Liga despede-se do Olhanense
O presidente do Olhanense, Isidoro Sousa, emocionado após a descida da sua equipa (Foto: Rui Minderico)

O Belenenses, embora partisse pontualmente em vantagem para o último desafio do campeonato (25 pontos), precisava de garantir a vitória para a permanência por mérito e sem dependência de terceiros. Quanto ao Olhanense e Paços de Ferreira, empatados com 24 pontos, ficaram aquém de conseguir os 3 obrigatórios, voltando a conhecer a derrota. No final, terminam a prova com as mesmas 6 vitórias, iguais 6 empates e equivalentes 18 derrotas. Épocas infelizes a Sul e a Norte, que ditaram, por critério de desempate, que o Olhanense saísse do terreno do Vitória de Setúbal com pesar e que o Paços ficasse a sonhar com a permanência, antevendo a decisão por play-offs, como ditam as regras da Liga.

O Adeus após 5 épocas

Competindo numa numa prova orientada para Norte, o Olhanense lutava há 5 anos por descentralizar a principal liga portuguesa, obrigando 15 equipas a viajar para o Algarve uma vez por ano. Contudo, esta não foi uma época exemplar para o emblema, que partia para esta jornada com poucos resultados alcançados e com menor probabilidade de atingir o objectivo. Em desvantagem pontual perante o Belenenses e no confronto directo com o Paços de Ferreira, não só era imperativo ganhar, como rezar pela derrota alheia. Contudo, o Vitória de Setúbal não se mostrou um anfitrião cordial, marcando por 3 vezes. Para o Olhanense ficou apenas um golo. O da despedida.

O declínio em Paços de Ferreira

Após a derrota ante a a Académica (2-4), e alcançada a penúltima posição na tabela classificativa, a equipa de Jorge Costa terminará o campeonato mais tarde. Segundo as regras ditadas em virtude do alargamento do campeonato, o Paços terá de enfrentar o 2º classificado da 2ª Liga para decidir o seu futuro. O Desportivo de Aves tratará de lutar pela subida, podendo dar o golpe final na época insípida dos pacenses, que no início época já discutiram um apuramento em play-offs. Discutia-se, porém, o acesso à Liga dos Campeões, frente ao Zénit, o que ajuda a perceber bem o percurso descendente do Paços de Ferreira. Depois de lutar pela principal prova de clubes, e após actuar na Liga Europa, detém-se agora com o desafio de não ser despromovido.

Belenenses subiu para ficar

Em 2012/2013, antes de jogadas todas as jornadas, o Belenenses festejava o seu regresso ao escalão que, tradicionalmente, tomava como seu, pondo fim a um ciclo triste na história do clube. A presente época não foi fácil para os do Restelo, que se viram a braços com mudanças do quadro técnico, após despedida forçada de van der Gaag. Ainda assim, conseguiram roubar pontos na recepção ao Porto e na deslocação à Luz, com empates que se poderiam ter revelado mais significativos, nas contas de despedida desta edição do campeonato. Com a vitória de ontem (1-0), frente ao Arouca, o Belenenses selou, por seu mérito, a permanência. 

VAVEL Logo