Caminho para o Mundial 2014: o outsider mexicano

Caminho para o Mundial 2014: o outsider mexicano

Dotado de um ataque promissor e com poder de fogo, o México poderá vir a surpreender no Grupo A do Mundial 2014.

rafaelreis
Rafael Reis

Não poderia ter sido mais interessante a escolha de Portugal para primeiro adversário no estágio que vem realizando nos EUA, ao contrário do que penso ter sucedido com a confirmação do particular ante a República da Irlanda, um conjunto que não estará presente no Mundial 2014 e que possui um estilo de jogo bastante díspar dos adversários que a equipa nacional encontraria no Campeonato do Mundo.

Já em relação ao México, esta equipa poderá muito bem ser a grande sensação de um dos grupos para os quais os adeptos mais mirarão, o Grupo A, ainda que não esteja a impressionar grandemente nos encontros particulares que antecedem a partida ante a nossa Selecção Nacional, em especial a recente derrota tangencial aos pés da Bósnia e Herzegovina, que estará também presente no Brasil.

Equipa muito dotada tecnicamente que poderá intrometer-se pelo apuramento

Embora não seja visto pela crítica como um dos agrupamentos mais concorridos, o Grupo A poderá não estar tão ‘resolvido’ quanto se tem apontado à partida mesmo que na realidade o Brasil seja o claro favorito não são à passagem aos oitavos-de-final como ao lugar de líder.

Ainda assim, a disputa deverá mesmo alargar-se a todos os concorrentes dado que até os Camarões, que inicialmente poderiam ser tidos como os menos favoritos, têm deixado muito boa imagem nos últimos encontros particulares, sem esquecer a Croácia e os seus futebolistas com classe e experiência internacional de monta. Para fechar o grupo ainda há ‘este’ México.

Poderão os adeptos do futebol internacional marcar na sua agenda o Croácia - México, no próximo dia 23, como um dos encontros a ter em atenção para a resolução do Grupo A, ainda mais porque o conjunto mexicano possui uma equipa jovem, muito dotada tecnicamente em várias das suas posições com destaque para o meio-campo e ataque, e que há muito trabalha em conjunto, o que pode aproximá-la ainda mais em termos qualitativos de Brasil e Croácia.

Lesões, ausências e indefinições em alguns lugares poderão vir a constituir problema

Todavia, nem tudo tem sido perfeito na bem concebida preparação da ‘Tri’, começando pela grave lesão contraída há cerca de uma semana por Luis Montes num arrepiante momento que pode ser testemunhado pela fotografia publicada por VAVEL na sua edição América Latina e que constitui um rude golpe para a equipa tendo em conta as várias posições que este atleta poderá desempenhar no meio-campo e ataque.

Para além da grave lesão contraída por Montes, a equipa mexicana apresenta uma convocatória que não ofereceu espaço a alguns valores que poderiam ter tido o seu lugar na equipa e assim tornado ainda mais importante o contingente de opções, com destaque para o talentoso Jesus Corona, que esta temporada chegou ao Twente e que tal como o supramencionado Montes poderia evoluir em diversas posições desde a posição 10 até às alas ofensivas.

Num caso diferente dos de Montes e Corona, a equipa do México encontra-se também privada dos préstimos de Jesus Zavala, um médio defensivo que se destaca curiosamente pela projecção atacante e pela participação activa nesses movimentos junto da restante equipa mas que recentemente reconheceu não estar em forma e por isso compreender a decisão do seu seleccionador em deixá-lo de fora de uma equipa que ainda decide posições como a sua baliza.

Por essa razão, o encontro frente a Portugal servirá para tirar dúvidas sobre quem será o dono das redes mexicanas, encontrando-se Jesús Corona (homónimo do médio acima referido no texto) e Guillermo Ochoa em disputa por uma posição que pela sua indefinição se poderá tornar problemática.

O Líder – Chicharito Hernandez

Deverá formar com Raul Jimenez uma das mais interessantes duplas de avançados entre os conjuntos que fazem parte do Mundial 2014, surgindo como o grande líder do México muito pela experiência internacional que angariou nas várias temporadas que já leva ao serviço do Manchester United, clube que não tem explorado na plenitude as suas capacidades e no qual poderá vir a ter uma ‘segunda vida’ caso realize um Mundial de acordo com a sua qualidade.

O às – Raul Jimenez

 Não será por acaso ou mera sorte que o apelidam de Zlatan Ibrahimovic mexicano. Na verdade, possui características que fazem mesmo recordar a estrela sueca que não estando presente na prova poderá aqui ter um representante bem particular, muito provavelmente titular no conjunto centro-americano no Mundial, o que também comprova o acerto dos observadores do FC Porto, um dos maiores interessados na sua contratação.

A não perder – Diego Reyes

Entre todos os futebolistas presentes na equipa mexicana o defesa central será conjuntamente com Hector Herrera o mais conhecido junto do público português ou não representassem ambos o FC Porto, clube no qual se impôs a partir de uma fase intermédia desta época e que poderá vir a valorizar um activo que chega na hora certa a uma grande competição e que não estará minimamente pressionado por ser o mais jovem jogador no contingente tricolor.

VAVEL Logo