Sporting 2014/2015: O que esperar?

Aquando da sua eleição Bruno de Carvalho referiu que o Sporting não podia passar da pior época de sempre da sua história para a melhor, e de facto no início da temporada nem mesmo o mais fervoroso adepto leonino, imaginava que a sua equipa iria lutar pelo título até perto do fim do campeonato e garantir o segundo lugar com a presença automática na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Por isso a pergunta deste artigo ter toda a lógica de ser colocada. O que esperar do Sporting para a nova época? A equipa valorizou os seus activos e deu a conhecer novas caras como Montero, Slimani, mas principalmente William Carvalho. E é neste ponto que começam a surgir as primeiras dúvidas relativamente, a quem poderá sair? Que perdas podem ser reparadas com maior facilidade? Quais os elementos preponderantes a manter, ou que caso deixem Alvalade serão uma baixa de vulto no plantel e difíceis de colmatar?

Os mais desejados!

William Carvalho é o nome mais apetecível do mercado internacional. Aos 22 anos regressou a Alcochete depois de uma passagem por empréstimo ao Cercle Brugge, para fazer a pré-temporada com a equipa. Leonardo Jardim estava longe de imaginar que o médio fosse peça fundamental no seu esquema táctico e a revelação do campeonato nacional. Inter Milão, Juventus, Real Madrid, Manchester United, são alguns dos muitos «tubarões» europeus que já sondaram o Sporting na perspectiva de adquirir o jovem angolano, e nem os 45 milhões de cláusula de rescisão parecem afastá-los e com o Mundial à porta o interesse cresce ainda mais.

O certo é que Bruno de Carvalho, já afirmou que o clube não está vendedor, mas se a proposta for irrecusável... por outro lado será importante para o clube manter William, pois a presença na champions implica que a equipa se apresente com um conjunto de jogadores à altura da competição de forma a fazer boa figura, e com boas exibições a exposição aos grandes da Europa será ainda maior.

Derivado aos maus resultados desportivos e financeiros das últimas temporadas, Rui Patrício foi um dos nomes mais falados para sair do clube, até porque salvou-se sempre como o melhor elemento da equipa e evitando até males maiores. Com 26 anos e em ano de Mundial esta poderá a última oportunidade para um bom encaixe monetário, embora nos últimos dias a SAD leonina tenha manifestado a sua vontade em contar com o guarda-redes da selecção nacional, no entanto emblemas como o Monaco e Arsenal, já por diversas ocasiões mostraram interesse nos seus serviços. Rui Patrício tem sido um elemento preponderante no Sporting e a sua saída seria uma baixa de vulto para a nova época.

De saída?

São vários os jogadores leoninos que poderão sair por forma a permitir uma boa receita para os cofres do clube e assim verem colmatadas as suas ausências, que não causariam tantos estragos na estrutura da equipa. Diego Capel tem sido associado a clubes ingleses, mas nos últimos dias o Marselha voltou a mostrar interesse no extremo estando o Sporting disponível para deixar sair o espanhol, desde que a proposta ronde os 7 milhões de euros. O salário elevado de Capel é também uma das condicionantes que poderão levá-lo a deixar Alvalade, no entanto é conhecida a forte ligação que une o andaluz aos adeptos leoninos factor que deverá ser levado em conta na hora de negociar.

Diego Capel entusiasmou os adeptos leoninos (lusogolo.com)

Marcos Rojo é outro elemento a poder abandonar o Sporting. Titular da selecção argentina e com presença quase certa no Brasil, salvo alguma lesão de última hora o central poderá dar o salto para uma liga com maior visibilidade além de melhorar a sua condição financeira. Em Inglaterra, o Arsenal e os rivais de Manchester foram alguns dos emblemas que já revelaram interesse no jogador leonino. Outro defesa que tem merecido as atenções do mercado europeu é Cédric Soares, o lateral direito tem sido ligado a clubes alemães, nomeadamente Borussia Monchengladbach e Schalke 04 e caso a proposta seja boa para os leões, o jovem poderá mesmo sair.

Lá na frente Slimani também é um dos nomes a ter conta para uma possível transferência. O argelino foi uma verdadeira surpresa e na sua primeira experiência no futebol europeu, adaptou-se ao clube e estilo de jogo do campeonato nacional sendo decisivo em vários jogos do Sporting nesta temporada. De França, o Marselha tem mostrado interesse nos seus serviços. Depois existem jogadores cuja a saída é uma certeza visto estarem por empréstimo, como são os casos de Welder e Piris.

Entradas podem vir de dentro!

No que toca ao reforço do plantel e tendo já Bruno de Carvalho avisado que o Sporting não vai entrar em loucuras, as entradas podem chegar mais uma vez via Alcochete, com a subida à equipa principal dos jovens Ricardo Esgaio, que faz todo o corredor direito, do médio brasileiro Wallyson Mallmann que os leões adquiriram ao Manchester City e do extremo Ousmane Dramé, que veio a custo zero no mercado de inverno e tem realizado boas exibições ao serviço da equipa B. Outro jovem que poderá dar o salto é Iuri Medeiros, extremo que tem no seu pé esquerdo uma enorme mais valia. De regresso ao clube estão também João Mário, que após empréstimo ao Vitória Setúbal já é certo que na próxima temporada fará parte do plantel principal, assim como Valentin Viola, que esteve emprestado ao Racing Avellaneda da Argentina clube ao qual havia sido adquirido pelos leões.

De resto o mercado português tal como nesta época pode voltar a ser uma aposta dos leões, depois de Jefferson contratado ao Estoril e Heldon ao Marítimo, vários são os nomes apontados a Alvalade. Djavan da Académica, Edimar do Rio Ave são hipóteses para o lado esquerdo da defesa. Derley do Marítimo tem sido falado para o ataque. O que é certo é que em ano de Liga dos Campeões, o Sporting terá que necessariamente se reforçar se quiser fazer boa figura na prova, além de que a introdução nas provas europeias vai exigir um plantel mais numeroso dado ao maior número de jogos que vão existir.

Treinador não mexe!

Leonardo Jardim tem mais um ano de contracto com o Sporting por isso a sua continuidade não está em causa, a menos que algum clube ofereça os 15 milhões de euros da cláusula de rescisão. A questão que se coloca é o prolongar ou não a sua ligação ao clube e esse tem sido um dos temas mais abordados nos últimos dias, mas tanto o técnico como o presidente Bruno de Carvalho já concordaram em sentar-se à mesa quando a época terminar para então aí falarem sobre o assunto, deixando no entanto ambos transparecer a ideia de que o treinador madeirense vai mesmo continuar em Alvalade.

VAVEL Logo