Sauber corta e redesenha C33 para GP de Espanha
Gutiérrez à entrada da box, com os mecânicos em redor do seu C33 (Foto: Motorsport.com).

A Sauber ainda não pontuou na época de 2014, e levando em conta os muitos problemas técnicos que tem enfrentado, está longe de ter tido um arranque feliz ou promissor. É, portanto, com natural expectativa que a equipa suíça encara o GP de Espanha, onde implementará diversas novidades no seu monolugar.

Adrian Sutil, piloto alemão que transitou da Force India, foi 11º na Austrália, mas abandonou nas três corrida subsequentes. Já Esteban Gutiérrez, no seu segundo ano pela Sauber, fez pouco melhor. Não conseguindo superar o seu 12º posto na Austrália, o mexicano abandonou por duas ocasiões.

Menos peso e mais aerodinâmica

Giampaolo Dall'Ara, engenheiro-chefe da equipa, avançou que, desde a prova chinesa (a última corrida disputada), o C33 sofreu uma acentuada redução de peso. Esta era, aliás, uma das principais preocupações dos suíços desde o início da época, que identificaram ainda a falta de velocidade como principal consequência do peso excessivo do monolugar.
Além disso, o técnico confirmou ainda que o C33 foi alvo de vários desenvolvimentos aerodinâmicos, como uma nova e modificada asa dianteira, uma nova protecção para o motor, redesenhadas asas e deflectores nas entradas de ar laterais, que este ano se afiguram mais relevantes pelo maior número de componentes presentes nos monolugares e pela necessidade quer de os colocar dentro da carroçaria quer de os refrigerar mais eficazmente.

Além destes pontos, Dall'Ara afirmou ainda que «as melhorias no software vão permitir-nos usar o potencial da nossa unidade motriz de melhor forma». A velocidade de ponta tem sido, também, uma das pechas da Sauber, sobretudo pela inconstância do desempenho do motor Ferrari que equipa o C33. No GP da China, Gutiérrez apontou a velocidade máxima no speed-trap de 320,4 km/h (foi o 4º mais lento). O seu companheiro de equipa, Sutil, fez a pior passagem pelo speed-trap, a 256,8 km/h, mas recorde-se que o alemão abandonou logo à 9ª volta, devido a problemas precisamente na sua unidade motriz.

Adrian Sutil, que não cruzou a linha de meta nas últimas três corridas, mostrou-se esperançado: «Depois de três abandonos consecutivos, precisamos de terminar esta corrida [GP de Espanha]. Estou ansioso, e penso que a nossa performance será mais forte do que nas últimas corridas». 

VAVEL Logo