Futuro da equipa das quinas avizinha-se risonho

A equipa das quinas marcou presença nas últimas 8 provas de selecções e estará também em Junho no Brasil para disputar o Mundial de 2014. A verdade é que desde 2000 Portugal teve 3 bolas de ouro, uma de Luís Figo e duas de Cristiano Ronaldo e contou sempre com um elemento de classe mundial na sua selecção, ajudando a mascarar algumas debilidades.

Uma geração menos espectacular mas mais equilibrada

Não se perspectiva o aparecimento de nenhum elemento com a qualidade de Figo e Ronaldo mas esta nova geração de jogadores Portugueses apresenta um nível médio muito elevado e mesmo sem essa super individualidade parece ter opções válidas para todas as posições, algo que hoje em dia não acontece. É impossível prever com exactidão o desenvolvimento destes jovens jogadores mas a matéria-prima existe, com trabalho, dedicação e alguma sorte à mistura a selecção Portuguesa pode vir a ser uma das mais competitivas de que há memória.

Com o panorama económico cada vez mais exigente os clubes Portugueses estão quase obrigados a apostar na formação e tentar fazer encaixes com a venda de jovens valores. Depois do Sporting ter feito uma aposta clara “na prata da casa” também o Porto e o Benfica parecem caminhar nessa direcção, apostando cada vez mais em jovens valores Portugueses. E quem beneficia com esta aposta é a equipa de todos nós.

Baliza

Pese embora ainda haver Rui Patrício por muitos e bons anos também há jovens valores na baliza das quinas a despontar, sendo que o maior destaque vai para Anthony Lopes. O Luso-francês foi titular na baliza do Lyon e rubricou exibições muito interessantes tanto na Ligue 1 como na Liga Europa, tendo inclusive sido convocado para os trabalhos da selecção embora sem se estrear com a equipa das quinas. Aos 23 anos Lopes é ainda muito jovem para guarda-redes e já é titular de uma equipa de topo europeia onde demonstra qualidade e segurança, a continuar assim tem condições para assumir a baliza da selecção no futuro.

Também em Portugal há jovens talentos na baliza com Bruno Varela na equipa B do SL Benfica e José Sá defendendo as redes dos insulares do Marítimo a destacarem-se como boas opções de futuro.

Defesas Laterais

Na esquerda, preenchendo todo o flanco com muita velocidade e capacidade para aparecer com perigo no ataque o Luso-francês Raphaël Guerreiro vai mostrando qualidade na Ligue 1 com exibições sólidas pelo Lorient. Em época de estreia na primeira divisão francesa Guerreiro foi titular em 34 dos 38 jogos da equipa do norte de França, contribuindo para o oitavo lugar conquistado. Guerreiro foi recentemente chamado por Rui Jorge aos sub-21 por 2 vezes e até já foi associado ao FC Porto. Luís Martins, formado no Seixal e vice-campeão de sub-20 na Colômbia, embora menos vistoso no envolvimento na manobra ofensiva do que Guerreiro é também um bom lateral esquerdo. Depois de se ter estreado na equipa encarnada em 2011/2012 pela mão de Jorge Jesus, Martins perdeu espaço e foi mesmo relegado para a equipa B na época seguinte, onde rubricou exibições interessantes e chamou à atenção do Gil Vicente, para onde se mudou em Janeiro. Em Barcelos tem sido titular e marcou até 2 golos pela equipa de João de Deus na temporada que agora terminou.

João Cancelo parece quase um predestinado para a posição que agora é de João Pereira como lateral direito. Com apenas 19 anos já conta com um título de campeão nacional, depois de se ter estreado pela equipa do Benfica no derradeiro jogo do campeonato no estádio do Dragão. Cancelo é muito rápido e forte no um contra um, aparecendo muito bem no apoio ao ataque. Podendo também jogar do lado esquerdo João Cancelo oferece também muita intensidade defensiva e qualidade na antecipação, tendo ainda espaço para melhorar o posicionamento defensivo. Com apenas 19 anos o futuro augura-se promissor e Cancelo promete disputar a vaga de lateral direito da equipa da Luz já para o ano.

