Os notáveis artilheiros da segunda volta
Bebé, Rondón, Derley, Rafael Martins, Slimani e João Pedro Galvão são alguns dos protagonistas

A primeira volta da Liga Zon Sagres assistiu a uma caminha gloriosa do avançado colombiano Fredy Montero, que liderou o ataque sportinguista com golos em barda: 13 tentos apontados, catapultando o Sporting para os primeiros lugares. O reforço leonino foi, no entanto, sempre acompanhado pela veia goleadora de Jackson Martínez, constante, resistente e fiável. Enquanto que o colombiano do Sporting passou a disparar pólvora seca, o colombiano portista continuou a disparar de modo certeiro, liderando actualmente a tabela dos artilheiros, com 18 golos. 

Derley, avançado do Marítimo, mirou de longe os dois artilheiros, seguindo as pisadas de ambos, embora à distância. Consistente e regular, o atacante insular acumulou golos e partiu para um segunda volta igualmente fecunda, estando agora na segunda posição da lista com 15 golos, atrás somente do líder Jackson. O índice de concretização do brasileiro é elevado: dos 38 golos apontados pelo Marítimo no campeonato, 15 são da autoria de Derley, quase metade da totalidade maritimista, o que faz dele um amuleto ofensivo indispensável no sexto lugar da sua equipa.

Rafael Martins, uma das revelações desta temporada, conta já com 13 golos assinados, fruto de uma segunda volta muito eficaz onde o instinto predador do brasileiro tem sido de inegável importância para as aspirações sadinas. Dos 36 golos rubricados pelo Vitória de Setúbal, 13 são da responsabilidade de Rafael Martins, praticamente um terço do volume total de golos da equipa orientada por José Couceiro, tendo igualado a fasquia de golos do avançado sportinguista Montero.

Mário Rondón, do Nacional da Madeira, é outro dos jogadores mais eficientes da Liga, com 12 tentos rubricados, apenas a um golo de Montero e com os mesmos que o avançado brasileiro Lima, do Benfica. O venezuelano de 28 anos, que este ano tem sido utilizado nas alas, tem confirmado a sua tendência para averbar quantidades de golo assinaláveis: dos 42 golos madeirenses, 12 têm o nome de Rondón, que leva mais golos marcados que o elemento mais avançado da equipa de Manuel Machado, Djaniny (7 golos). O venezuelano realizou um hat-trick no 0-5 contra o Paços de Ferreira.

Islaim Slimani, argelino que reforçou o Sporting esta época, passou uma primeira volta despercebida mas explodiu na segunda: o ponta-de-lança de 25 anos marcou já 8 golos na Liga e emancipou-se da sombra que o companheiro Montero lhe criara. Com o arranque da segunda metade da temporada, Slimani desatou a marcar, decidindo jogos e relegando o outrora profícuo Montero para o banco de suplentes da equipa de Leonardo Jardim. Actualmente, o argelino goza do estatuto de referência atacante do clube e é de relembrar que foi da sua cabeça que surgiu o golo que bateu o Porto em Alvalade na segunda volta.

Bebé, extremo luso do Paços de Ferreira, é nada mais nada menos que o melhor marcador português da prova, com 9 golos. O jogador, emprestado aos «castores» pelo Manchester United, tem realizado uma segunda volta acima de todas as expectativas, facto que tem aberto o olho e aguçado o interesse dos grandes clubes portugueses. Num clube envolto numa crise de resultados extensa, Bebé, de 23 anos, tem sido o esteio pacense na tentativa de manutenção na primeira liga portuguesa: dos 26 golos pacenses, 9 são seus.

João Pedro Galvão, médio ofensivo do surpreendente Estoril, conta já com 8 golos na liga nacional, facto de realçar quando se trata de um jogador que pisa terrenos mais recuados que os dos avançados puros. O jovem brasileiro de 22 anos tem sido uma das muletas ofensivas da equipa treinada por Marco Silva, participando regularmente na tarefa de balançar as redes contrárias. Está perto de atingir a dezena de golos, ficando perto de ter um quarto dos golos da formação canarinha (40 golos no total).

Lima/Rodrigo, dupla atancante do líder Benfica, tem sido uma parceira plena de golos e sucesso nesta segunda volta. Sem Cardozo, os dois jogadores alinhavaram um plano de complementaridade perfeito que tem resultado em golos decisivos na caminhada para o título de campeão: Lima conta com 12 golos e Rodrigo com 11, 33 tentos ao todos, mais de metade da totalidade daqueles que foram marcados pelo Benfica até agora: 54. 

VAVEL Logo