Apenas para o calendário... ou não só
Jogo da 1º mão. Foto: Lusa

Apenas para o calendário... ou não só

O Benfica despedir-se-á do Estádio da Luz esta época com uma recepção ao Vitória de Setúbal que poderá apresentar mais do que um encontro para cumprir calendário.

rafaelreis
Rafael Reis

Conforme o Verão se vai instalando, à mesma velocidade se vai despedindo a Liga ZON Sagres e o seu já coroado campeão nacional, o Benfica, que pode assim aproveitar as duas jornadas que faltam para continuar a oferecer um bom espectáculo aos seus adeptos, oferecer oportunidades a atletas menos utilizados e inclusivamente elementos que ainda não evoluíram nesta edição da prova e que por isso ainda não se considerarão campeões de pleno direito e mais do que tudo para rodar os seus valores.

A partida não reservará qualquer interesse classificativo

Desportivamente, a recepção ao Vitória de Setúbal nada oferece, uma vez que se os encarnados conquistaram já o título nacional também o conjunto do Sado a nada aspira, colocado numa posição que o posiciona entre os lugares europeus e os adversários que ainda lutam pela sobrevivência. Ainda assim, nem por isso será de esperar um espectáculo menos interessante.

Para o Benfica surge o desafio de continuar a manter a total predominância enquanto visitado, mesmo ciente de que uma vez mais parte numa posição de amplo favorito depois na última jornada, precisamente no mesmo palco, não ter enjeitado a oportunidade de arrecadar o título perante um aflito Olhanense.

Nessa altura, o Benfica detinha «maiores probabilidades de vencer e o Olhanense não deverá ser um adversário perigoso mesmo estando na luta pela manutenção e em busca de pontos,» como perspectivava o jornalista Nuno Sousa. Pese a maior qualidade dos setubalenses comparativamente com os algarvios, esta situação não se altera minimamente.

Benfica esperará despedir-se bem do seu estádio

«A diferença entre o Benfica e o Olhanense é muito grande,» constatou também o comentador Mário Fernando, tendo o mesmo sido aplicado à deslocação ao terreno do Arouca. Desta forma, coloca-se para o Vitória o aliciante de mostrar a sua qualidade perante a melhor equipa da prova e tentar surpreender, ao passo que para as águias se esperará respeito pelo adversário e orgulho próprio.

Todavia, mesmo com uma postura de respeito o Benfica deverá mesmo imprimir alterações profundas no seu alinhamento titular, oferecendo descanso praticamente à totalidade dos heróis de Turim, a começar pela baliza, sector no qual poderá inclusivamente surgir o veterano Paulo Lopes para que também possa surgir entre os nomes dos atletas campeões nacionais esta época.

O mesmo poderá aplicar-se aos jovens de maior potencial que figuram na equipa B, o que, quem sabe, poderá abrir uma janela de oportunidade a João Cancelo na lateral direita, cabendo a André Almeida a asa esquerda, permitindo uma merecida ‘folga’ a Guilherme Siqueira, da mesma forma que Luisão e Ezequiel Garay terão como provável uma oportunidade para respirar e ceder os respectivos lugares a Jardel e Steven Vitória.

Continuará a estar no meio-campo a base de orientação da equipa, razão pela qual se esperará a presença de jogadores mais rodados, parecendo certo o retorno de André Gomes, até porque não alinhou frente à Juventus, sendo expectável a continuidade de Enzo Perez até porque face à expulsão em Itália acabou por em simultâneo ser libertado do desgaste a que os seus restantes companheiros foram votados.

As águias poderão estrear várias promessas

No que diz respeito às alas ofensivas, e até porque em princípio as águias não poderão contar com Eduardo Salvio e Lazar Markovic, castigados, na final da Liga Europa, este encontro surgirá como mais uma oportunidade para Ivan Cavaleiro e Miralem Sulejmani mostrarem serviço – deverão alinhar os dois. Caso o Vitória sirva de ‘tubo de ensaio’, não seria de descurar a continuidade de Rodrigo na equipa de forma a assumir desde logo o melhor entendimento com um dos extremos, ou quem sabe com ambos.

Para fechar a equipa, e também para folgar um pouco o desgastado Lima, Oscar Cardozo deverá regressar à titularidade, não devendo esquecer-se que durante a segunda parte, para juntar às possíveis estreias relacionadas com Paulo Lopes e Cancelo outros jovens craques poderão alimentar legítimas esperanças de também deterem o título 2013/2014 no seu currículo, até pelo futuro que possuem pela frente.

À cabeça surgirão promessas como Bernardo Silva, mas também outros elementos bem cotados aos olhos de Jorge Jesus poderiam contar com esse bónus, casos de Bruno Varela, Victor Lindelof, Hélder Costa, Lolo ou Rui Fonte. Representaria uma oportunidade de carreira que encheria qualquer destes jogadores de orgulho e certamente contaria com a aprovação dos adeptos.

VAVEL Logo