Jardim do Éden ficou por completar
Jardim deixou o projecto Sporting a meio (Foto: Daniel Rocha)

Acreditava-se no Sporting há cerca de um ano que a contratação de Leonardo Jardim para o comando técnico representaria a opção mais indicada para ‘arrumar a casa’ e dar início a um projecto ganhador a médio/longo prazo, dando oportunidades e uma aposta continuada aos muitos jovens de qualidade que o clube forma.

Um ano mais tarde, e certamente sem que os adeptos leoninos o desejassem, o projecto que pode denominar-se de Jardim... do Éden em Alvalade acaba por ficar a meio face à saída (ainda não oficializada) do técnico para os milhões do novo rico Mónaco, dando assim por terminada uma experiência que fica marcada pela ambição demonstrada pelo madeirense a cada encontro, ficando na retina a sua ideia de que «temos de respeitar o adversário, mas temos de cumprir o nosso objectivo que é vencer.»

Ainda que alguns acreditem que a relação pessoal e profissional entre Leonardo Jardim e Bruno de Carvalho poderia reservar algumas divergências face à diferença de abordagem de ambos em situações semelhantes, certo é que tanto o técnico como o actual presidente do Sporting deverão encarar esta época com satisfação, em especial o segundo.

Jardim tornou-se importante até no encaixe financeiro que a sua saída proporciona

Bruno de Carvalho poderá dever a sua recente convicção de que «com a venda de jogadores poderíamos fazer o pagamento integral da dívida a seis meses» ao excelente trabalho de potencialização de unidades desenvolvido por Leonardo Jardim.

Ainda assim, o presidente sportinguista não crê, assim como a maioria dos críticos, que o clube realize um encaixe financeiro de monta, o que torna a transacção do próprio treinador ainda mais importante mesmo que desportivamente tenha conseguido conduzir a equipa a uma época na qual, na generalidade, foi a melhor equipa em campo a cada 90 minutos de jogo.

«Com certeza que a nossa ambição é sempre chegar ao melhor lugar,» assim foi vaticinando o treinador madeirense, liderando um esquadrão verde-e-branco que se motivou com as palavras e acções do seu líder e conseguiu responder de forma categórica nos momentos decisivos com excepção da visita à Luz para defrontar o Benfica.

Futebol do Sporting destacou-se pelo estilo pressionante incutido pelo madeirense

Tirando esse percalço, o Sporting realizou uma época inatacável que cedo tranquilizou Jardim e o levou a afirmar que «antes víamos a Liga dos Campeões como objectivo, agora continua a sê-lo,» deixando bem claro a grande meta que havia definido muito provavelmente no primeiro dia de trabalho no emblema de Alvalade.

Não persistem dúvidas: o apuramento directo para a Liga dos Campeões consiste no prémio adequado ao bom trabalho que o técnico realizou, mesmo que o final de época, com o título entregue ao Benfica, tenha sido ‘cinzento’ e a equipa tenha perdido o estilo pressionante que a caracterizou ao longo da temporada, e agora não seja o mesmo a conduzir os leões na prova milionária. De qualquer forma, Jardim não perderá esse carismático palco visto que também o Monaco estará presente na fase de grupos.

«Representar o Sporting é sempre uma motivação elevada,» assim se manifestou Leonardo Jardim poucas semanas antes de abandonar o projecto que o próprio iniciou. Se terá sucesso ou não no principado a Sul de França, a nova época o ditará, mas no que concerne à temporada que findou, o verde de Jardim foi carregado e muito saudável.

VAVEL Logo