«L'Équipe» dá Jorge Jesus certo no Mónaco
Jesus poderá treinar Falcão, Moutinho, Rodríguez e Carvalho na próxima época (Foto original: Reuters/François Lenoir)

A fonte é credível e a informação já corre pelas bocas do mundo futebolístico: Jorge Jesus, treinador do Benfica, estará perto de rumar a França, a fim de treinar a milionária formação do Mónaco. Adianta o «L´Équipe» que o treinador português está assim prestes a colocar um ponto final no percurso de cinco anos à frente dos destinos técnicos dos encarnados, tendo já negociado os termos do seu novo contrato com a equipa monegasca, segunda classificada no campeonato francês. O contrato, que deverá ter a duração de dois anos com um terceiro de opção, terá sido elaborado ontem, na presença do conselheiro desportivo do Mónaco, o luso Luís Campos.

Depois de alguma especulação sobre o interesse do clube monegasco na contratação de Leonardo Jardim, técnico do Sporting, a escolha parece definida pela direcção monegasca: Jorge Jesus reúne os requisitos necessários para substituir Claudio Ranieri, que sairá no final da temporada. O clube integrará o lote de equipas que irão disputar a Liga dos Campeões e o ainda treinador encarnado encaixa no perfil desejado - experiente, tacticamente evoluído e capaz de impôr um futebol ofensivo e atraente. As provas europeias dadas por Jesus não deverão ter ficado de fora da ponderação do presidente russo Dmitry Rybolovlev e do quadro de gestores do clube: o treinador benfiquista atingiu duas finais da Liga Europa e uma meia-final em cinco temporadas de águia ao peito.

Explorar o potencial da armada monegasca

Este será o lema de Jesus na sua aventura pelo Mónaco, caso a contratação se concretize: explorar ao máximo o grande potencial que a formação francesa possui em suas fileiras. Jogadores como Falcão, James Rodríguez, João Moutinho precisarão, de acordo com a opinião da direcção, de um treinador capaz de materializar em campo todo o potencial que estes apresentam mas que não foram capazes de traduzir em exibições de alto nível. Na imprensa francesa afirma-se que, com a contratação de Jesus, os treinos da formação monegasca passarão de ligeiros a duros e exigentes.

Sair do Benfica em grande estilo

A aura de Jorge Jesus está em alta, depois do feito cumprido de vencer a Liga Zon Sagres, objectivo que no ano passado fugiu por meros segundos. A juntar ao triunfo nacional, o técnico de 59 anos conquistou a Taça da Liga (a quarta da sua carreira) e carimbou o passaporte para Turim, onde voltará a disputar a final da Liga Europa, depois de no ano passado tê-la perdido para os ingleses do Chelsea. Jorge Jesus está nos píncaros da aceitação dos adeptos vermelhos, estando também perto de atingir um feito inolvidável no clube: vencer a Liga Europa, antiga Taça Uefa, marco que o clube nunca conseguiu atingir na sua História. Depois do embate contra o Sevilha, haverá ainda final da Taça de Portugal...mas segundo o «L'Équipe» Jesus poderá, a essa altura, já ser treinador do Mónaco.

Jesus: uma montanha-russa de sentimentos

Perto de se aventurar pela primeira vez no estrangeiro em termos profissionais, Jorge Jesus colocará assim um ponto final na ligação com o Benfica. Cinco épocas de amor e ódio, de vitórias categóricas e derrotas trágicas, sentimentos contraditórios e muitas opiniões divididas. Hoje em dia, Jorge Jesus é um treinador consensual no seio da massa benfiquista, mas nem sempre assim foi. Depois da ter vencido a Liga em 2009/2010, logo no seu primeiro ano de águia ao peito, Jesus passou um jejum de 3 anos, perdendo para o Porto fortíssimo de Villas-Boas e, por duas vezes, para o de Vitor Pereira, deixando nessas ocasiões escapar o campeonato por entre os dedos.

A derrota pesada que significou o sucesso de Villas-Boas (2010/2011), tanto na Liga como na edição da Taça de Portugal (reviravolta portista na Luz, por 1-3), deu começo à contestação. As duas derrotas seguintes, para o Porto de Vitor Pereira (2011/2012 e 2012/2013), com o Porto a fazer a festa, primeiro em plena Luz e depois a segundos do fim, em pleno Dragão, acentuaram o descontentamento dos adeptos, que, depois das derrotas nas finais da Liga Europa e Taça de Portugal, queriam o treinador fora da Luz. O arranque da presente época em nada melhorou a condição de Jesus: ferido pela rebeldia de Cardozo, o técnico viu a sua equipa começar com o pé errado. O Benfica chegou a ter 5 pontos de desvantagem sobre o FC Porto.

Segundo o citado jornal francês, Jorge Jesus poderá abandonar o Benfica logo depois de disputada a final da Liga Europa, na próxima Quarta-feira.

VAVEL Logo