Do outro lado da segunda circular mora Ricardo Esgaio, o polivalente leão parece mesmo ter-se estabilizado na posição de lateral direito depois de ter feito a formação como extremo e de ter jogado algumas partidas a médio. Depois de uma excelente época na equipa B do Sporting onde apontou 16 golos tudo indica que será integrado na equipa principal. Muito veloz, intenso e disciplinado tacticamente Ricardo Esgaio aparece como uma alternativa muito capaz e regular para a vaga no lado direito da defesa.

Defesas Centrais

Apontado como o novo Ricardo Carvalho, pela calma e classe com que joga, o ex-Vitória de Guimarães Paulo Oliveira revela muito potencial. Chamado por Rui Vitória no inicio da época passada devido aos problemas financeiros do Vitória, Paulo Oliveira teve espaço para crescer e foi importante para a boa época do clube da cidade de berço que culminou com uma vitória sobre o Benfica no Jamor. Depois de ter recentemente protagonizado uma transferência para o Sporting Paulo Oliveira terá para o ano um novo desafio de se mostrar numa realidade competitiva diferente, mais exigente, e onde disputará a Liga dos Campeões. Em Alvalade será colega de Tobias Figueiredo, o jovem leão que terminou recentemente uma época de empréstimo no Reus de Espanha. Apontado como um elemento de muito Potencial Tobias perdeu algum espaço na equipa leonina para Rúben Semedo mas continua a merecer a confiança do seleccionador Rui Jorge.

Depois de uma transferência para o Liverpool onde não conseguiu impor o seu futebol, Tiago Ilori esteve emprestado no Granada durante a segunda metade da época onde foi titular em 9 partidas, com destaque para uma exibição muito conseguida frente ao Barcelona que mereceu destaque da imprensa Espanhola. Ilori é um central muito rápido e forte, com um bom tempo de salto e que joga bem na antecipação, estando numa fase importante do seu desenvolvimento como jogador é importante que arranje uma solução onde possa jogar regularmente pois não se afigura fácil que conquiste espaço por terras de sua majestade no vice-campeão Inglês. Com a chegada de José Couceiro a Setúbal a equipa do Bonfim subiu de produção e surpreendeu toda a gente lançando jovens Portugueses, um deles foi Ruben Vezo. O jovem central impressionou pela sua qualidade e maturidade e fez o suficiente para convencer o Valência a garantir o seu passe no mercado de inverno. Sem muito espaço no emblema che Vezo lutou pelo seu lugar e marcou presença em 8 partidas marcando 1 golo.

Médio Defensivo

A grande revelação do campeonato em Portugal foi mesmo William Carvalho. Desconhecido pela maior parte dos adeptos de futebol há um ano William conquistou o seu espaço no Sporting sendo titular indiscutível da equipa de Alvalade, motivando até a saída do capitão Rinaudo. Sendo muito assertivo na recuperação de bola e fundamental na organização defensiva dos leões, William não se limita a ser um elemento defensivo e revela muita qualidade na posse de bola e capacidade de construir jogo a partir de trás. A boa época de leão ao peito não passou despercebida e William estreou-se na selecção no playoff frente à Suécia. O Sporting e o futebol Português pode ser “pequeno” para a qualidade do jovem William e fala-se inclusivamente do interesse de alguns dos maiores emblemas da Europa no seu concurso. Chegado da catalunha Luís Gustavo reforçou o Rio Ave de Nuno Espírito Santo e contribuiu para a época histórica dos vila-condenses que marcaram presença em duas finais. Não sendo titular indiscutível no conjunto verde e branco Gustavo revelou qualidade na saída de bola e velocidade no transporte de bola, pecando um pouco no capitulo defensivo. Com apenas 21 anos terá espaço para crescer e mostrar todo o seu futebol.

