos, rematava à baliza de Vagner, que fechou bem o ângulo e impediu a vantagem Benfiquista. Esta, contudo, chegava na jogada seguinte, aquando do canto ganho por Gaitán.

Na sequência do canto surgido pelo lance de perigo do Benfica, Luisão não perdeu a hipótese de inaugurar o marcador Benfiquista, ele próprio marcando o primeiro golo na Liga esta época. Num pujante cabeceamento, marcado pela excelência, o capitão fez o primeiro golo da partida, inaugurando o marcador e oferecendo a vantagem à sua equipa. Um novo ímpeto surgiu de um golo tão rápido, e a equipa das águias rapidamente se apresentou ainda mais atacante, com as linhas subidas, procurando criar oportunidades de perigo. O Estoril, por sua vez, via-se obrigado a defender, não registando qualquer oportunidade. O jogo era então marcado por um Benfica controlador, que não deixava espaço ao Estoril para criar as suas hipóteses de golo, muito menos efectivá-las. Esta supremacia benfiquista ficou mais uma vez clara aos 19 minutos, desta vez pelo pé de Rodrigo.

Na sequência de uma excelente jogada de equipa, Siqueira efetuou um excelente cruzamento, colocando a bola imediatamente à frente de Rodrigo que, numa atitude fria e tecnicista, rematou com força e sem piedade, nem dando qualquer hipótese ao guarda-redes do Estoril. O avançado consolidava a vitória, naquele que foi também o último golo da partida. Um novo ânimo apareceu para as duas equipas, mas em pouco o jogo se alterou - Benfica mostrava-se sempre dominante, ainda que o Estoril tentasse persistentemente contornar a situação, mas sem eficácia. Nenhuma diferença foi registada nos seguintes 45 minutos.

Procuraram o igual para igual, acabaram dominados

Perante o cenário da primeira parte, seria de esperar que Marco Silva procurasse ser mais ofensivo, especialmente frente à comum atitude do Benfica de baixar as linhas perante uma vantagem por duas bolas. A troca de Gonçalo Santos por Babanco, ao intervalo, foi uma prova disso mesmo, mas que resultados nenhuns acabou por ter - ainda que o jogo fosse mais equilibrado, e o Estoril controlasse mais a posse de bola do que nos anteriores 45 minutos e se demonstrasse mais ofensivo, não saíram do anterior registo, criando muito poucas oportunidades e gerando quase nenhumas situações de perigo, face a mais oportunidades do Benfica. Neste plano, Vagner foi essencial ao resultado - não fosse o guarda-redes estorilista, a vitória do Benfica seria certamente superior.

As ausências com que a equipa de Marco Silva se deparava podem ter tido a sua influência nesta quebra de ritmo de jogo, como é o caso de Carlitos, lesionado, mas certamente que não ajudou o Benfica incisivo registado ao longo de toda a partida. Procurando jogar de igual para igual, o Estoril acabou a sair prejudicado; como dizia Marco Silva em conferência de imprensa, a entrada no jogo não foi a desejada e, logo por aí, o futuro do Estoril estava ditado - procuravam a igualdade, acabaram a ser dominados. Ainda assim, nos segundos 45 minutos de jogo o Estoril demonstrou a sua determinação, jogando mais no meio campo adversário, procurando diminuir a diferença do marcador. Não foi, no entanto, capaz. O 4º classificado acabou mesmo por sair derrotado, registando a segunda derrota fora, mas não perdendo o ânimo para as próximas 8 jornadas, todas elas decisivas para a manutenção e, quem sabe, subida no quadro classificativo.

Jogo de conquistas

Este jogo foi, mais uma vez, um jogo de conquistas para o Benfica - começava com Markovic a ganhar o prémio de jogador de Fevereiro no início do jogo, entregue pelo Sindicato dos Jogadores. Aos 5 minutos, Luisão marcava o seu primeiro golo do Campeonato na época; Menos de 15 minutos depois, era a vez de Rodrigo voltar a marcar, após 7 jogos sem o fazer; pelo fim do jogo, a equipa das águias registava o 21º jogo sem perder e o 9º em casa sem sofrer qualquer golo. A cereja no topo do bolo, contudo, foi para Jorge Jesus - o técnico benfiquista registou, esta tarde, a vitória número 200 na primeira divisão! Um jogo cheio de feitos para equipa Benfiquista que está cada vez, e indiscutivelmente, mais próxima do título - só 8 jogos separam o Benfica de atingir a sua prioridade, descriminada por Jorge Jesus: «A prioridade do Benfica é voltar a ser Campeão».

VAVEL Logo