Benfica procura prestígio na Holanda

O Benfica visita a casa do AZ Alkmaar em partida a contar para a Liga Europa. Em jogo está o acesso à meia-final da prova, mas também a hipótese de superar o desalento vivido na Holanda na passada época, quando perdeu a final da mesma competição, ante o Chelsea, em Amesterdão. Analisemos os principais objectivos da comitiva encarnada na deslocação de logo à noite.

1º Objectivo: Pontuar na Holanda

Jorge Jesus mostrou-se pragmático na análise do embate de logo à noite, apesar do Benfica levar na bagagem o histórico de maus resultados em solo holandês. Para além da final perdida para os ingleses, na edição transacta, os últimos jogos dos encarnados nos Países Baixos terminaram em empate, frente ao Twente e PSV. Ainda assim, o técnico encarnado desvaloriza a questão territorial e considera que até um empate será benéfico para a sua equipa. «Se o Benfica sair daqui com um empate vai muito mais satisfeito para a segunda mão» declarou, aproveitando depois para questionar: «Porque é que não perguntou sobre o facto de o Benfica, cá na Holanda, nunca ter perdido?».

2º Objectivo: Não subestimar o adversário

Foto: Maisfutebol.iol.ptO AZ Alkmaar ocupa, actualmente, a 7ª posição do campeonato holandês, com 12 derrotas em 30 jogos e apenas mais uma vitória. No jogo antecedente à recepção ao Benfica, a equipa orientada por Dick Advocaat empatou frente SC Cambuur e, uma jornada antes, havia perdido com o Ajax em casa. Ainda assim, Jorge Jesus não subestima o seu adversário: «o que importa não é o nome do clube, é a eliminatória que tens pela frente. Queremos sonhar em chegar às meias-finais», acrescentando que «as equipas e os jogadores daqui têm muita qualidade, tanto assim que viemos aqui contratar dois jogadores: Djuricic e Sulejmani».

Por seu turno, Advocaat desvaloriza o favoritismo atribuído à equipa portuguesa, acreditando ser possível viajar para a Luz com uma vitória: «Jogamos em casa, temos essa vantagem, por muito que respeitemos o adversário. Mas, se o Ajax pode ganhar ao Barcelona, por que não poderá o AZ fazer o mesmo ao Benfica?», indagou. De referir que, embora inferior em currículo (apenas apresenta 9 títulos oficiais no palmarés), a equipa holandesa ainda não perdeu nenhum jogo no percurso da Liga Europa.

3º Objectivo: Lidar com as ausências de Fejsa e Enzo Pérez

Por opção de Jesus, Fejsa não foi incluído na convocatória para este jogo, embora tenha alinhado como titular no embate em Braga, da última jornada do campeonato. Ao sérvio junta-se Enzo Pérez, por se encontrar castigado, e abre-se a hipótese à titularidade de Rúben Amorim. Para suprir as ausências, a convocatória fez incluir Paulo Lopes, Steven Vitória, Djuricic e Sulejmani, num total de 21 jogadores que viajaram para a Holanda.

4ª Objectivo: Travar Aron Jóhannsson

O Benfica tem vivido época de reformulação no sector mais avançado, com a confirmação da dupla Rodrigo-Lima, em detrimento de Cardozo. E também Advocaat tem vivido momentos de substituição no ataque da sua equipa. Aron Jóhannsson, o goleador confirmado do AZ Alkmaar viu o seu posto de titularidade ser posto em causa, após ter falhado a marcação de grandes penalidades nos jogos frente Zwolle e Ajax. O treinador holandês criticou a falta de empenho do jogador e, para o substituir, fez saltar do banco o sérvio Gudelj na última jornada, mas não confirma se será esta a sua opção frente ao Benfica. O facto é que a tensão entre Advocatt e Aron Jóhannsson tem-se alastrado no seio do clube, uma vez que os adeptos não vêm com bons olhos que o seu melhor marcador seja relegado para a categoria de suplente. A sair do banco logo à noite, Aron Jóhannsson poderá criar perigo na baliza encarnada, uma vez que é tido como um rematador eficaz, que já conta com 25 golos marcados nesta época.

5º Objectivo: Gozar o prestígio europeu

As águias ambicionam o acesso às meias-finais, mas a presença na actual fase da prova já lhes permite alcançar um feito notável. É que Benfica e o Barcelona são as únicas equipas a repetir a presença nos quartos-de-final das provas europeias por cinco épocas consecutivas. «Por isso é que o Benfica recuperou todo o prestígio que tinha na Europa e é hoje é um cabeça de série. Isso é bom para os jogadores e para os treinadores, mas o mais importante é a identidade do nosso clube Benfica», enalteceu Jorge Jesus.

Onzes prováveis

VAVEL Logo