A caminho do Brasil 2014: O experiente anfitrião
A caminho do Brasil 2014: O experiente anfitrião

Scolari tem o plano definido. O Brasil é o País anfitrião do Mundial deste ano e muitas são as vantagens de jogar em casa, começando pelos adeptos. Apesar de muitas serem as Selecções envolvidas nesta fase final, a equipa de Hulk e Neymar vai jogar como quer e nos Estádios que tão bem conhece.

Com avançados, médios e defesas de qualidade, são poucos os pontos fracos da Selecção Canarinha. A equipa do ex-seleccionador português tem tudo para vencer o Campeonato do Mundo e voltar a estar no ponto mais alto do Futebol Mundial.

Entre a experiência de alguns e a ambição de outros, Scolari tem de saber gerir o plantel. O grupo A, composto pelo México, Camarões e Croácia, até pode parecer simples para o ex- pentacampeão, mas a verdade é que as equipas consideradas pequenas jogam com a vantagem de não serem conhecidas e poderem surpreender. O Brasil terá de ter cuidado e mostrar experiência, e a qualidade que tanto o caracteriza, se quiser voltar a erguer a tão ansiada Taça.

Um plantel repleto de estrelas

Luiz Filipe Scolari irá apresentar para este Mundial o habitual sistema táctico do 4x3x3. Com Julio César a baliza está segura, a experiência e o carisma do jogador Brasileiro dão-lhe a credibilidade para dar segurança ao quarteto defensivo. Daniel Alves será também uma das certezas no onze titular deste campeonato do Mundo. A força na marcação e a qualidade ofensiva do lateral direito do Barcelona, assim como o pontapé forte nos lances de bolas paradas, fazem dele um dos preferidos para a utilização regular.

David Luiz, transferido recentemente para o PSG, e Thiago Silva serão, com toda a certeza, a dupla de centrais escolhida por Felipão. A rapidez, a capacidade de antecipação, a versatilidade na defesa, e na frente de ataque, fazem deles dois centrais completos a nível táctico e dois dos maiores trunfos para a vitória final na competição.

O recente Campeão Europeu, Marcelo, será o dono e senhor do lado esquerdo da defesa. A rapidez no contra-ataque e a capacidade de fechar a porta aos adversarios são duas das qualidades do brasileiro. Apesar de ser melhor nas propenções ofensivas do que a defender, Marcelo tem o lugar mais que garantido. Luiz Filipe Scolari confia a 100% no lateral esquerdo.

Óscar e Ramires são duas garantias no onze inicial pela qualidade que oferecem nas abordagens ao ataque, o bom transporte de bola e a técnica apurada associada com a distribuição de jogo. A dúvida subsiste no médio-defensivo: Willian ou Fernandinho. Willian tem a vantagem de conhecer os colegas de equipa, Fernandinho foi Campeão na Premier League e a época consistente do brasileiro no miolo defensivo fazem dele o preferido para a titularidade.

Na frente de ataque o seleccionador brasileiro tem à disposição alguns dos melhores avançados do Mundo. Neymar e Hulk são certos, tal como Fred. O instinto para o golo é factor comum nos três dianteiros, mas Jô continuará à espreita, ainda que à sombra da escolha controversa, Fred. Experiência, qualidade e versatilidade são três das características que a equipa comandada por Luiz Filipe Scolari apresenta. A Selecção Brasileira tem como principal função fazer valer o favoritismo que lhe é atribuído. A Selecção está renovada, Scolari deixou de lado velhas raposas do futebol brasileiro, como Kaká e Ronaldinho, para dar oportunidade aos novos talentos, mostrando a qualidade que tanto lhes é reconhecida.

Inexperiência e demasiada propensão ofensiva

Se a qualidade é uma certeza no plantel Brasileiro, também a inexperiência faz parte do curriculo da Selecção Canarinha. Dos 23 escolhidos por Scolari, apenas seis participaram no último Mundial. Uma estreia para muitos, uma repetição para poucos.

O estatuto de «craque» de muitos jogadores acaba por contrastar com a inexperiência em campo. No caso de Neymar, isso notou-se ao longo de todo o campeonato espanhol. Fred está com o mesmo problema. Muitos dos jogadores estão habituados ao ritmo de jogo de grandes clubes europeus, enquanto que outros ainda o tentam apanhar.

A defesa tem qualidade, mas as personalidades fortes na frente de ataque, fazem com que o sector mais recuado fique sem o apoio necessário para dar solidez e dinâmica a todos os sectores de jogo. A meio-campo Oscar e Ramirez deixam muitas vezes descompensada a defesa brasileira ,o que em jogos decisivos pode mesmo ser fatal.

O principal problema reside em todo o flanco esquerdo. Marcelo é melhor no ataque que na lateral, mas Neymar não recua o suficiente para compensar as subidas do jogador do Real Madrid. Este é um problema que Scolari terá de resolver, porque caso chegue a encontrar Selecções como a Argentina, a Alemanha ou a Espanha, a lacuna terá de ser tapada. Os avanços dos adversários têm de ser parados a tempo, porque Julio César é bom, mas já não consegue ter os reflexos e a elasticidade que tanto evidenciou ao serviço do Inter de José Mourinho.

A equipa

O Líder: Thiago Silva

Um dos melhores centrais do Mundo. O Patrão da defesa. O Homem sem Medo. Thiago é sem sombra de dúvidas o líder da Selecção Brasileira. A velocidade, o poder de antecipação, o bom jogo aéreo em todos os sectores e as saídas para o ataque são algumas das características do Brasileiro. No Mundial deste ano todos os holofotes estarão apontados para ele. Com 44 jogos e dois golos ao serviço da Selecção Brasileira, Thiago tem agora a oportunidade de brilhar mais e melhor. Serão os adversários capazes de ultrapassar a parede do PSG?

O às : Hulk

Força, velocidade e golos. Hulk faz o que quer da equipa adversária. O actual jogador do Zenit alia a velocidade ao instinto para o golo. A robustez e a boa forma física do brasileiro fazem dele um avançado desejado por grandes clubes mundiais. A facilidade com que dribla e surge em zonas de finalização fazem do seu remate de pé esquerdo um terror para o guarda redes da equipa adversária. Hulk é o mestre na marcação de bolas paradas. Ao serviço da Selecção é esperado que este seja o ano de afirmação daquele que, já é um dos extremos mais criativos do Mundo do Futebol.

A não perder: Neymar

O novo menino de ouro de Scolari promete mostrar serviço no Mundial do Brasil. Dotado de uma capacidade técnica incomum para os jogadores da sua idade, Neymar tem uma finta invejada por muitos. A velocidade que traz ao contra-ataque aliada às grandes assistências que faz ao serviço do Barcelona, fazem dele o extremo temido por qualquer defesa. Com 47 jogos e 30 golos ao serviço da Selecção Canarinha, Luiz Filipe Scolari sabe que tem no novo menino bonito da Selecção uma pérola por explorar, resta ver jogar e saber de onde podem vir os golos.

VAVEL Logo