Médio Centro

Depois de um início de época pouco conseguida ao serviço do Sporting B João Mário mostrou toda a sua qualidade no Vitória de Setúbal. Depois de ter sido emprestado com o objectivo de ganhar experiência, João Mário agarrou o lugar no meio campo sadino e foi mesmo um dos destaques da equipa na segunda metade da época, merecendo até uma presença na pré-convocatória para o Mundial do Brasil. Com muita qualidade técnica, capacidade de passe e visão de Jogo, João Mário promete ser um dos grandes valores desta geração. Também nos 30 pré-convocados do seleccionador nacional esteve André Gomes. O médio ex-Benfica foi comprado pelo agente Jorge Mendes em Janeiro por um valor à volta dos 15 milhões de euros, o que atesta a sua qualidade. Embora às vezes mostre alguma falta de intensidade em jogos importantes André Gomes revela muita qualidade de passe e muita classe a jogar, ganhando algum espaço na competitiva equipa do Benfica, onde jogou sobretudo nas provas europeias. Colega de Ilori no Liverpool, João Teixeira estreou-se este ano pela equipa principal dos reds. Depois de ter chegado a terras de sua majestade como moeda de troca pela compra de Insúa Teixeira tem vindo a conquistar o seu espaço na equipa secundária do histórico Liverpool, com uma curta passagem por empréstimo no Brentford.

Médio Ofensivo

Com apenas 19 anos e em época de estreia na Série A Bruno Fernandes pegou de estaca na Udinese e impressionou pela sua qualidade como número 10, o que lhe valeu até algumas comparações com Rui Costa. Um verdadeiro criativo, Fernandes impressiona pela qualidade técnica e capacidade de resolver no último passe, aparecendo também muitas vezes em situações de finalização, o que lhe permitiu balançar as redes 4 vezes durante a época transacta. Fernandes tem muita magia nas botas e é costume vê-lo a fazer algumas "maldades" aos adversários. Apesar de ainda jovem já conta com um ano de experiência ao mais alto nível onde despertou inclusivamente o interesse da Juventus que sondou o Udinese em Janeiro.

Bernardo Silva é a nova coqueluche dos adeptos benfiquistas. O jovem jogador formado no Seixal também não foge às comparações com o maestro e parece o sucessor de Pablo Aimar com a camisola 10 das águias. Bernardo mostra muita qualidade no drible em progressão e é dono de uma visão de jogo ímpar, comandando as acções do Benfica B foi presença assídua na formação secundária do clube da luz, com 7 golos nos 38 jogos que disputou. Tal como Cancelo, Bernardo teve também um prémio pela boa época na equipa B e estreou-se no campeonato pela equipa A no Dragão, sagrando-se também ele campeão nacional. Também no Porto mora um craque que pode vir a usar o 10 nas costas, de seu nome Tozé. O jovem médio vai alinhar no Estoril por empréstimo e poderá beneficiar da propensão em lançar jovens de José Couceiro para evoluir ainda mais. Com muito golo nos pés, entrega ao jogo e um espírito de liderança assinalável Tozé parece ser um jogar “à Porto”, capaz de se vir a afirmar nos azuis e brancos, depois de uma época positiva em que conseguiu inscrever o seu nome na ficha de marcadores 21 vezes nos 40 jogos que disputou na equipa B dos Dragões.

Extremos

Da tão famigerada academia de Alcochete saiu mais um extremo com muita qualidade. Agora na Turquia, a contas com uma complicada lesão que o pôs fora dos relvados na segunda metade da época, Bruma parece ser o senhor que se segue na linha de talentosos extremos portugueses. Muito rápido e explosivo Bruma massacra os defesas contrários no um contra um e é capaz de fazer levantar o estádio com jogadas de enorme virtuosismo técnico. Embora ainda um pouco imaturo e pouco objectivo nas suas acções Bruma é sem dúvida um talento puro que se pode vir a transformar na grande referência individual da selecção nos próximos anos.

Quando o Braga ganhou o seu concurso ao Sporting no verão passado poucos sabiam quem era Rafa Silva, hoje encontra-se nos trabalhos da selecção A, para jogar o mundial no Brasil. Depois de uma época muito conseguida a “10” no Feirense, Rafa viu Jesualdo Ferreira encosta-lo a uma faixa no Braga e não estranhou a adaptação. Veloz, tecnicista e com uma boa visão de jogo Rafa foi espalhando magia nos relvados que pisou, até ter sido fustigado por uma lesão que lhe complicou a época. Ainda assim fez o suficiente para convencer Paulo Bento a levá-lo ao Brasil e poderá ser o Joker da selecção, podendo jogar como extremo ou médio sempre com qualidade. Dispensado das camadas jovens do Benfica em 2011, Ricardo Horta encontrou nova vida em Setúbal, também pela mão de José Couceiro. O entusiasmante extremo foi peça fundamental da renovada equipa do Vitória e rubricou exibições muito interessantes no Bonfim, aparecendo tanto a fazer golos como a dar a marcar aos seus colegas. Ilídio Vale chamou-o para Toulon onde tem estado bem ao serviço da selecção. Horta já foi associado ao Sporting e ao Porto, resta saber onde vai alinhar na próxima época, sendo certo que o Vitória parece não ter capacidade para segurar o jovem extremo.

