Sporting poupou 10 milhões em salários em 2013/2014
Sporting poupou mais de 20 milhões em salários (Foto: Público.pt)

Sporting poupou 10 milhões em salários em 2013/2014

Bruno de Carvalho chegou para mudar o Sporting e ao que parece o objectivo está a ser cumprido. No relatório divulgado esta semana as contas estão a favor dos leões, que até ao terceiro trimestre do Presidente mostram que a poupança é mesmo o ponto forte.

mariana-cordeiro-ferreira
Mariana Cordeiro Ferreira

Bruno de Carvalho pode-se dar por satisfeito pela primeira época à frente do Sporting: o trabalho árduo de reestruturação financeira tem sido constante e, durante o primeiro ano de mandato, o presidente do Sporting conseguiu reduzir a massa salarial e o peso relativo que este possui nas contas leoninas. Eleito num contexto de constrição financeira, Bruno de Carvalho prometeu renegociar os trâmites financeiros com a banca, apertando o cinto das despesas e atacando o passivo sistémico da SAD de Alvalade - só assim o clube poderia respirar. O plano foi objectivo: reduzir custos com o «staff», controlar salários dispendiosos, abordar o mercado com cautela (passes a baixos custos) e enquadrar as ambições às possibilidades económicas do clube.

As metas têm sido atingidas, apesar do caminho longo que o clube terá que percorrer para atingir a estabilidade financeira. A direcção leonina ganhou tempo com a negociação com a banca, conseguindo acordos que permitiram manter o Sporting à tona, ainda que, à semelhança dos outros clubes, a situação de endividamento se matenha elevadíssima e sem resolução prática à vista: uma espécie de adiamento que se eterniza. Apesar das dificuldades, o Sporting reduziu em um terço os encargos com salários: o relatório e contas (relativo ao terceiro trimestre de 2013/2014) divulgado ontem permite perceber o corte, de 30 milhões de euros em Março de 2013 para 20 milhões no mês homólogo de 2014.

Num relatório onde as únicas subidas foram as indemnizações referentes a rescisões de contrato, os resultados são animadores. O clube passou de um passivo de 29 milhões de euros apresentado há um ano para um lucro de 720 mil euros na actualidade. Ainda assim, o valor do passivo total aumentou, de 258 milhões no mês de Junho para 264 em Março de 2014. Nas contas com a transacção de jogadores (compras e vendas), de referir a importância das vendas de Bruma (ao Galatasaray) e de Ilori (ao Liverpool), ambos activos da formação do clube.

O clube leonino, que tem vindo a baixar a fasquia dos custos, aposta na sua basilar formação de talentos, reconhecida como uma das melhores do mundo. Uma das tácticas económicas do clube passa exactamente por potenciar os jovens da academia, tornando-os em activos importantes da equipa principal, para que possam figurar no mercado e, eventualmente, servirem de fonte de receita ao clube. Wlliam Carvalho é o mais recente valor confirmado, mas outros parecem querer seguir-lhe as pisadas. No presente, jogadores como Carlos Mané, Eric Dier, Esgaio, Tobias Figueiredo, Rúben Semedo, entre outros, esperam conseguir um lugar no firmamento leonino.

VAVEL Logo