Perfil Brasil 2014: Sergio Ramos
Perfil Brasil 2014: Sergio Ramos

Sérgio Ramos chega ao Brasil com o estatuto que nenhum outro jogador se pode gabar: o título de Campeão do Mundo, Campeão Europeu, de vencedor da Liga dos Campeões e da Taça do Rei. O lateral de raiz acaba no centro da defesa e se há coisa que Ramos sabe fazer é tomar conta da bola.

Dono e senhor de um estilo de jogo muito próprio, o central do Real Madrid chega ao Brasil para mostrar serviço. A época no Real não foi perfeita, contudo as duas Taças conquistadas já ninguém lhe tira.

De lateral razoável a central competente

Sergio Ramos é dono e senhor do centro da defesa, mas a verdade é que o jogador do Real Madrid começou por ser lateral direito. Apesar da qualidade que Ramos apresenta no quarteto defensivo, os treinadores que passaram por ele optaram por colocá-lo no eixo central, no caso do Real Madrid ao lado do luso-brasileiro, Pepe.

Com mais de 1.80m de altura e 75kg, Ramos é o defesa perfeito para cortar as bolas que possam vir a criar o perigo. A forma física de que é dono faz com que muitos avançados se vejam atrapalhados por ele e apesar de muitos erros, muitas são as vezes em que o menino preferido da defesa espanhola consegue levar a melhor.

A experiência em campo, o estilo de jogo e o pé direito perfeito fazem do central um dos jogadores mais completos no que à Selecção diz respeito. Ramos pode ficar atrás, mas a velocidade que traz ao contra-ataque, aliada ao bom jogo aéreo e ao pontapé forte fazem dele o jogador a temer pela equipa adversária.

A experiência não é tudo, mas neste caso ajuda bastante

Ramos pode ser um jogador desconcentrado, desatento, pode perder a bola a qualquer segundo e pode até nem ser o defesa perfeito. Del Bosque sabe isso e talvez por esse mesmo motivo acaba por dar ao menino do Real Madrid a liberdade de jogar como quer.

Sergio Ramos está longe de ser o jogador perfeito na defesa, mas a verdade é que com a ajuda dos colegas, o central do Real Madrid consegue chegar-se à frente e dar o apoio mais que necessário ao ataque para que a bola chegue rapidamente ao fundo das redes da equipa adversária.

Ramos tem mais de 100 jogos feitos com a camisola espanhola e apesar de os golos não serem o seu forte, Del Bosque sabe que pode pôr o menino do Real Madrid a qualquer altura do jogo que assim mesmo a qualidade da equipa não vai baixar.

A Selecção Espanhola está num grupo complicado. O grupo B composto pela Holanda, o Chile e a Austrália, pode parecer simples para os actuais campeões do Mundo, mas a verdade é que as notícias sobre a queda de qualidade da Selecção Espanhola começam a adensar-se.

Ramos tem a vantagem de conhecer o estilo de jogo das equipas contrárias, joga com a vantagem de ter a experiência de mais de 100 jogos feitos pela Selecção e joga com o estatuto de ser o actual campeão do Mundo, experiência não lhe falta. Depois de ter feito 2 europeus e 3 Mundiais ao serviço da Selecção, aos 28 anos Sergio Ramos chega a terras de Vera Cruz pronto para mostrar serviço com a camisola vermelha e amarela vestida.

VAVEL Logo