Rony Lopes disse estar a viver um sonho quando se estrou esta época com a camisola do campeão Inglês Manchester City com a terna idade de 18 anos. Depois de ter saído do Benfica ainda jovem rumo ao sonho de jogar no gigante de Manchester Rony Lopes continua a dar passos largos rumo ao sucesso, impressionando ao serviço dos Juniores e da equipa de reservas dos Citizens e sendo muitas vezes chamado aos trabalhos da equipa principal por Pellegrini. Capaz de jogar na faixa mas também no meio Rony é um jogador muito talentoso e veloz, que tanto é capaz de flectir para o meio como procurar a linha criando jogadas de perigo, sendo bastante imprevisível nas suas acções ofensivas e deambulando no espaço atrás do ponta de lança. Rony, como é chamado, contagia quem o vê jogar quando pega na bola e a leva para o ataque com uma velocidade vertiginosa, ultrapassando qualquer adversário que se atravesse no seu caminho.

Nascido nos Açores, Iuri Medeiros é conhecido como a pérola do Atlântico e tem feito por merecer a alcunha. Dono de um portentoso pé esquerdo, Iuri sente-se confortável a jogar na direita onde flecte para o meio, fazendo uso do seu drible, e aponta à baliza contrária. Este ano consegiu marcar por 10 vezes ao serviço da equipa B dos leões e pode ser uma das surpresas no plantel de Marco Silva para o ano. Um dos principais destaques da selecção Portuguesa em Toulon é mesmo o benfiquista Hélder Costa. O franzino avançado móvel de ascendência Angolana tem estado endiabrado marcando já por 3 vezes em outros tantos jogos. Avançado de formação, Hélder Costa pode também jogar nos corredores onde aliás actua regularmente e é um quebra-cabeças para as defesas contrárias com muita velocidade, agilidade e instinto finalizador.

Avançados

Elementos como Bébé e Nélson Oliveira já são muito conhecidos da generalidade dos Portugueses, por terem “explodido” cedo e jogado ao mais alto nível talvez até cedo de mais. Não obstante o talento destes dois avançados, há outros jovens a despontar para a posição de avançado centro, sem um titular digno desse nome desde Pauleta.

Se o modelo de jogo da selecção pedir um avançado mais fixo, no Olival parece haver a resposta para as preces dos Portugueses. Gonçalo Paciência mostra que filho de peixe sabe nadar e tem feito jus ao nome do pai, assumindo-se como um potente avançado centro, que apesar de alto tem também muita téncica. Depois de uma primeira metade da época mais apagado foi aparecendo no Porto B e conseguiu mesmo balançar as redes 5 vezes nos 19 jogos em que jogou. Números pouco impressionantes mas fica a ideia que se for aposta mais regularmente Paciência pode fazer mais e melhor, movimenta-se muito bem, dá-se ao jogo e aparece bem e zonas de finalização.

Caso haja necessidade de um avançado mais móvel e que venha atrás buscar jogo, abrindo espaços para movimentos interiores dos extremos há Carlos Mané e Ivan Cavaleiro. Ambos avançados de formação têm sido chamados a pisar outros terrenos no Sporting e Benfica regularmente, com sucesso. Mané impressionou ao serviço da equipa B e foi mesmo chamado a integrar a equipa principal durante a época, onde pegou de estaca. Marcando na estreia a titular frente ao Penafiel para a Taça da Liga Mané foi sempre um elemento mais nos comandados de Jardim, muito activo no ataque, objectivo nas suas acções e sempre de olhos postos na baliza, Mané conquistou os adeptos leoninos com os seus movimentos repentistas. Também Ivan Cavaleiro brilhou no escalão secundário do futebol Português e viu as suas boas prestações recompensadas com uma chamada à equipa A. Cavaleiro é veloz e trabalhador, aparecendo bem em zonas de finalização e fazendo golos regularmente.

VAVEL Logo