Cavalo ferido procura reerguer-se
(Foto: Ferrari)

À quinta corrida, a Ferrari continua aquém do esperado. Em Barcelona, onde muito expectativa cercava o F14-T, alvo de grandes remodelações nas semanas que antecederam o GP de Espanha, a marca do cavalo rampante não foi além das 6ª e 7ª posições de Alonso e Räikkönnen, respectivamente. Cumpria-se um ano sem vencer na F1 para a marca italiana.

Recente insucesso

Alonso, que corria perante o seu público, não foi senão capaz de ultrapassar o seu colega de equipa, muito à custa da estratégia de três paragens do espanhol (face às duas do seu colega), que permitiu a Alonso forçar mais os pneus e ultrapassar Räikkönnen. O finlandês não ficou satisfeito com a opção da equipa, uma vez que o seu colega parou primeiro, ficando em posição de atacá-lo, numa altura em que era de Räikkönnen a melhor posição da equipa e que, portanto, seria sua a prioridade para efectuar a passagem pelas boxes: «A estratégia de duas paragens revelou-se um erro, porque a degradação dos pneus impediu-me de forçar mais o andamento.»

No final da corrida, tanto Alonso como Räikkönnen reforçaram a ideia de que o 6º e 7º lugares não são compatíveis com uma marca como a Ferrari, e reiteraram o seu empenho em ajudar a melhorar os seus monolugares. «Vamos continuar a trabalhar dia e noite: definitivamente não podemos esperar ter um carro novo, porque não se alcança uma revolução num tão curto espaço de tempo, mas faremos o nosso melhor para melhorar em todas as áreas.», afirmou o piloto espanhol.

Trabalhar em duas frentes

Montezemolo, presidente da Ferrari, que tem estado presente na garagem da equipa nas últimas corridas, veio já dizer que «não esperava que a equipa fosse tão menos competitiva do que as minhas expectactivas no início da época.» E o homem-forte da marca italiana quer ver melhoramentos brevemente: «Espero ver melhorias no carro no Canadá, de acordo com o que me têm dito nas reuniões dos últimos dias.»

Com esse propósito, sabe-se já que a Ferrari trabalhará em duas frentes, de acordo com o seu site oficial. Durante esta semana, o cavalo rampante trabalhará na fábrica em Maranello, com os engenheiros focados quer no curto quer no longo prazo, e em Barcelona, com Kimi Räikkönnen a conduzir o F14-T na quinta sessão de testes da época. Segundo Pat Fry, Director Técnico responsável pelo chassis Ferrari, «tentaremos tirar o melhor partido dos dois dias de testes desta semana, aqui em Montemeló [Espanha], para avançar no desenvolvimento do F14-T. O objectivo é entregar aos nossos pilotos um pacote mais competitivo.»

Marco Mattiaci, que subtituiu Stefano Domenicali como Chefe da equipa há cerca de um mês, afirmou que «hoje, todos estamos cientes da situação em que nos encontramos e de que temos de subir uma mudança imediatamente. (...) Temos dois pilotos extremamente combativos e motivados, assim como um grupo de trabalho coeso, com todos a partilhar e a apoiar a ambição de alcançar um novo ciclo vencedor.»

O diagnóstico parece feito no seio da equipa de Maranello, e com técnicos, pilotos e mecânicos focados no desenvolvimento do seu monolugar, veremos do que será capaz a marca italiana, já nas próximas corridas. No fim-de-semana de 23 a 25 de Maio corre-se o GP do Mónaco.

VAVEL Logo